Pular para o conteúdo principal

A tragédia da 3 de maio

predio

O prédio que desabou no início desta tarde era um espigão de trinta andares e ruiu sobre a própria estrutura de 35 andares. A construtora Real, que o edificava, tem vários prédios prontos em Belém, e mais alguns em fase de construção.

O prédio estava em fase de acabamento. Não é correto afirmar que as chuvas, ou a passagem de um avião tenham derrubado o prédio: estes elementos, coincidentemente, ocorreram no momento em que a edificação ruiu.

Não é impossível, mas de remotíssima probabilidade, que um raio, tenha posto o prédio abaixo: a ocorrência seria uma singularidade de 1 para 10 milhões.

Pode-se intuir que há probabilidades de ter havido erros estruturais no projeto e/ou, na edificação, mas,   os motivos só serão elucidados após a devida perícia técnica.

Embora tenha havido notícia de que 30 operários laboravam ali no momento da tragédia, o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil confirmou que este número está retificado para 6 operários.

Pela visão dos escombros a probabilidade de resgate, com vida, destes 6 operários, expurga cálculos aritméticos e deixa somente a margem imponderável do milagre para ser considerada.

Duas pessoas foram resgatadas do local, com vida, mas, não se pode afirmar se eram operários ou transeuntes.

Que Deus permita que se faça o milagre.

bomb

Comentários

  1. Reginaldo Ramos30/01/2011 07:37

    Juízes cíveis e criminais e membros do MP deveriam saber dessa improbabilidade de fator natureza.
    Inacreditável que passados quase trinta anos não se tenha sentença transitada em julgado no processo do prédio Raimundo Farias.
    Não há contraditório nem ampla defesa que consiga afastar o fator humano.
    E o pior, nesse caso, como no anterior, trata-se de dolo eventual, não se pode discuti culpa consciente nem culpa strito sensu.
    Engenheiros da empresa, do corpo de bombeiro e do crea pouco se importaram com a vida de operários ou de futuros moradores.
    Entre corrigir problemas com perda certa de dinheiro, preferiram "não tô nem aí!", lamentavelmenet.

    ResponderExcluir
  2. Amigos o dia em que o crea punir um engenheiro o mundo acaba, o dia em que a corregedoria de polícia punir um delegado estaremos diante da descoberta da pólvora elétrica. Caros, todos os seguimentos profissionais do Brasil são dirigidos por hábitos e aatitudes polítiqueiras, onde a capacidade e competência são facilmente deixadas de lado pelo agrado pecuniário, infelizmente o cabide de empregos que manipula as grandes obras não só no Pará mas em todo o Brasil valem muito mais do que a vida de seres que trabalham cotidianamente para ganharem o pão de cada dia, onde está a segurança do Pará??? Perguntem aos donos de carros de cachorro-quente, eles lhes dizem o valor que pagam para os políciais ( um sanduíche por noite) é brincadeira ! Cadê os defensores públicos????? estão sempre olhando ao relógio nas audiências. Cadê os carros oficiais dos órgãos do governo???? Estão comprando grades de cerveja nos depósitos de bebidas. Cadê a saúde Pública???? Os médicos assinam o ponto e vão tirar plantão na Unimed. Cadê o delegado de plantão??? deve estar plantado em sua casa pois não es~´a na delegacia nem em viatura , pois ele mesmo disse que não tem. Cadê o Prefeito de bElém?? Viajando pela europa com a nova namorada. A´´i querem falar de que em nosso estado ele não tem mesmo como se desenvolver. Ahhhhhh e cadê os guardas de transito de Belém e Ananindeua???? Esses estão ! Mas , não organizando o transito, e sim , inventando seus próprios modos de tirar um agrana dos motoristas. è só a corregedoria passar na Alcindo cacela esquina com a antonio Barreto, que tem um velho cara de pau pegando até 9 reais pra tomar a cerveja, e na frente no sest senat domingo a noite ou sábado a noite que nem plantão tem , mas o guarda claudecir está sempre a postos pegando os 10zinho da rapazeeada, mas esses safados não estão na frente do colégio nazaré em horário de pico desfazendo a fila dupla e aplicando as devidas sansões aos motoristas infratores , pois estes são os manda-chuvas da cidade. o Pará é isso ! Por isso não evolui. Sem educação não há evolução. Isso é o início do caos, estamos apenas vendo a introdução de nossos futuros problemas. O povo paraense tem que se organizar com urgencia e cobrar dos picaretas do governo uma prestção de contas. Pra onde vai o nosso dinheiro ???????? queremos e mercemos saber. Carros oficiais a passeio ( em plena campanha contra dengue, carros da sesma com funcionários na cidade nova - bairro de ananindeua), em plena atividade banditícia a pm faz segurança particular de donos de padaria e farmácia, e os poucos pms que nao participam deste esquema tratam de fazer o seu, tirando dinheiro dos carrinhos de lanche na região metropolitana, e os demais serviços que citei aqui, se existem é pq precisamos , mas não para que sejam feitos em benefpicios de particulares. Chega!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.