Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2015

Morre Leonard Nimoy, o Mr. Spock de Jornada nas Estrelas

Eu sou um fã incondicional da franquia “Jornada nas Estrelas”: assisti a todos os filmes produzidos até hoje e toda a série televisiva. Gene Roddenberry, o criador da franquia, está na minha galeria da fama ao lado de ícones da cultura, e contracultura, correlata. Portanto angustiou-me a morte , ontem (27), aos 83 anos, do ator que representava uma das mais singulares personagens da franquia: Leonard Nimoy, o sisudo Mr. Spock, recrutado pela “USS Enterprise” na longínqua Confederação de Surak, do planeta Vulcano, cujos habitantes eram peculiares pelo raciocínio lógico desprovido de quaisquer emoções. Leonard Nimoy era um bostoniano , filho de imigrantes ucranianos. Teve infância e juventude pobres e começou a carreira de ator nos anos 50, fazendo pontas em séries para a TV americana. Entre as filmagens, que não lhe davam renda suficiente, fazia bicos diversos, como entregar jornais. Em meados da década de 60, Nimoy conheceu outro ícone da franquia “Star trek”, William Shatner, o capi

Crime Organizado S.A

O enredo do crime organizado estabelecido dentro dos presídios (e o Estado brasileiro ainda insiste e investe no sistema) mostrou a sua face na madrugada de hoje (27), em Belém. Os senhores do crime, que vivem seguramente dentro do Complexo Penitenciário de Americano, além de patrocinarem uma rebelião dentro do complexo, resolveram demonstrar que também mandam extramuros. A ordem de dentro de Americano foi cumprida e cinco ônibus foram incinerados em Belém e região metropolitana. Os bandidos seguiram um rito protocolar em todas as ocorrências: chegavam de motocicletas e carros, determinavam a saída dos passageiros (menos mal), espargiam gasolina no veículo e riscavam o fósforo. A tática de tocar o terror nas cidades tem dado certo, pois a polícia não consegue controlar a ações e acaba cedendo a algumas das reinvindicações dos líderes dentro dos presídios. Só quem teve coragem, até hoje, de declarar que o estado negocia com o crime organizado, para baixar a fervura, foi o secretário

A Folha de S. Paulo lê o Parsifal 5.6

Na terça-feira (24), na terceira nota da postagem “ Drops de ingá-cipó ”, reportei um artigo, assinado por pesquisadores brasileiros, na revista Plos ONE, sobre o Purussaurus brasiliensis , o maior crocodilo que já andou sobre a Terra, que viveu, há 8 milhões de anos, na Amazônia. Ontem (26), no caderno Ciência, a Folha de S. Paulo, com o título “ Jacaré do Acre era maior que ônibus e mordia mais forte que tiranossauro ”, trouxe artigo sobre o mesmo assunto, com fonte na mesma revista, a Plos ONE. É claro que o título dessa postagem é uma descarada esnobação e não corresponde à verdade: a Folha não sabe da existência desse blog. Mas a ocorrência demonstra que, apesar de 90% das notícias gerais anda serem produzidas por repórteres formais, os blogs, cada vez mais, deixam a imprensa tradicional obsoleta.

WhatsApp?!

Viraliza nas redes, desde terça-feira (24), a revelação de uma decisão do juiz do Piauí, Luis Moura Correia, expedida em 11 de fevereiro de 2015, determinando a suspensão, em todo o Brasil, do acesso ao aplicativo WhatsApp que tem 48 milhões de usuários no país. Divulgou o Núcleo de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Piauí que o mandado de suspensão foi expedido pelo juiz porque o WhatsApp se negou a dar informações para uma investigação policial em andamento na Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA). Segundo a DPCA, as empresas de telefonia foram notificadas, mas fizeram ouvidos de mercador à decisão e imediatamente impetraram mandado de segurança ao Tribunal de Justiça do Piauí. O episódio demonstra o despreparo da magistratura para tratar adequadamente a cibernética na vida do cidadão, carecendo de senso de razoabilidade as decisões que lavra. A desproporcionalidade da decisão está no alcance dela, pois caso a determinação fosse cumprida, não

Estado Islâmico destrói manuscritos de 8 mil anos e estatuas assírias de 3 mil anos

O autodenominado Estado Islâmico (EI), que não passa de um grupo terrorista que faz carreira na intransigência, usando a religião como estandarte, para obter publicidade, além de decapitar e queimar prisioneiros feitos a esmo, agora destrói objetos milenares que são patrimônio da humanidade. Ontem, a al-Furqan , braço de mídia do EI, postou imagens do momento em que os militantes da tribo explodiram a biblioteca Mossul, no Iraque. Fundada em 1921 , a biblioteca guardava um dos mais raros acervos de manuscritos da humanidade, alguns datados de 5000 a.C., além de diversos livros impressos durante a dominação do Império Otomano. Foi tudo pelos ares. Feito o serviço na biblioteca , os desajustados cismaram com o Museu de Mossul: um vídeo mostra estatuas assírias de 3 mil anos sendo destruídas a marretadas. “ Estas ruínas atrás de mim são ídolos e estátuas que o povo no passado venerava em vez de Alá. O profeta derrubou ídolos com as mãos nuas quando foi a Meca. Fomos ordenados por ele a

Eu quero a mamãe!

A foto, tomada por Jim Bourg, em 13 de julho de 2006, flagra o então presidente dos EUA, George Bush, em visita à Alemanha, devolvendo um bebê, que não quis acordo com ele, à mãe, que o havia entregue para uma foto. A foto faz parte da seleção “30 anos de fotografia jornalística”, organizada pela Reuters.

Os 10 motivos de Jonathan Wheatley

O jornal britânico "Financial Times" especulou ontem (25), em artigo assinado por Jonathan Wheatley, que foi correspondente do jornal no Brasil entre 2005 e 2011, sobre possíveis motivos que poderiam dar tutano a um processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Antes de listar 10 ocorrências que, ao seu juízo, poderiam fomentar um impeachment, Wheatley discorreu sobre o passado político de Dilma, reportando que ela começou a carreira partidária no PDT, “ de Leonel Brizola ” e filiou-se, nos anos 90, ao PT. Segundo Wheatley, “ alguns petistas veem Dilma como uma intrusa oportunista no partido ". Abaixo os 10 motivos de Wheatley , que ele não esclareceu se estão em ordem de gravidade: Perda de apoio no Congresso Escândalo da Petrobras Queda na confiança do consumidor Aumento da inflação Aumento do desemprego Queda na confiança do investidor Déficit orçamentário Problemas econômicos no geral Falta d'água Possíveis apagões elétricos Jonathan

Dever de ofício

A fotografia é um flagrante do juiz federal Flávio Souza dirigindo o Porsche Cayenne apreendido de Eike Batista. A frase é de um espirituoso comentarista do blog, na postagem “ O Porsche da discórdia ”.

Quebrando tabus…

O fundo musical pode ser “Imagine”, do Lennon…

O Porsche da discórdia

Quando eu achei que mais nada me surpreenderia na vida, afinal eu tenho 30 anos de política, fiquei surpreso ontem (24) quando li que o juiz federal Flávio Souza guardava, na garagem da sua residência, e usava, dois dos veículos que ele mesmo determinou a apreensão no curso da ação que o Ministério Público move contra Eike Batista. Mais surpreso ainda fiquei quando a reportagem relata que o juiz foi fotografado chegando no prédio da Justiça Federal do Rio de Janeiro dirigindo o Porsche Cayenne apreendido, como se seu fora. O patrimonialismo é uma praga incrustada no ventre das instituições nacionais, mas a forma como o juiz Souza agiu foi tão acintosa que extrapolou as raias da temeridade, adentrando a seara da mais completa falta de senso. Um juiz que toma bens apreendidos e deles usufrui achando que a Justiça é sua particular propriedade, carece de equilíbrio para julgar, pois não é possível aceitar-lhe as explicações e quaisquer delas, por mais razoáveis que sejam, não retiram

Drops de ingá-cipó

> Manchete de ontem (23) do Estadão: Eu juro que não sabia que o governo federal e o PMDB estavam afastados. > Os retirantes chics O The Wall Street Journal reporta que 51% dos turistas que visitaram Miami, em 2013, eram brasileiros e deixaram na cidade US$ 2 bilhões. Diz a matéria que depois da reeleição da presidente Dilma, aumentou o número de brasileiros que compram imóveis na cidade, com a pretensão de fixar residência nos EUA, por acharem que o Brasil não proverá o cidadão, tão cedo, de “ condições mínimas de segurança pública e estabilidade econômica ”. O desiludido emigrante é o brasileiro da classe mais rica e poderosa, que se tornou, junto aos colombianos, venezuelanos e argentinos, um dos maiores compradores de imóveis em condomínios de luxo na grande Miami, mesmo após a apreciação do dólar. > Purussaurus brasiliensis   Artigo de um grupo de pesquisadores brasileiros na revista científica Plos ONE , apresentou aquele que pode ter sido o maior predador da Ama

LG Watch Urbane

Até que enfim, a meu gosto, alguém acertou o design de um smartwatch . Foi a LG, que resolveu investir no formato clássico do relógio de pulso e embarcar nele o processador que o torna capaz de, além de fornecer as horas, conversar com o smartphone. A LG publicou um tease do LG Watch Urbane , que será lançando na Mobile World Congress 2015 , em Barcelona, mostrando o que vem na carcaça, dourada ou prateada, feita inteiramente de aço escovado e pulseira de couro legítimo: tela P-OLED de 1,3 polegadas, bateria de 410 mAh, processador Qualcomm Snapdragon 400 de 1,2GHz, 4GB de armazenamento, 512 de RAM, giroscópio, acelerômetro, bússola, e sensor de batimentos cardíacos. O Urbane roda o Android Wear, uma versão do Android desenvolvida, pelo Google, para os tais dispositivos vestíveis e a interface pode ser customizada ao gosto do freguês. O preço do LG Watch Urbane só será divulgado após a feira de Barcelona, mas não creio que vá muito além dos US$ 300 por onde andam os demais smartwat

Uma professora brasileira está entre os 100 pré-finalistas para a viagem sem volta à Marte

E continua a trilha do projeto de US$ 6 bilhões, Mars One , idealizado por um grupo de holandeses liderados pelo empresário Bas Lansdorp, que promete levar a primeira leva de “colonizadores” à Marte em 2025. O prazo original era 2023. A passagem é só de ida, mas há muita gente querendo deixar a Terra: 202.586 pessoas, em todo o mundo, querem o bilhete. O projeto selecionou, na semana passada, os 100 pré-finalistas e há uma brasileira entre eles : trata-se da professora de administração, regulamentação da internet e negócios digitais da Faculdade de Porto Velho (RO), Sandra Maria Feliciano Silva, 51 anos. Sandra, todavia, ainda não tem a passagem. Haverá uma última etapa que selecionará apenas 40 pessoas que serão confinados por oito anos em um ambiente que reproduz o que seria a colônia em Marte. Ao final desse período serão escolhidos os quatro primeiro “felizardos” a darem adeus à Terra, em 2025. O projeto prevê que, a partir da primeira leva, a cada dois anos, voarão mais qua

Crying time

Ray Charles , falecido em 2004, foi um dos pilares onde se erigiu o jazz e seus derivados, no final dos anos 50. O seu ritmo singular consolidou o R&B ( Rhythm and blues ) e foi ele quem introduziu o gospel no R&B. Barbra Streisand , 73 anos, além de atriz, é uma das mais premiadas cantoras da atualidade, já contabilizando mais de 200 milhões de álbuns vendidos em todo o mundo. Afinadíssima e com voz que passeia por todas as escalas do grave, não conheço outra que consiga entrar e cortar tão bem quanto ela, que jamais sai antes porque vai faltar o fôlego: Barbra começa e termina todas as notas. Buck Owens , falecido em 2006, compôs o country “ Crying Time ” em 1964, mas a belíssima canção só estourou quando Ray Charles a gravou, em 1966. O sucesso foi tão grande que a canção arrebatou o Grammy Awards de 1967. Eu assisti Willie Nelson cantar “Crying Time” em dueto com uma das minhas cantoras preferidas, Norah Jones: lindo. Mas nada que se compare ao estado de arte em que ch

Leopoldo, desfiles, ministro da Justiça, Sérgio Moro, Thor Batista, Tim Maia e eu

O Brasil vive a síndrome do Leopoldo, aquele personagem vivido por Roberto Benigni, que é confundido pela imprensa com uma celebridade no filme de Woody Allen, “ Para Roma com amor ”. Fazemos escândalo com o patrocínio de um sanguinário ditador a uma escola de samba, quando todos os desfiles, segundo o Neguinho da Beija-Flor, são patrocinado pela contravenção, que por sua vez vive em conluio com o tráfico, que mata pessoas nos morros cariocas. E já estamos na segunda semana bodejando porque o ministro da Justiça recebeu advogados que representam judicialmente os indiciados na operação Lava Jato. A agenda, por mais anômalo que possa ser, foi até texto e contexto de uma sentença judicial lavrada pelo juiz Sérgio Moro, que opinou, nos autos(!!): Pronto, já temos o nosso Joaquim Barbosa da primeira instância e a Justiça já tem opinião processual sobre quem o ministro da Justiça recebe. Quando esse rubor de ética protocolar se dá nos autos, a opinião não é do juiz, mas da Justiça e qua

Samsung lança o primeiro PC com tela curva

Exposto na CES 2015, em Las Vegas, no início de janeiro, o All-In-One Ativ One 7 , da Samsung, acaba se chegar ao varejo nos EUA. O One 7 não traz novidades de hard ou software: nesse aspecto, com processador Core i5, 8MB de RAM e HD de 1TB, além de uma placa gráfica Intel HD Graphics 5000, pode ser chamado de um PC médio. É na tela que o One 7 inova: está carenado em uma tela curva de 27 polegadas com resolução Full HD.  Na interface, o One 7 também inova: além do  touchscreen, alguns comandos podem ser aplicados por gestos, ou seja, não é necessário tocar na tala, apenas fazer determinados gestos na área de projeção da tela. O varejo norte-americano vende a peça por US$ 1,3 mil, o equivalente a R$ 3,6 mil, mas o One 7 não chegaria no Brasil , devido aos impostos, por menos de R$ 10 mil.

De como o enredo virou folhetim e o costume do carnaval ser patrocinado pelo crime

Diante da péssima repercussão nacional e internacional do patrocínio recebido pela Beija-flor, o ministro da Informação da Guiné Equatorial, Teobaldo Matomba, escreveu uma nota oficial. Diz um trecho da nota: “A iniciativa de realizar esta homenagem à Guiné Equatorial não partiu do governo e nem da Presidência da República. É uma iniciativa que surgiu das empresas brasileiras que operam na Guiné Equatorial”. Para ratificar o cordel , o carnavalesco da Beija-Flor, Fran-Sérgio, afirmou que os R$ 10 milhões recebidos “ saíram de empresas brasileiras que têm obras no país africano ” e deu nomes aos bois: “ Queiroz Galvão, Odebrecht e o grupo ARG ”. Matomba e Fran-Sérgio esqueceram de combinar o estribilho: a Odebrecht foi a primeira a desdizer ambos, em nota publicada ontem (19): “A Odebrecht não patrocinou o desfile do Grêmio Recreativo Escola de Samba Beija-Flor, do Rio de Janeiro. A Odebrecht esclarece ainda que nunca realizou obras na Guiné Equatorial”. A Queiroz Galvão o e

Lula, o pragmático

É…

Ditadura africana bancou o enredo da escola de samba campeã de 2015 no Rio de Janeiro

Eu sempre digo, e a tese não é minha, mas de alguns renomados sociólogos e escritores nacionais, que o brasileiro tem uma moral seletiva e relativa. O Brasil é um país em que o latifundiário pode até ser a favor de uma reforma agrária, desde que não dividam as terras dele. Eu, por exemplo, quando do plebiscito para opinar sobre o sistema de governo, disse que até votaria e faria campanha a favor da monarquia, desde que o rei fosse eu. Teodoro Obiang Nguema Mbasogo , o sanguinário ditador da Guiné Equatorial, oprime o país há 33 anos. Seu regime, segundo o ranking anual da Freedom House , é o mais fechado de todas as ditaduras e tem nota zero em direitos humanos. A liberdade de imprensa na Guiné Equatorial é zero e o país, segundo o " US Trafficking in Persons Report ", é uma das principais fontes e destino de tráfico de pessoas, principalmente “ mulheres e crianças vítimas de trabalho forçado e tráfico de sexo ." A Guiné Equatorial, segundo a ONU, tem o 144º IDH dos 1

Limpeza pública na quarta-feira de cinzas

Lobos uivam, mas não choram

Contam interlocutores privilegiados de José Dirceu e Lula, que ambos trocaram de mal em virtude de assuntos relacionados ao escândalo que a imprensa batizou de Petrolão. Preocupado com o envolvimento do seu nome , e de cardeais do PT ligados a Lula, nos escaninhos da operação Lava Jato, José Dirceu ligou para o Instituto Lula e demandou uma conversa com o ex-presidente. Dirceu confidenciou a amigos que queria se colocar à disposição de Lula e dos companheiros para “ rebater as acusações e azeitar a estratégia de defesa ”. Mas, segundo chegados, Lula tem a característica (péssima, para mim) de não socorrer soldados feridos, deixando-os no chapadão e seguindo a marcha: não atendeu o telefonema de Dirceu e nem ligou de volta, encomendando ao seu valete de espadas, Paulo Okamotto, a tarefa de saber “ o que o Zé queria ”. Paulo Okamoto ligou para Dirceu e mandou: “Do que você está precisando, Zé?”. Dirceu interpretou o tom da locução como mais um adeus de Lula e uma proposição de servi-

O amor é lindo…

Até a Rolls-Royce se lambuzou com o óleo cru do Petrolão

Por suposto, os executivos da Petrobras indiciados na operação Lava Jato eram como buracos negros: sugavam até a luz que passasse nas suas imediações. Para surpresa de todos, reportou, ontem (16), o britânico Financial Times, que a centenária e tradicional Rolls-Royce, que fabrica do mais sofisticado e tradicional veículo do mundo, passando por turbinas de aviões comerciais e jatos de guerra e chegando a turbinas a gás para plataformas de petróleo, pagou suborno a funcionários da Petrobras para conseguir um contrato de US$ 100 milhões. Em chamada de capa, o Financial Times relata o depoimento do ex-gerente da Petrobras, Pedro Barusco, que teria dito à polícia que recebeu pelo menos U$ 200 mil da Rolls-Royce. Esta segunda-feira, as acções da Rolls Royce estavam a cair 1,16% em Londres. Interpelada, a Rolls-Royce , que viu as suas ações caírem em 1,16% logo após a circulação do jornal, respondeu ao Financial Times que “ não tolera conduta empresarial indevida de qualquer tipo e tomará

Cantando na chuva

O cartunista Adolar tira sarro do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que disparou telefonemas aos seus amigos anunciando que São Pedro, na sexta-feira (13), finalmente, havia acertado o alvo e descia chuva nas cabeceiras do Cantareira. 

Joaquim Barbosa, Eduardo Cardozo, Lula e Macunaíma

Joaquim Barbosa poderia estar certo, mas o senso não permite que, sem análise de mérito, o ministro da Justiça seja apeado do cargo porque recebeu advogados de indiciados na Lava Jato. O ministro da Justiça, a presidente da República, o juiz do feito e mais quem os valha, podem receber advogados que defendem quem quer que seja, pois advogados têm o direito de requerer audiências à autoridades. O reprovável seria se o ministro da Justiça recebesse os ditos advogados para tramar a obstrução do processo judicial em curso, o que é improvável, pois o ministro da Justiça não tem a prerrogativa, e nem o poder, de interferir nas decisões do Poder Judiciário. Seria mais sensato, dadas as circunstâncias (o ministro da Justiça agiu temerariamente, para, no contexto em que se observa, ter com os específicos advogados), que Barbosa, e quem ele exortou a reagir, exigissem que Eduardo Cardozo tornasse público o assunto da audiência, afinal, nenhum dos causídicos foi lá tratar de assuntos que env