Governo cuida dos aeroportos e esquece infraestrutura terrestre, fluvial e marítima

shot002

Matéria de “O Globo” desse domingo (27) reporta que enquanto o governo concentra (necessários) esforços para melhorar a estrutura aeroportuária, principalmente visando a Copa e Olimpíadas, o transporte terrestre, marítimo e fluvial, que atende quase o dobro de passageiros, é legado a terceiro plano.

> Brasil investe menos da metade da média mundial

Em 2011 as aéreas nacionais transportaram 89,9 milhões de pessoas enquanto os ônibus, trens e navios carregaram 150 milhões de passageiros e só quem usa esse tipo de condução sabe a aventura que é viajar por estes meios pelo interior do Brasil.

Os dados da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) revelam que o Brasil investe 0,4% do PIB em transporte terrestre, fluvial e marítimo: isto é menos da metade da média mundial que é de 0,96%.

> Concessões poderiam mitigar a péssima malha terrestre

A má condição das estradas em todos os níveis da Federação foi responsável por uma morte a cada 40 horas em 2011: um número centesimamente maior que as mortes ocorridas em desastres aéreos no mesmo período.

Não haverá solução em curto prazo se o governo não fizer com as principais vias terrestres o que está fazendo com os aeroportos: conceder a exploração à iniciativa privada e dela cobrar os resultados que o DNIT não consegue entregar com os bilhões investidos todos os anos.

Comentários

Popular Posts

Ninho de galáxias

Mateus, primeiro os teus

O HIV em ação