Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2017

Pesquisa Datafolha mostra Lula liderando em todos os cenários

Pesquisa Datafolha publicada ontem (29), a primeira depois da divulgação dos ex-executivos da Odebrecht, ratifica o que outros institutos de pesquisa têm mostrado ao longo de 2017: o ex-presidente Lula se mantém absoluto na primeira posição, mesmo debaixo da peia da Justiça e da imprensa. O Datafolha revela ainda que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) cresceu a ponto de já se ver um cenário em que ele aparece empatado, em segundo lugar, com a ex-senadora Marina Silva (Rede), que já disputou a eleição presidencial por duas vezes, o que é índice de que o Brasil segue uma tendência mundial de guinada para a extrema direita. Outra constatação da pesquisa é que as lideranças presidenciáveis do PSDB, diferentemente de Lula, não resistiram às bordoadas da Lava Jato e foram praticamente à lona: os senadores Aécio Neves e José Serra, juntamente com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, derreteram nas intenções de votos, restando ao neotucano João Dória, atual prefeito de S. Pa

Os prováveis pontos da delação premiada de Antonio Palocci

Matéria da revista IstoÉ reporta um tease do que seria a delação que o ex-ministro Antonio Palocci estaria negociando com o Ministério Público Federal. A primeira confissão de Palocci seria que ele é mesmo o "Italiano" das planilhas da Odebrecht, em cuja coluna correspondente aparece o recebimento de R$ 128 milhões. Como sempre, as partes das delações que mais assanham a imprensa são aquelas que podem incriminar o ex-presidente Lula e nesse particular a suposta proposta de delação de Palocci afirma que ele mesmo criou uma “conta-propina destinada a atender demandas do ex-presidente Lula”. Essa conta teria sido criada depois de um acordo entre Lula e os executivos da Sete Brasil, em 2010, e para ela teriam sido irrigados um total de R$ 51 milhões que eram movimentados por demanda exclusiva do ex-presidente. O maior saque dessa conta foi um valor de R$ 13 milhões, efetuados em dinheiro vivo, pelo ex-assessor de Palocci, Branislav Kontic, e entregue para Lula. Palocci também

Uma no cravo e outra na ferradura

O Senado Federal resolveu ontem (26) fazer a palha da cana voar e aprovou, de afogadilho, as mudanças na lei de abuso de autoridade e o fim do foro privilegiado. A primeira sai do Senado e vai à Câmara Federal, onde ainda pode sofrer mudanças, e nesse caso voltará ao Senado para apreciar o que foi mudado. Caso a Câmara Federal chancele o texto aprovado no Senado, este irá à sanção presidencial. Após a publicação da lei, sem distinções, toda a turma que tiver excelência ou meritíssimo na frente dos nomes de pia estará sujeita às letras da lex, que não é tão dura e restritiva como a imprensa, e as excelências da magistratura e ministérios públicos tentam verter, mas é a lex que doravante tipificará os abusos, que com certeza praticam, pois embora a frase não seja de nenhum luminar, e sim de mim mesmo, “quem tem autoridade abusa dela”. E não, ao contrário do que os arautos do fim da Lava Jato profetizam, a lei de abuso da autoridade não mexe em um milímetro das investigações correntes e

Uber contrata Embraer para projetar carros voadores

As tecnologias disruptivas causam alvoroço negativo quando abocanham o mercado feito leviatãs famintos, mas são inexoráveis e acabam provendo evolução em todos os níveis. É o caso da Uber, que apesar dos percalços em mercados resistentes e da falta de sintonia fina no manejo de sustentabilidade financeira, firmou-se de vez no mercado de transporte individual terrestre e já caminha para carenar a modalidade no transporte aéreo de curto espaço, no que seria um quê de evolução dos drones. No que tange à tecnologia ponta a ponta – prestador/usuário – a Uber já tem a maior base mundial na área que atua. Esse estoque é de fácil migração para o transporte aéreo de curto percurso. A Uber já oferece isso em algumas cidades, com o Ubercóptero. Mas o serviço Ubercóptero é limitado, pois o uso do helicóptero para transporte individual ainda é relativamente caro. A Uber já está na onda de uma promessa de disrupção na qual já estão, além de meia dúzia de pequenas startups, gigantes como a Google,

Prova de fogo

O governador, como qualquer cidadão ameaçado processualmente, tem todo o direito de buscar, por todas as formas legais cabíveis, estancar a investida. A saia justa nesse episódio será, mesmo, a primeira prova de fogo do procurador-Geral do Ministério Público do Estado, Gilberto Valente Martins, segundo colocado na lista tríplice, mas mesmo assim nomeado pelo governador Simão Jatene. Em tese, a autonomia e independência do MP determinam que o Procurador-Geral do MP defenda incondicionalmente a autorização assinada pelo seu antecessor, que é peça não de uma pessoa, mas da instituição. Mas a teoria na prática pode ser diversa.

Intifada solitária

Os eternos e constantes conflitos entre israelenses e palestinos na Cisjordânia, continuam sendo pasto fértil para o jornalismo fotográfico. No flagrante acima, em confrontos na aldeia de Beita, um palestino atira pedras contra soldados israelenses postados do outro lado da barreira de fogo. A foto é de Jaafar Ashtiyeh/AFP

Morre Jerry Adriani um dos ídolos da Jovem Guarda

Em 1967, aos nove anos, cheguei a Belém, desde Tucuruí, para fazer admissão ao ginásio, um concorridíssimo vestibular, prestado por quem acabara o curso primário, para conseguir vaga no curso ginasial. Foi quando fui apresentado à televisão, que só começava a transmitir às 17h e saia do ar às 22h. A TV Tupi apresentava um dos meus programas preferidos: um musical chamado “A Grande Parada” que, dentre outros artistas, era apresentado por Jerry Adriani. O programa chamou-me a atenção porque para mim foi uma revelação ver “em carne e osso” o grande Jerry Adriani que eu costumava ouvir nos alto-falantes que o seu Manoel Seco, o dono do Bi-canal Sherazade, uma difusora que transmitia por fios por todo o centro de Tucuruí, comerciais e notícias entremeados com músicas: os “boca-de-ferro”, como chamávamos aquelas difusoras, eram as emissoras de rádio de então. Naquela época, segunda metade da década de 1960, Jerry Adriani estourava as paradas com “Um grade amor”, que constatei mais tarde se

Palocci vai falar

Muito mais que os políticos, que por todos os vértices já estão chafurdando à direita e à esquerda na Lava Jato, o mercado financeiro e empresarial nacional começou a procurar ansiolíticos depois da fala do ex-ministro Antonio Palocci no seu recente depoimento ao juiz Sergio Moro, cuja senha está na ilustração da postagem. A fala de Palocci foi um pedido de ajuda a Sergio Moro para destravar a sua proposta de delação premiada, segundo fontes guardadas a sete chaves, em tramitação há mais de um mês. Em não mais pairando a dúvida se Palocci fará , ou não , delação, ele fará, começam as especulações sobre não mais o que ele vai falar, mas o quanto vai falar, pois um ex-ministro da Fazenda com a envergadura política que ele teve na República, em se deliberando a rasgar o véu, como ele mesmo afirmou no depoimento, dará combustível para mais um ano de Lava Jato. Quanto aos políticos, Palocci teria a acrescentar mais do mesmo, na base daquele folhetim policialesco cujo bandido está preso po

Com ampla margem de vantagem, Lula lidera em pesquisa Ibope para 2018

Entre 11 e 17 de abril o Ibope realizou uma pesquisa cujo resultado não foi divulgado de imediato e agora, timidamente é postada na imprensa, escondida entre manchetes outras. A razão para a discrição é que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) “voltou a ser o presidenciável com maior potencial de voto entre nove nomes testados pelo instituto”. Revela a pesquisa que Lula tem cravados 30% de eleitores que responderam que “votariam dele com certeza” e mais 17% declararam que “poderiam votar” o que representaria um potencial de 47% de votos se as eleições presidenciais fossem hoje. No caminho de Lula de volta ao Planalto, todavia, ainda há duas pedras: a marcação cerrada da Lava Jato e uma potencial rejeição de 51% do eleitorado afirmando que “não votariam nele de jeito nenhum”. Esta rejeição, todavia, já foi 14 pontos percentuais maior, ou seja, está ocorrendo aquilo que eu sempre tenho sugerido aqui: a fissura da imprensa, aliada à saga justiceira dos que marcam Lula aos pouco

Até debaixo d’água

A fotógrafa russa Katerina Bodrunova mergulhou dois dançarinos de tango no mar e tomou diversas fotografias que estão em exposição em Moscou. Abaixo, três delas:

Eu, acusado

O Ministério Público Estadual, mais precisamente a Promotoria de Justiça de Barcarena, arrolou-me como um dos denunciados criminalmente pelos danos ambientais causados com o naufrágio do navio Haidar, no Porto de Vila do Conde. Tenho total clareza de que não contribui subjetivamente para o episódio - que foi um caso fortuito até hoje não elucidado - única maneira jurídica possível para que eu, ou qualquer pessoa física, seja condenado criminalmente em tal evento. Destarte o posto, o Promotor de Justiça que assinou a peça enxergou nas condutas das pessoas físicas que denunciou, ações ou omissões que estabeleceram nexo causal com o evento e suas consecuções. Isso deve ser respeitado no campo pleiteado, pois a Promotoria tem o dever de denunciar quando se convence de razões para isso. Os denunciados foram Barbar Abdulranhman, capitão da embarcação Haidar, Hussein Ahmad Sleiman, proprietário da Empresa Tamara Shipping Co Ltda, Parsifal de Jesus Pontes, presidente da Companhia Docas do Pa

Raça sossega leão

O menos que vale mais

Por incrível que possa parecer, o Banco Central consegue imprimir cédulas de real na Suécia e despacha-las para o Brasil, chegando aqui as cédulas mais baratas do que conseguiria fazê-lo na Casa da Moeda do Brasil. A primeira leva de reais “Made in Sweden” chegou ao Brasil, sem alardes, em janeiro desse ano (2017). Foi uma leva de cem milhões de cédulas de dois reais pelas quais o Banco Central do Brasil pagou à sueca Crane AB, especializada em imprimir cédulas para diversos países, R$ 20,2 milhões. Cada lote de mil cédulas de dois reais impressas pela Crane AB chegaram ao Brasil por R$ 202,05. Este mesmo lote, se impresso na Casa da Moeda, custaria R$ 242,73, 20% a mais do que impressas alhures. A Casa da Moeda, que também já foi palco de operação da PF em 2015, que se cuide, pois além de produzir a preço mais alto ainda não consegue atender à demanda, que foi o que causou a busca da Crane AB. Nas as notas de dois reais impressas na Suécia, além do valor de face, passaram, pela esp

Flor-do-beijo

Devido a sua forma peculiar, a Psychotria Elata é também conhecida como a flor-do-beijo, flor-de-lábios ou lábios-de-prostituta. Geralmente encontrada na Colômbia, Equador, Panamá, Jamaica e Costa Rica, é uma espécie vegetal ameaçada de extinção.

De Chomsky, para Lula

Aos 88 anos, o norte-americano Avram Noam Chomsky continua sendo uma das maiores referências acadêmicas da sua área no mundo. Mas não é somente como o “o pai da linguística moderna” que Chomsky é ouvido e cheirado. Ele empresta a inteligência cognitiva no campo da filosofia analítica ao articulismo político, o que faz com que, não raro, as suas opiniões no ramo sejam lidas como sentenças. Um dos últimos ícones da esquerda pura mundial, Chomsky já foi um dos mais ferrenhos defensores de Lula, mas pela frase, proferida em entrevista ao "Democracy Now", colada na ilustração, a expetativa da transformação que ele tinha trasmudou-se em decepção, na mais boa rima de que o lulopetismo meteu os pés pelas mãos. Latu sensu, a desilusão de Chomsky coincide com a sinceridade de outro arauto do esquerdismo transnacional, o escritor brasileiro Jorge Amado, que na sua prazerosa autobiografia, “Navegação de Cabotagem”, nos idos da década de 1990, expeliu os equívocos do “marxismo aplicado

Urbi et Orbi

O papa Francisco ministra a benção Urbi et Orbi no Domingo de Páscoa (16), na Praça de São Pedro, em Roma.

Goela muito aberta

O ex-executivo do grupo Odebrecht, Hilberto Mascarenhas, responsável pela “Área de Operações Estruturada”, que realizava o pagamento de vantagens indevidas, principalmente à políticos, mas com índios, garimpeiros e até as Farc na planilha, entregou à Procuradoria Geral da República a movimentação financeira da área entre 2006, quando os valores começaram a ser “oficialmente” contabilizados”, até 2014, quando foi desmontado no olho do furacão da Lava Jato. As planilhas demonstram uma movimentação de US$ 3,370 bilhões, o equivalente a R$ 11,5 bilhões em 8 anos, ou R$ 1,43 bilhão por ano. De posse das planilhas, o jornal O Globo elaborou um infográfico que demonstra o crescimento dos pagamentos indevidos, que abaixo se cola: Emílio Odebrecht, em depoimento aos procuradores da República que o ouviram, disse que o “ esquema de corrupção existe há mais de 30 anos ”, no Brasil, o que não se deve desdizer, mas a profissionalização dele com o nível de sofisticação referente, foi a partir de 2

Feliz Páscoa

A Ressurreição de Cristo, óleo sobre tela do italiano Paolo Veronese. Feliz Páscoa!

Sabbatum Sanctum

A pintura acima, O Sepultamento de Cristo, do russo Viktor Vasnetsov, retrata o intervalo que se seguiu à descida do Corpo de Cristo da Cruz e Seu preparo para o Santo Sepulcro. Evento que ocorreu um dia após a crucificação, no Sábado Santo, marcando o final da Semana Santa.

Ex-deputado ironiza adversários na Lista de Fachin, mas leitor avisa que ele também está na lista

Há cerca de 40 deputados estaduais, prefeitos, governadores, ex-deputados e ex-prefeitos, que não estão incluídos na Lista de Fachin porque nela só estão os que têm foro no STF. Os alvos que não responderão a inquéritos no STF foram remetidos pelo ministro Fachin para os tribunais ou juízos singulares correspondentes aos respectivos foros. A ausência na Lista de Fachin, mas a remessa do nome às instâncias inferiores já causou o primeiro cordel do anedotário referente. O evento ocorreu em Pernambuco, quando o ex-deputado federal Paulo Rubem Santiago, ao ver na lista nomes de adversários, postou no seu Facebook uma catilinária contra os ditos: "Ministro Fachin aperta o cerco e toca inquéritos para todos os lados. Novidades: Pernambuco está bem representado no time a ser investigado. Vai do ex-prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Vado da Farmácia, passa por ex-governador e Senador, atual Deputado Federal Jarbas Vasconcelos, segue pelo Senador Fernando Bezerra Coelho e pelo &qu

Boto-cor-de-rosa

O turista norte-americano Michel Watson flagra um boto-cor-de-rosa dando ao ar da sua graça no Rio Negro, nas proximidades de Manaus.

Telecomunicações geraram R$ 63,8 bilhões em impostos em 2016

A Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil) publicou em seu portal que a arrecadação de tributos sobre os serviços de telecomunicações no Brasil somaram, em 2016, R$ 63,8 bilhões, que “representa um crescimento de 6% em relação ao valor arrecadado no ano anterior”. O Brasil está no topo dos países com carga tributária mais alta sobre os serviços de telecomunicação, que incluem telefonia celular e fixa, internet e serviços pagos de televisão. O aumento de 6% mencionado na arrecadação tributária não se deu em virtude de expansão da base de usuários, mas pelo aumento progressivo da alíquota dos impostos cobrados, que vem em um crescendo constante desde 2002, quando a carga tributária média sobre os referidos serviços era de 35,1%, chegando a 47,4% em 2016, conforme se lê no gráfico abaixo: Grosso modo, tendo como base a carga tributária referente de 2016, quando você compra R$ 10 de crédito para o seu celular, R$ 4,74 vão para os cofres do erário e R$ 5,26 é o que efet

Todos os ex-presidentes foram citados como tendo recebido “vantagens indevidas” da Odebrecht

As delações de ex-executivos da Odebrecht trazem uma peculiaridade única que está repercutindo no Brasil e no exterior. No sentido horário, na fotomontagem acima, no sentido horário, os ex-presidentes José Sarney (PMDB), Fernando Collor (PTC), Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT), todos citados nas delações premiadas dos executivos da Odebrecht e todos responderão a inquéritos. Dos citados acima, apenas Collor consta na Lista de Fachin e responderá a inquérito no STF, porque é Senador e tem foro privilegiado. Os demais não estão na lista porque não têm cargo que os garanta o foro do STF, portanto o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato, remeteu os pedidos de inquérito feitos pela Procuradoria-geral da República para a instância inferior.

Marilyn Monroe por Ben Heine

Um dos mais populares sex symbols da cultura pop norte-americana, a atriz e modelo Marilyn Monroe continua rendendo ensaios gráficos . Acima, a arte digital do belga Ben Heine, visita Miss Monroe.

A Lista de Fachin

A Lista de Janot a partir de ontem à noite (11), quando foi publicado o despacho do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, passou a se chamar Lista de Fachin. Coube ao jornalista Fausto Macedo, do jornal Estado de S. Paulo, o furo com o despacho que determinou abertura de 83 inquéritos contra 108 pessoas. Todas com foro privilegiado por deterem algum cargo na República. Fachin determinou a abertura de inquéritos contra nove ministros do governo Temer, 29 senadores, inclusive o atual presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), 42 deputados federais, inclusive o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), três governadores e um ministro do TCU. Há outros investigados que não têm foro privilegiado, mas estão relacionados aos fatos envolvendo os políticos e autoridades da lista e que portanto se valem do mesmo foro. Os inquéritos foram abertos com base nas delações premiadas dos 78 executivos da Odebrecht. Os senadores Aécio Neves (MG

Turismo no Pará

O poder da mente

Olhe fixamente para o trem em movimento e você poderá faze-lo mudar de direção apenas determinando isso com a mente.

Marcelo Odebrecht delata Lula, Palocci e Mantega e depoimento, sigiloso, é transmitido online

No depoimento de ontem (10) do empresário Marcelo Odebrecht ao juiz Sérgio Moro, praticamente vazado à imprensa ao mesmo tempo em que era concedido, o ex-presidente Lula e o ex-ministro Antonio Palocci foram “redelatados”, pois que o conteúdo da delação premiada de Odebrecht, nas mãos do ministro do STF, Edson Fachin, faz as mesmas afirmações. No depoimento, em outro processo que responde na constelação da Lava Jato, Marcelo afirma sem titubear que o "Amigo" das planilhas de propina da Odebrecht era o ex-presidente Lula, o “Italiano” era Antonio Palocci e Guido Mantega era o "Pós-italiano". Na referida planilha, ao “Italiano” foi entregue R$ 128 milhões. Segundo a força-tarefa da Lava-Jato, esse valor teria sido destinado ao PT, através de Palocci. O “Pós italiano” está referido na planilha com um valor de R$ 50 milhões. Ao ex-presidente Lula, especificamente, Marcelo Odebrecht afirma ter repassado um total de R$ 16,4 milhões, quantia que teria sido usada para a co

Eduardo Cunha estaria propondo delação premiada?

Contam as paredes da carceragem da PF de Curitiba que o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o corretor Lúcio Funaro planejam fechar acordo de delação premiada com a PF, nos moldes do que foi fechado pelo marqueteiro Duda Mendonça. Como poucos políticos sobram para serem apontados, Eduardo Cunha, por suposto, estaria oferendo como prato principal a explosão do setor empresarial do Brasil, principalmente os gigantes do setor de carne, que tomaram mais de R$ 30 bilhões do BNDES nos áureos anos do lulo-petismo.

De Donald Trump para Kim Jong-un

No rescaldo do final da Segunda Grande Guerra a Coreia se dividiu em duas, partindo ao meio a Península da Coreia. A fronteira entre os dois países que se formaram – Coreia do Norte e Coreia do Sul - é uma das mais militarizadas do mundo e o regime totalitário de Pyongyang é uma constante fonte de instabilidade na região. Na quarta-feira passada (05), Pyongyang testou o sexto míssil balístico de médio alcance em dois anos, que depois de percorrer 60 km caiu no Mar do Japão, em franca violação às resoluções da ONU. Abespinhados, EUA e Coreia do Sul afirmam que a Coreia do Norte “pode desenvolver em menos de dois anos uma ogiva nuclear, que teria condições de atingir o território americano”, mais precisamente o Havaí, ameaçando a frota do Pacífico Norte da Marinha estadunidense. A suposta ameaça faz os EUA olharem pelo retrovisor até 1941, quando a Marinha Imperial Japonesa bombardeou Pearl Harbour, também no Havaí, evento que marcou a efetiva entrada dos EUA na Segunda Guerra Mund

Faltando um pedaço

Esculturas em bronze do artista francês Bruno Catalano, cravadas na beira-mar da cidade mais antiga da França, Marselha.

De Donald Trump para Bashar al-Assad

O ditador sírio Bashar al-Assad, em guerra intestina com forças que lhe querem tomar o poder, ultrapassou a linha roxa na terça-feira (04) ao ordenar ataque aos seus desafetos com armas químicas que mataram pelo menos 100 civis, inclusive crianças. O evento minou o que restava de resistência no presidente dos EUA, Donald Trump, que titubeava em meter o seu governo na tradicional doutrina bélica estadunidense, mais especificamente no caso da Síria, eis que Putin insiste em proteger o regime de al-Assad, por interesses geopolíticos russos. Intoxicado pelo gás Sarin que al-Assad espargiu, Trump apertou o botão da retaliação na própria terça-feira (04) e ontem (06) duas belonaves táticas dos EUA, desde o Mediterrâneo, cuspiram não menos que 50 mísseis Tomahawk sobre a base militar síria de Shayrat, localizada na cidade de Homs, de onde, por suposto, partiram as aeronaves usados para o ataque com gás Sarin. Segundo relatório de danos, o ataque tirou do ramo todo o equipamento da base,

Duda Mendonça também delata

Na esteira de João Santana, mas antes, todavia somente ontem (05) revelada, outro marqueteiro resolveu alcaguetar os porões da República. Trata-se de Duda Mendonça (foto), que, segundo reporta O Globo, há dez dias fechou acordo de delação premiada junto à Polícia Federal. O acordo já foi protocolado no STF e o ministro Edson Fachin já o remeteu à Procuradoria Geral da República para parecer. Dizem que o prato principal da delação de Duda Mendonça são todos os serviços gráficos feitos por fora na campanha Dilma-Temer em 2014.

De Marcos Neves para Simão Jatene

Como desgraça pouca é bobagem, depois que a blindagem que o governador Simão Jatene (PSDB) sempre manteve como veste foi rompida com a cassação do seu mandato pelo TRE-PA, outros dardos são arremessados rumo à casamata que ele construiu para morar. Ontem (05), o tiro partiu de alguém tido nas crônicas políticas do Grão-Pará como um dos principais, e mais providenciais, defensores de Simão Jatene: o procurador-geral de Justiça e chefe do Ministério Público do Pará, Marcos Antonio Ferreira das Neves. Neves vive os estertores do seu mandato, mas antes de passar o cargo ao sucessor, delegou poderes - somente o procurador-geral pode processar o governador do Estado – para o promotor de Justiça Armando Brasil e para o procurador de Justiça Nelson Medrado, “ para ingressarem, em conjunto, com a ação civil pública correspondente ”, que no caso é uma ação de improbidade administrativa, contra Simão Jatene. Abaixo o item 5 do ato assinado por Neves, um pesado petardo contra Simão Jatene: A aç

O crescimento de Xangai

Xangai, na China, é a cidade que  mais cresce no mundo. Carlos Barria, fotógrafo da Reuters, pegou uma fotografia de 1987 da cidade e a comparou com outra, tomada do mesmo lugar e com mesmo ângulo, em 2016. Abaixo o resultado:

PSDB lidera a lista de governadores com problemas na Justiça

O PSDB é o partido com mais governadores com problemas com a Justiça. Dois deles respondem a processos que lhes ameaçam os mandatos e um deles, Simão Jatene, governador do Pará, teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral, acusado de abuso de poder político e econômico. Em segundo lugar na lista de governadores que podem não concluir o mandato está o PMDB, empatado com o PT, com dois cada um e em terceiro lugar o PROS, com um governador. Abaixo a lista:

Quanto ganha o presidente da Vale?

O salário mensal do novo presidente da Vale, Fabio Schvartsman, será de R$ 550 mil. Mas a remuneração do presidente da mineradora vai muito além disso. De bônus e vantagens diversas o total recebível anual pode chegar a R$ 12 milhões. Além, é claro, das prerrogativas do cargo, como um jato Falcon 2000 LX à disposição.

A Lava Jato chega ao marketing político

Embora se possa intuir que pouca, quase nada, se tem a escrever sobre a Lava Jato, conclui-se que a realidade e bem mais criativa que a ficção, principalmente em se tratando de política nacional, onde a regra, sem trocadilhos infames, tomou o torto pelo reto. Eis que mais uma delação premiada promete fazer voar mais excremento no ventilador e, pelo jeito, coisa nova, pois não se aceita acordos de delação cujo teor já tenha sido delatado. Trata-se do acordo do publicitário João Santana e sua mulher, Mônica Moura, cujos termos já estão lavrados e se encontram no gabinete do ministro Edson Fachin, relator dos processos da Lava-Jato no STF, para homologação. Como se sabe, Santana foi o mago do marketing das três mais recentes eleições presidenciais do PT: 2006, quando Lula venceu; e 2010 e 2014, quando Dilma Rousseff ganhou. João Santana e Mônica Moura foram presos em fevereiro de 2016 e em agosto do mesmo ano, após admitirem ter recebido recursos do PT no exterior pagarem fiança de mais

A cultura do encarceramento

A concessão de prisão domiciliar à Adriana Ancelmo, esposa do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), o exagerado, foi seguida de indignação. O Ministério Público Federal (MPF) também resolveu dar um chute no defunto e recorreu da decisão que concedeu prisão domiciliar, requerendo que Adriana Ancelmo volte ao cárcere, de onde jamais deveria ter saído. Seria, na minha contumaz opinião de intuir que prisão não deve ser regra, mais correlato se o MPF peticionasse a quem de direito, que às dezenas de milhares de mães presas, cujos casos guardem similaridade, fosse dada a liberdade nas mesmas condições de Adriana Ancelmo.