Pular para o conteúdo principal

Lei dos portos passa ao largo da logística e não soluciona o custo operacional

Shot002

A nova lei dos portos fez muito barulho por nada e atendeu apenas à disputa entre o setor público e privado pelo controle de movimentação de carga em portos ineficientes.

> Burocracia portuária

Matéria da “Folha de S. Paulo” reporta que um navio “precisa entregar 190 informações ao governo” e como os órgãos não se comunicam, “a mesma informação segue em documentos diferentes para a Receita, a Marinha, a Anvisa e a Polícia Federal.”.

No Brasil, um navio passa 13 dias no cais, dos quais seis “são gastos com papelada”. Obviamente, o custo do navio parado repercute no frete e no preço final do produto.

Segundo dados do Banco Mundial, o porto de Cingapura é o campeão em liberação de carga: um dia. Em segundo lugar vêm os EUA: dois dias.

Como a logística compõe parte considerável do preço final do produto, aí está um enorme componente do custo Brasil: logística deficiente.

Narra a reportagem que para exportar um “contêiner no Brasil é mais do que o dobro do cobrado na Europa: US$ 2.215 aqui; US$ 1.028 lá.”.

> Logística inexistente e ineficiente

O engenheiro Paulo Resende, professor de logística da Fundação Dom Cabral, opina que a nova lei dos portos “é modernizante porque vai aumentar a concorrência entre portos público e privado. Mas porto é só origem e destino. Logística requer abordagem integrada entre porto, rodovia, ferrovia e armazenagem - e isso passou longe da MP.”.

Quando o Brasil constatar que leis são apenas parte da solução e se preparar para ter eficiência operacional na ponta, poderemos começar a pensar em competitividade internacional, mas com um prazo de 30 anos para construir 10 mil quilômetros de ferrovias (Plano Nacional de Logística) a um custo de R$ R$ 91 bilhões, estamos querendo enganar alguém, pois isso teria que ser feito em, no máximo, dez anos, e o custo chegaria a mais do que o triplo disso.

Comentários

  1. http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/1042/noticias/sumiu-uma-finlandia

    nossa contabilidade criativa...e o brasil indo pro fundo!! viva o pt...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.