Pular para o conteúdo principal

Pesqueiro levado pelo tsunami do Japão reaparece na costa do Canadá

navi

Uma patrulha aérea da Marinha canadense, em voo de rotina na costa da Columbia Britânica (Canadá), avistou um navio que parecia estar à deriva. Debalde as tentativas de contato, a Marinha resolveu abordá-lo e constatou que ninguém havia a bordo: era um navio fantasma.

> Pesqueiro passou um ano à deriva

A inspeção do número do casco indicou tratar-se de um pesqueiro japonês, o que se confirmou ontem (26): o barco desapareceu do porto de Hachinohe com o tsunami ocorrido no Japão em março de 2011, estando, portanto, uma um ano à deriva, tendo neste tempo atravessado o Pacífico Norte desde a costa do Japão até a costa do Canadá.

> Levado pela correntes

Fui ao mapa do Pacífico Norte e verifiquei as correntes marítimas que podem ter conduzido o pesqueiro: é certo que o tsunami que tirou o barco do porto jogou-o direto na corrente Kuroshio, que atravessa o Pacífico de Leste a Oeste até a costa do Canadá.

Com ¾ da Kuroshio percorrida, algum vento lateral mais forte que essa transferiu o barco para a corrente do Alaska, por isto ele foi encontrado na costa do Canadá e não na costa da Califórnia, nos EUA, onde a Kuroshio termina e faz o giro de volta ao Leste, com o nome de corrente Norte Equatorial.

fant

O proprietário do navio deveria jogar os números do casco na loteria japonesa: segundo as autoridades canadenses, o navio está intacto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mateus, primeiro os teus

Convalescendo da implantação de um stent , o governador Simão Jatene (PSDB-PA) foi apanhado, ainda no Hospital do Coração (SP), na manhã de ontem (03), por uma desagradável matéria da “Folha de S. Paulo” reportando que “ao menos sete familiares, além da ex-mulher e da ex-cunhada” de Jatene exercem cargos de confiança no Executivo, no Legislativo e no Judiciário do Pará. A reportagem declara que, somados, os salários dos familiares do governador “ultrapassam R$ 100 mil mensais”. > Sem incidência de nepotismo As averiguações já foram matérias em blogs locais. Quando me foi perguntado se feriam a Súmula 13 do STF (nepotismo), opinei que não, o que foi agora ratificado pela reportagem da “Folha” que, ouvindo “especialistas” declarou que os “casos não se enquadram diretamente na súmula vinculante do STF”. Nenhum dos parentes ou afins relacionados pela “Folha” está a cargo de órgãos vinculados ao executivo estadual e a matéria não demonstra a existência de cargos ocupados, no Poder

O HIV em ação

A equipe do cientista russo Ivan Konstantinov arrebatou o primeiro lugar no “International Science and Engineering Visualization Challenge”, um concurso que premia imagens científicas da forma mais verossímeis e didáticas possíveis. Abaixo, a imagem em 3D do mortal vírus da Aids (HIV), em laranja, atacando uma célula do sistema imunológico, em cinza. A tática do HIV é se estabelecer dentro da célula, sem destruí-la. Na imagem abaixo foi feito um corte para mostrar o HIV já estabelecido no núcleo da célula imunológica, usando-a para se reproduzir, expelindo mais vírus que atacarão mais células imunológicas para torna-las hospedeiras, por isto o sistema imunológico do portador do HIV fica reduzido. As imagens foram retiradas do portal russo Visual Science .

Ninho de galáxias

A imagem acima foi liberada pela NASA e elaborada a partir de dados colhidos do telescópio VLT do Chile, o maior do mundo.   É o conglomerado de galáxias JKCS041, que vem a ser o mais distante ponto do universo visualizado até hoje: está a 10,2 bilhões de anos-luz da Terra.   1 ano luz é a distância que a luz percorre em uma ano, ou seja, se já tivéssemos tecnologia para viajar à velocidade da luz, a nave que nos poderia levar até a JKCS041 demoraria 10,2 bilhões de anos para chegar lá.   Mas, o que o VLT viu, não é o presente, e sim o passado: a luz emitida pelo conglomerado que agora chegou aos portões da Via Láctea, o nosso endereço no universo, saiu de lá há 10,2 bilhões de anos.   Passado este lapso de tempo, as coisas devem estar bem diferentes por lá.   Mas, o que eu quero mesmo é dar uma de Carl Sagan : na Via Láctea há milhões de sistemas, com milhares de planetas em cada um deles.   O JKCS041 é um conglomerado de milhares de galáxias, com milhões de s