Pular para o conteúdo principal

Entre o céu e o inferno a maioria vai de purgatório

Shot007

Pesquisa do Datafolha publicada ontem (24) revela que a maioria dos brasileiros, ainda, se declara católica (58%). No censo de 2010 do IBGE, 64,6% se declararam católicos e 21% evangélicos pentecostais.

Na pesquisa Datafolha, dos 58% que se declararam católicos, 74% acharam ótima ou boa a eleição do papa Francisco; 9% acharam regular e 2% opinaram que a escolha do conclave foi ruim ou péssima.

> Descompasso

A pesquisa ratificou o impasse no qual vive a Igreja Romana em todo o mundo: a maioria dos católicos deseja que sejam atualizadas algumas posições da Santa Sé.

A maior divergência entre os católicos e a sua própria igreja está no uso de métodos anticoncepcionais: 83% dos entrevistados opinam que a Igreja deveria liberar o uso de preservativos.

Depois, 77% defendem que deveriam ser liberados os anticoncepcionais e 61% defendem a liberação do uso da "pílula do dia seguinte" (o que a Igreja considera um método abortivo).

> Divórcio, ordenação de mulheres e celibato

Por uma pequena margem, a maioria dos católicos quer a aceitação do divórcio e a  ordenação de mulheres (58%) e querem ver o fim do celibato (56%).

> Casamento gay e aborto: pequena maioria não aceita

Por outro lado, 54% dos católicos concordam com a Igreja sobre a não aceitação do casamento gay e 57% são contra o aborto.

A pesquisa foi feita em 20 e 21 de março. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Comentários

  1. Deputado, acredita que no futuro a maioria - ainda que também pequena - dos católicos será favorável ao casamento gay e ao direito ao aborto, como já ocorre nos EUA?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que sim. A sociedade democrática caminha para uma tolerância cada vez maior com valores que não ameacem a segurança nacional e nem atinjam os seus bolsos. O argumento da ameaça à família não se sustenta sobre o assunto pois sempre haverá um equilíbrio natural que não permitirá que a espécie desande por influências intrínsecas.

      Excluir
  2. Mas o racismo está aí até hoje, deputado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Continuemos lutando contra ele. Ontem foi pior que hoje e amanhã será ontem depois de amanhã, ou seja, o ser humano sempre progride.

      Excluir
    2. Talvez você tenha razão, deputado.

      Veja esse relato que encontrei na web:

      https://www.facebook.com/photo.php?fbid=135380656630889&set=p.135380656630889&type=1&theater


      Uma empresa de grande porte como a TIM, ter uma iniciativa inclusiva dessas combate o preconceito.

      Ou na verdade eu estou sendo tola, acreditando em jogadas de marketing...


      Lúcia

      Excluir
    3. Mesmo que seja uma jogada de marketing o resultado é positivo, pois demonstra que a empresa está sensível à reação positiva da população às políticas inclusivas, pois se concluísse que a sociedade reprova essas políticas a empresa jamais vincularia o nome com elas.

      Excluir
  3. Por que será...

    http://www.sul21.com.br/jornal/2012/06/bancada-religiosa-a-mais-ausente-inexpressiva-e-processada/


    Lúcia

    ResponderExcluir
  4. A igreja não tolera nada, apenas a pedofilia e pederastia que reina entre seus membros. Ela indeniza quando precisa calar a boca de alguém mas não pune os membros ( padres, seminaristas e outros ) que a praticaram. Hipocrisia total.

    ResponderExcluir
  5. O Brasil está se tornando cada vez mais evangélico. Ninguém pode segurar o avanço da Igreja. Um aviso aos ativistas: Estão atirando no próprio pé. Deputado, o senhor tem alguma dúvida de que Marco Feliciano dobrará seus votos ano que vem para a Câmara Federal? Se antes só evangélicos votavam nele, agora, ele tem a simpatia dos católicos.

    Seremos brevemente um país de predominância evangélica.

    "Feliz a nação cujo o Deus é o Senhor"!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E daí se o Brasil se tornar uma "nação evangélica" como você diz?

      Religião é algo individual, diz respeito apenas à quem segue. Hoje o Brasil é um país de maioria católica, e você sabe, a Igreja é contra o casamento gay.

      Mas isso não impediu o Supremo Tribunal Federal de aprová-lo, lembra?

      Além do mais Nill, você só está contando uma parte da história, a que te interessa obviamente, mas eu te conto o resto: Atualmente no Brasil, são dois os grupos que mais crescem, o grupo dos evangélicos, e o grupo dos SEM RELIGIÃO

      "But while evangelicals have grown more powerful in Brazil, a new shift threatens churches of all stripes: the rise of secularism. Andrew Chesnut, an expert on Latin American religions at Virginia Commonwealth University, said that the fastest-growing segment in Brazil’s religious landscape may now be nonbelievers and people unaffiliated with any church, making up as much as 15 percent of the population."

      http://www.nytimes.com/2013/02/15/world/americas/in-brazil-growing-threats-to-catholicisms-sway.html?pagewanted=2&_r=0&ref=simonromero


      Viu só, Nill, como as suas premissas são falaciosas?

      Não importa a religião de A, B ou C, o importante é que TODOS respeitem o Estado LAICO!

      De acordo, dep. Parsifal?

      Excluir
    2. Alguém aqui está falando em desrespeitar o Estado Laico? Meu querido se leis anti-cristãs forem aprovadas (e já existem muitas nesse sentido) lutaremos contra, mas sempre de forma hordeira, não como muitos fazem, com protestos violentos e tudo mais. Se essas leis atingirem diretamente nossa fé aí a coisa ficará séria. Pois negar o que acreditamos é pior do que a cadeia ou a morte. Por enquanto a grande massa de evangélicos está adormecida pras questões políticas nesse país, mas quando se ver acuada pelos ataques a liberdade religiosa, aí todos acordarão e então vamos ver quem consegue arregimentar mais pessoas em prol de uma causa. Além do mais, pelo menos no que diz respeito a alguns assuntos, temos ao nosso lado a Igreja Católica, que apesar de perder fiéis, ainda é predominante no Brasil. Se precisarmos, caminharemos juntos contra os anti-cristãos. Mas como citei acima, de forma hordeira e vencendo no voto.

      Excluir
    3. Errado Nill: Infeliz é a nação quando a religião manda!

      Excluir
    4. Evangélicos e Católicos fundamentalistas tentam afrontar o Estado Laico o tempo todo no Brasil

      Excluir
  6. Quantos % desses "católicos" leram ao menos uma página do catecismo, ou estudaram a doutrina da Igreja? Aposto que não chega a 1%. Pessoal não sabe o fundamento de nada dessas coisas e quer opinar. Aliás, o mal da atualidade é esse: todo mundo tem opinião sobre tudo, memso que não tenha estudado/lido nada. Graças a Deus a Igreja não é uma democracia, mas uma hierarquia. É por isso que sobrevive a 2 ml anos de perseguições.

    ResponderExcluir
  7. O sonho distante dos milionários pastores evangélicos é ter maioria de seguidores no Brasil, para um dia assumir o governo federal e transformar a república numa ditadura teocrática e manter a população como massa de manobra ideológica.

    ResponderExcluir
  8. http://pointrhema.blogspot.com.br/2013/03/igrejas-poderao-questionar-leis-no-stf.html

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.