Pular para o conteúdo principal

Xiaomi, terceira maior fabricante de celulares do mundo, chega ao Brasil em agosto

Shot 009

Recebi convite da fabricante chinesa de celulares Xiaomi, para participar do lançamento da marca no Brasil, no dia 30 de junho, em São Paulo.

A Xiaomi, fundada em 2010 por Lei Jun, que é chamado pelos corredores da tecnologia de Steve Jobs chinês, já vale US$ 46 bilhões e já é a terceira maior fabricante de celulares do mundo, atrás apenas da Samsung e da Apple.

Lei Jun tenta desembarcar no Brasil há um ano, mas a burocracia o tem segurado, mas pelo visto conseguiu todos os carimbos e vai começar a fabricar os seus aparelhos em agosto.

O consumidor agradece, pois os aparelhos da Xiaomi são os melhores fabricados na China, não ficam a dever em nada à qualidade dos tops de linha da Samsung e da Apple e, principalmente, são menos caros.

O top de linha da Xiaomi, por exemplo, o Mi Note Pro, é um octa core com 4GB RAM, 64GB ROM, display de 5.7” com resolução de 2560x1440, vidro Gorilla Glass e carenagem metálica em alumínio: um aparelho superior ao top da Samsung e da Apple, que deverá ser vendido no Brasil por cerca de R$ 2,5 mil.  

Shot 010

Comentários

  1. Francisco Màrcio16/06/2015, 21:42

    O que leva V. Excelência ser convidado pelo chinês? Será a alegada ( pelos adversários, por mim, não. )proximid$d$ com a Sol?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vá ver que o Lei Jun também acredita nisso...
      Mas os convites para eventos de tecnologia sempre me chegam por conta de atividades tecnológicas que eu, por puro diletantismo, participava e ainda participo.
      Tive um caderno de informática, aos domingos, na extinta e saudosa Província do Pará. Comprei uma das primeiras BBS de Belém, a Compudata, que transformei em um dos primeiros provedores de Belém. Na primeira COMDEX, em 1979, em Las Vegas, que por 24 anos seguidos (eu fui nas 24) foi uma das maiores feiras de informática do mundo, eu estava, juntamente com o Mandic, que fundou a primeira BBS de SP. A COMDEX também teve as suas edições nacionais, em São Paulo, e imagine se eu perdia alguma. Na última COMDEX, em Las Vegas, 2003, também estávamos eu e o Mandic e na primeira Consumer Electronics Show, também em Las Vegas, em 2008, que hoje é a maior feira de tecnologia do mundo, eu estava e vou sempre que dá.
      Já estou, portanto, em todas as listas de convidados desses eventos, afinal eles precisam encher o ambiente de formadores de opinião na área e com o portfólio de presenças, a turma pensa que eu sou formador de opinião. Que eles nunca saibam que sou apenas um aficionado, ou nunca mais me mandam convites.

      Excluir
  2. Francisco Màrcio17/06/2015, 13:21

    Já que V. Excelencia está no ostracismo, nem o vento está lhe batendo nas costas ( é por isso que leio o blog, sempre aqui aprendo algo...), porque Sua Excelência não faz as vezes do saudoso Hélio Gueiros, escreve uma coluna dominical no jornal do seu chefe, de repente, ainda lhe sobra um dinheirinho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não quero ter essa obrigação. Quando eu tinha um caderno na província eu era escravo dele. Compromisso do tipo só com o blog já é suficiente.

      Excluir

Postar um comentário

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.

Postagens mais visitadas deste blog

Mateus, primeiro os teus

Convalescendo da implantação de um stent , o governador Simão Jatene (PSDB-PA) foi apanhado, ainda no Hospital do Coração (SP), na manhã de ontem (03), por uma desagradável matéria da “Folha de S. Paulo” reportando que “ao menos sete familiares, além da ex-mulher e da ex-cunhada” de Jatene exercem cargos de confiança no Executivo, no Legislativo e no Judiciário do Pará. A reportagem declara que, somados, os salários dos familiares do governador “ultrapassam R$ 100 mil mensais”. > Sem incidência de nepotismo As averiguações já foram matérias em blogs locais. Quando me foi perguntado se feriam a Súmula 13 do STF (nepotismo), opinei que não, o que foi agora ratificado pela reportagem da “Folha” que, ouvindo “especialistas” declarou que os “casos não se enquadram diretamente na súmula vinculante do STF”. Nenhum dos parentes ou afins relacionados pela “Folha” está a cargo de órgãos vinculados ao executivo estadual e a matéria não demonstra a existência de cargos ocupados, no Poder

O HIV em ação

A equipe do cientista russo Ivan Konstantinov arrebatou o primeiro lugar no “International Science and Engineering Visualization Challenge”, um concurso que premia imagens científicas da forma mais verossímeis e didáticas possíveis. Abaixo, a imagem em 3D do mortal vírus da Aids (HIV), em laranja, atacando uma célula do sistema imunológico, em cinza. A tática do HIV é se estabelecer dentro da célula, sem destruí-la. Na imagem abaixo foi feito um corte para mostrar o HIV já estabelecido no núcleo da célula imunológica, usando-a para se reproduzir, expelindo mais vírus que atacarão mais células imunológicas para torna-las hospedeiras, por isto o sistema imunológico do portador do HIV fica reduzido. As imagens foram retiradas do portal russo Visual Science .

Ninho de galáxias

A imagem acima foi liberada pela NASA e elaborada a partir de dados colhidos do telescópio VLT do Chile, o maior do mundo.   É o conglomerado de galáxias JKCS041, que vem a ser o mais distante ponto do universo visualizado até hoje: está a 10,2 bilhões de anos-luz da Terra.   1 ano luz é a distância que a luz percorre em uma ano, ou seja, se já tivéssemos tecnologia para viajar à velocidade da luz, a nave que nos poderia levar até a JKCS041 demoraria 10,2 bilhões de anos para chegar lá.   Mas, o que o VLT viu, não é o presente, e sim o passado: a luz emitida pelo conglomerado que agora chegou aos portões da Via Láctea, o nosso endereço no universo, saiu de lá há 10,2 bilhões de anos.   Passado este lapso de tempo, as coisas devem estar bem diferentes por lá.   Mas, o que eu quero mesmo é dar uma de Carl Sagan : na Via Láctea há milhões de sistemas, com milhares de planetas em cada um deles.   O JKCS041 é um conglomerado de milhares de galáxias, com milhões de s