Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2017

Ilações

Ontem (27) o presidente Temer resolveu segurar o touro pelos cornos e partiu para cima de Janot em um pronunciamento ríspido no conteúdo e na forma, mas sem consequências que o acudam a destituir a denúncia contra a qual investiu. Na verdade, o pronunciamento foi uma peça política à Câmara Federal, que analisará se autoriza, ou não, o prosseguindo do feito. Nesta circunstância, o presidente deveria poupar os adjetivos da oração e perorar na surdina, pois aos deputados que lhe apreciarão o fado as sacadas são menos importantes que as alcovas. Temer qualificou a denúncia como uma peça de "ficção" e acusou Janot de "reinventar o Código Penal" ao incluir nele a "denúncia por ilação”, pois não há provas nas tipificações almejadas. As designações de Temer visam arregimentar cruzados a sua causa, pois a preocupação, tanto jurídica quanto política, tem que ser uma constante no diapasão em que andam os processos nos tempos de Lava Jato. Temer não se limitou a atacar as

Temer é denunciado e Câmara Federal decidirá autorização para abrir o processo

Com apenas 7% de aprovação, o menor score de um presidente da República em 28 anos, com uma base parlamentar fazendo água, o que demanda constante calafeto, chegado de uma viagem internacional malsucedida, Temer recebe a denúncia do Ministério Público Federal por corrupção, o que lhe faz passar para a história como o primeiro presidente da República do Brasil denunciado por corrupção. Diferentemente do que vêm equivocadamente anunciando alguns apressados setores da mídia, Temer ainda não é réu e só poderá assim ser tido depois que a Corte Suprema enviar o pedido de abertura de processo à Câmara dos Deputados e a Casa autorizar o prosseguimento da denúncia, pois a Constituição exige autorização legislativa para que se abra um processo penal contra um Presidente da República. Para que a Câmara Federal autorize a abertura do processo contra Temer é necessária maioria qualificada de votos autorizativos. E aí reside a vantagem do presidente, pois para que o processo seja aberto a oposição

Lula lidera, e 2º lugar tem empate de Bolsonaro e Marina, diz Datafolha

O título da postagem assusta e indigna muitas dezenas de pessoas, mas é o mesmo da Folha de S. Paulo, que publica na edição impressa e online desta segunda-feira o resultado da mais recente pesquisa do Datafolha. O resultado, embora a mais de um ano da eleição, revela a cristalização das intenções de voto na casa dos 30% para Lula, que envergou para baixo, mas recuperou o estoque histórico do seu eleitorado, depois que á mídia esfarelou o chicote sobre ele até cansar. Os constantes resultado de pesquisas que colocam Lula em pole position na largada de uma eleição que será daqui a mais de ano, não significam que o lulopetismo voltará a ser inquilino do Palácio do Planalto, mas é índice de que Lula está no páreo e não está prosa. Abaixo, os resultados do Datafolha:   Embora vença com margem segura nas intenções de voto nos 8 cenários acima colados, no quesito rejeição Lula continua sendo o mais rejeitado dos prováveis candidatos à presidência, portanto, o maior adversário de Lula em 2018

Os manuscritos de Eduardo Cunha

Diante das insistentes incursões para saber se vero é que o ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso em Curitiba desde outubro do ano passado, está, desde maio deste ano, redigindo de próprio punho a sua proposta de delação premiada, o advogado de Cunha, Délio Lins e Silva, nega peremptoriamente que o seu cliente esteja nesta empreitada. Mas segundo os carcereiros do Complexo Médico Penal de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, onde Cunha está enclausurado, o ex-deputado tem pedido com frequência folhas de papel em branco e caneta esferográfica, o que leva a crer que, se não está escrevendo um livro, está redigindo a sua proposta de delação premiada dentro da cela. Quem sabe, e há lógica na opção, o livro seja a delação ou a delação seja o livro, conforme ao que se prestas a leitura. Reforçou-se o boato das catilinárias esferográficas contra mundo e meio quando, há três semanas, o advogado Lins e Silva, logo após ser contratado por Cunha, pediu um encontro com um as

JBS em liquidação

Assim como as demais empresas apanhadas pela Lava Jato, a JBS dá sinais de que a sua equação de crescimento não se mantém de pé sem a rede de tráfico de influência e corrupção que a transformou em uma gigante global, eis que, desfeita a teia criminosa, o grupo que a controla teve que engatar a uma marcha à ré que coloca à venda US$ 15 bilhões em ativos. A reação do mercado, que começa a restringir espaço nas prateleiras à JBS, até que ela comprove práticas de conformidade de que abandonou a vida do crime e, mesmo no espaço oferecido nas gôndolas, a ação dos consumidores dos EUA e países da Europa em boicotar produtos com o selo JBS desidrata as chances da empresa em alavancar recursos no mercado financeiro para saldar as dívidas de curto prazo, que beiram os US$ 30 bilhões. A solução encontrada, portanto, para evitar um colapso de liquidez iminente, foi optar pela liquidação de ativos. E na cesta está o principal motor da cadeia logística internacional da empresa, a irlandesa Moy Park,

De Vikings e Fenícios

O texto da ilustração acima foi pinçada do artigo do advogado Ismael Moraes, cujo núcleo contextual delata, sem prêmios, o que seriam as irregularidades cometidas pela norueguesa Hydro, em virtude de licenças ambientais concedidas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade(SEMAS). Não é a primeira vez que Ismael Moraes investe contra a SEMAS e, sem análise de fundo, se as suas afirmações são ou não procedentes, nada se enxerga de providências tomadas para apurar-lhe a lavra que não é digitada em meias palavras, ao contrário, erigida com todas as letras. Abaixo o artigo: “Os Vikings, os Fenícios, a Noruega, os desmatamentos da Hydro e o Crime Organizado do Governo do Pará Ismael Moraes – advogado socioambiental Há consistentes relatos históricos do encontro entre comerciantes fenícios, povo ancestral dos libaneses, com nórdicos, genericamente chamados de vikings. Aqueles negociantes oriundos do Mar Mediterrâneo, dotados de grande cultura absorvida pelo contato intenso

Vaquejada

Mesmo sem desdizer o conteúdo da delação de Joesley Batista, e sem tentar descriminalizar os delatados, a imprensa nacional ensaia uma cruzada para retirar o prêmio – considerado generoso demais - dos irmãos Joesley e Wesley, uns quês de irmãos Karamazov da República nacional. A inquietação da grande imprensa não deixa de ter causa na clara tentativa que Joesley Batista faz de preservar Lula e levar ao tronco apenas o substrato do lulopetismo, que não deixa de ser a rede em que foi malhado o presidente Temer. Hoje, o Estadão carimbou a sua posição no affaire dos Batistas com a Procuradoria-Geral da República, que lhe concedeu a sorte grande de não pagar nada mesmo delinquindo tanto, e dedicou o editorial ao caso. No editorial opina o Estadão que, na entrevista concedida por Joesley à Época, ele se esforça “ para livrar o ex-presidente Lula da Silva de qualquer responsabilidade direta pelo surto de corrupção”, e afirma que a “trajetória de sucesso ” de Joesley “ está ligada a generosos

UNE elege “presidenta” que não estuda

O delator do mensalão, ex-deputado federal Roberto Jefferson, que à moda antiga cumpriu pena mesmo delatando praticamente toda a cúpula do lulopetismo, sarrafeando a eleição de Marianna Dias para a presidência da União Nacional dos Estudantes (UNE). Marianna, 25 anos, eleita “presidenta” da UNE no seu 55º Congresso, com 3.788 votos, está matriculada em pedagogia, na Universidade do Estado da Bahia (UNEB), há 16 semestres, mas não participa do curso desde 2015, quando trancou a matrícula. Por estar matriculada em um curso regular, tecnicamente, Marianna tem por profissão, estudante. O estado eventual dela é que tem que ser usado no gerúndio: ela é estudante, só não está estudando, ora pois. A UNE já causou um dia. E, pelo jeito, continua causando…

O Pentágono quer ver o Super Tucano da Embraer em ação

A Embraer tem uma das melhores aeronaves de médio ataque bélico, o A-29, conhecido como Super Tucano, fabricado pela Embraer Defesa e Segurança (EDS), divisão de aeronaves táticas da empresa, que já atendeu, e atende, encomendas vindas da Ásia, África, Oriente Médio e América Latina. Agora em julho, a Embraer enfrenta uma prova de fogo, mas o convite, por si só, já é uma prova de prestígio: a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) vai substituir os pesados jatos A-10 Javali na frota de apoio de solo e chamou a Embraer para apresentar o Super Tucano aos mandachuvas do Pentágono. O convite não significa uma opção firme de compra, mas coloca o Super Tucano na lista de um dos mais seletivos comandos de ataque do mundo, podendo evoluir para a compra de 120 unidades. O A-10 Javali é um jato de 40 anos que não evolui para os novos conceitos logísticos de guerra. É ágil, dá conta do recado, mas a um custo muito alto ao que se presta, que é dar apoio à infantaria em incursões nas quais é desperd

Trump cancela acordos EUA-Cuba o que reaproxima Havana de Moscou

Imediatamente após Fidel Castro, que nunca se declarou um marxista antes da Revolução – o ideólogo do movimento era Che Guevara – marchar sobre Havana os EUA iniciaram uma ferrenha cruzada contra o fidelismo. A então União das Repúblicas Socialista Soviéticas (URSS), que já dava certa carenagem aos acampamentos de Sierra Maestra, aproveitou a equivocada hostilidade estadunidense e escancarou os braços, e cofres, ao regime, cobrando a guinada de Fidel ao lema “socialismo ou morte”, que, na verdade, ao contrário do que muitos pregam, não foi uma opção doutrinária de Fidel, mas uma imposição econômica para ilha, já que o capitalismo, a 90 milhas de Havana, queria, mesmo, tirá-lo do ramo. Com Barak Obama, a política externa norte-americana em relação à Cuba sofreu um processo de distensão. Foi uma opção acertada, pois a ilha, na contingência de ter perdido os vasos comunicantes com a Rússia e a falência da Venezuela, que cobria as entregas de petróleo e gás necessários para manter a ilha

Temer vai processar Joesley Batista por acusações em entrevista à ÉPOCA

O presidente Michel Temer vai processar Joesley Batista por conta das acusações feitas contra ele em entrevista à revista "ÉPOCA", publicada desde ontem na edição online da revista e desde hoje (17), nas bancas. Em longa nota publicada nesta manhã (17), Temer afirma que entrará na segunda-feira (19), com ações civil e penal contra o empresário. Na nota, Temer, opina que as “mentiras” de Joesley Batista "serão comprovadas e será buscada a devida reparação financeira pelos danos que causou, não somente à instituição Presidência da República, mas ao Brasil” e acusa o empresário de proteger "estrategicamente" o PT, eis que a sua fortuna se formou nos governos do PT, muito antes de Temer assumir a presidência da República. A nota parte para as vias de fato ao afirmar que "o senhor Joesley Batista é o bandido notório de maior sucesso na história brasileira. Conseguiu enriquecer com práticas pelas quais não responderá e mantém hoje seu patrimônio no exterior com

ÉPOCA, ISTOÉ, Temer e Janot

Duas revistas de circulação nacional, ÉPOCA e ISTOÉ, carregam matérias elaboradas visando tiragem além do padrão: aquela mira no alvo estacionado no peito do presidente Michel Temer, desde que uma gravação entre ele e Joesley Batista veio ao baile; esta mira na ferradura e expõe os supostos intestinos da Procuradoria-Geral da República, mais precisamente a pessoa do Procurador-Geral, Rodrigo Janot. A ÉPOCA, nas bancas hoje , 17, traz entrevista do ex-presidente do Grupo J&F, Joesley Batista, na qual narra a sua relação com o presidente Michel Temer e assessores. Joesley Batista, em linguagem coloquial, conta à revista o que já obsequiou ao MPF na sua delação premiada, juntamente com o irmão, Wesley Batista. Aliás, para que não se perca a oportunidade da piada, goianos até para fazer delação fazem dupla. Para ilustrar a capa, a ÉPOCA pinça uma das frases de maior efeito das respostas de Joesley: “Temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil”. Mas a entrevista não se resumiu

Incêndio na torre

Um incêndio de grandes proporções tomou, nesta madrugada, o condomínio residencial Grenfell Tower, em Londres. Construída em 1974, a Grenfell Tower era um prédio de 24 andares e 120 apartamentos. O incêndio deixou, até esta manhã, ao menos 12 mortos e 50 feridos, no que foi, segundo a comissária dos bombeiros Dany Cotton, um "incidente sem precedentes" na capital britânica. Testemunhas narram que uma das partes mais terríveis das ocorrências foi verem pais jogando crianças pelas janelas para tentarem salvá-las do sítio das labaredas que invadiram os apartamentos, não os deixando outra opção a não ser o ato desesperado. As fotos são de Toby Melville, para a Reuters.

Condolências socialistas

De vez em quando o que sobrou da esquerda global tem uns relances de lucidez funcional e faz autocrítica do seu espírito de corpo. Recentemente, Noam Chomsky descompôs os percalços da esquerda sul-americana e carregou as tintas, principalmente, nos governos de esquerda do Brasil e da Venezuela, esse, o mais desastroso de toda a história da concepção marxista. Agora, depois de uma Venezuela devastada pela grife do chavismo, um grupo de cerca de 250 intelectuais e ativistas políticos auto definidos como “de esquerda e/ou progressistas” assinou um manifesto que investe contra o herdeiro do chavismo, o atual presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. Ao que parece, a cegueira da esquerda em defender desastres só porque os autores do terremoto são “de esquerda”, está agonizando. O texto afirma que não mais suporta como “certos setores da esquerda latino-americana ainda apoiam incondicionalmente o chavismo” e afirmam que tal comportamento “não apenas revela cegueira ideológica, mas é prejudic

Santo Antônio

Um dos santos mais populares do Brasil tem o dia de hoje (13 de junho) dedicado à ele: Santo Antônio. Embora Santo Antônio jamais tenha carregado o Menino Jesus, a figura do careca descalço com a Criança no colo é a imagem que está presente em grande parte dos lares católicos do Brasil. Antônio, na verdade, nasceu Fernando, em Lisboa, Portugal, em algum ano entre 1191 e 1195, daí ser chamado de Santo Antônio de Lisboa, e morreu em Pádua, na Itália, em 13 de junho de 1231, ao que também se deve ser chamado de Santo Antônio de Pádua. Embora tenha vivido a maior parte da sua vida religiosa, e morrido como um Frei Franciscano, ele iniciou sua formação religiosa com os Agostinianos, pregando em Portugal, na França e na Itália. Antônio foi contemporâneo de outro religioso famoso que se tornou santo da Igreja Católica, Francisco, fundador da ordem dos Franciscanos. A maior fama de milagres creditados a Santo Antônio, e pelo que mais ele é clamado, são os casamentos, por isso é tido como “o sa

Enquanto isso, no arraial…

Libertado em maio por decisão judicial e com residência estabelecida em Brasília, o ex-ministro da Casa Civil de Lula, José Dirceu, participou no sábado (10) de uma festa junina realizada no bairro do Sudoeste, em Brasília. O arraial de tinha dois pontos de arrecadação de donativos chamados de Caixa 1 e Caixa 2. José Dirceu sentou em frente ao Caixa 2 e a imprensa, como já não mesmo é amiga dele, não perdeu também a piada.

Um dia atrás do outro

Depois de escapar fedendo – o que é melhor do que morrer cheiroso – no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que ao cabo lhe manteve o mandato por um apertado placar de 4x3, o presidente Michel Temer continua a estratégia de se tornar o que já se alcunha em Brasília em uma espécie de Sarney 2.0: um presidente que completa o contrato de aluguel do Palácio do Planalto, mas sem perspectiva de poder suficiente para tocar o trote regular, o que se chama no linguajar político estadunidense de um “pato manco”. Mas poder à cabidela também é poder, portanto, Temer já enjambra um plano para arredar do seu pé aquele que, segundo a corte, tomou a tarefa de apear o presidente como algo pessoal: o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot. O mandato de Janot vence em setembro e é tradição que a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) faça uma eleição direta e secreta para escolher os três nomes – os três mais votados - que serão encaminhados ao Presidente da República, que idem, por

Porque hoje é sábado

É raro ouvir música boa nas emissoras de rádio hoje em dia. Se bem que esse negócio de “música boa” pode soar pernóstico eventualmente, pois o conceito mais reducionista de “música boa” é talvez aquele que mais bem lhe cai: “música boa” é aquela que você gosta. Por isso corrijo: é raro eu ouvir música que eu goste hoje em dia nas emissoras de rádio. Indo pra casa, fui surpreendido, hoje. O rádio me ofereceu Tim Maia, um dos menestréis errantes que fazem parte da trilha sonora da minha vida. Tim Maia foi um dos maiores expoentes da MPB. Um cantautor completo, pois além de compor e defender suas canções com um timbre de variação peculiar, cuidava pessoalmente dos arranjos que realçavam as suas melodias. A canção pura é uma pintura e o arranjo é a moldura do quadro, que lhe dá o devido valor se trabalhado com primor, sem exageros que possam abaçanar a composição. Tim fazia isso: não jogava notas fora. Mesmo usando os metais, o que é um perigo para quem não tem senso de limite, ele jamais

Apiúna, um brasileiro de 10 mil anos

O arqueólogo húngaro-brasileiro Mihaly Bányai encontrou no Parque Estadual do Sumidouro, em Lagoa Santa, Minas Gerais, um fóssil humano que, mais uma vez, levanta a polêmica de que o Sul da América não foi originariamente povoado apenas por migrantes vindos da Sibéria, através do Estreito de Bering, há cerca de 14 mil anos. É cientificamente comprovado, inclusive por marcações de DNA, que todos os índios do continente Sul da América descendem de melanésios e siberianos, mas a reconstrução em 3D do fóssil encontrado em Lagoa Santa (foto abaixo) pode ter o condão de reescrever esta história. É que Apiúna, como foi batizado o fóssil masculino, não tem os traços fenotípicos do leste asiático, mas dos africanos ou dos aborígenes australianos. Isso evidencia, juntamente com um fóssil feminino, com as mesmas características, encontrado na mesma Lagoa Santa, em 1975, batizado de Luzia (foto abaixo), que o continente foi colonizado por mais uma raça. A datação do fóssil de Apiúna o dá 10 mil an

A sorte, ou o azar, de Michel Temer

O TSE adiantou ontem (06), no julgamento da chapa Dilma-Temer, um debate que deverá ser enfrentado pelo STF em breve, no julgamento dos processos da Lava Jato: a delação pura e simples vale como prova? Sem ainda entrar no mérito da cassação da chapa, o que, caso proceda, pode tirar o presidente da República do Palácio do Planalto, a utilização ou não de informações coletadas com delatores da Operação Lava Jato, trazida aos autos com a petição inicial do PSDB, dominou o debate do julgamento que foi interrompido ás 22h de ontem e tem prosseguimento pautado para hoje (07), às 9h. O parecer do Ministério Público Eleitoral foi pela cassação da chapa, mas o relator do caso, ministro Herman Benjamin, ainda não divulgou o seu voto, eis que os debates ontem não ultrapassarem ainda as decisões das preliminares que antecedem o mérito do pedido. Benjamim, todavia, ao defender que a utilização de informações da investigação conduzida pela Operação Lava Jato, mormente as delações, podem ser usadas c

Opção menos danosa

O impagável Zé Simão, autointitulado “o esculhambador-geral da nação”, com as suas irreverentes e bem-humoradas tiradas da situação do Brasil, que, de cabo a rabo, parece atropelar a política, os políticos e a agenda sempre postergada das profundas mudanças que o país precisa para colocar em pé a retomada do crescimento econômico.

Trôpegos estrategistas

Em carta aberta de seis páginas, o que é uma temeridade, pois quase ninguém lê seis páginas hoje em dia, Serraglio faz um balanço da sua meteórica passagem na pasta da Justiça e não deixa de lançar adjetivos sobre os que não lhe queriam na pasta, que são os mesmos que lhe aproveitaram a fragilidade, causada pela operação Carne Fraca, para lhe arrancar da Esplanada. Mas a estratégia trôpega para mudar Serraglio de Ministério não deu certo, pois ele não topou o lance que manteria Rodrigo Loures, primeiro suplente, com foro privilegiado, o que deixou Temer em uma sinuca eventual: se fizer de Loures com ministro, Temer cometerá o mesmo desatino que Dilma cometeu com relação a Lula. Da mesma forma, se nomear, como os trôpegos estrategistas  querem, outro deputado federal do Paraná para ministro, a fim de que Loures retorne à Câmara Federal, recuperando o foro, o resultado do desatino é o mesmo,  pois ambas as soluções são puras conveniências. Mas os trôpegos estrategistas não conseguem ter

Dinheiro envolvido na corrupção global seria a 8ª economia do mundo

Há aqueles que pensam que a corrupção existe apenas no Brasil e é praticada exclusivamente por políticos: ledo engano. A corrupção é um mal global, que permeia as alcovas do Vaticano, passa pelas mais vetustas repúblicas e não escolhe pistas exclusivas para pouso. Quem afirma que a corrupção é uma "indústria global" é a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que congrega 35 países democráticos, na sua maioria economias com elevado PIB per capita e IDH alto. A OCDE e o Banco Mundial publicaram na terça-feira (30) um informe onde reportam que a corrupção movimenta por ano cerca de US$ 2 trilhões, o que é quase o PIB da França em 2015 (US$ 2,4 trilhões) e é superior ao PIB do Brasil no mesmo ano (US$ 1,8 trilhão). A propósito, se o valor movimentado pela corrupção global fosse um país, este seria a oitava economia do mundo. O levantamento referido estima que “ o dinheiro anual destinado à corrupção é metade de tudo o que o mundo precisa para garantir