Pular para o conteúdo principal

Eleição para a presidência da ALEPA

mesa

Há algo de aritmeticamente equivocado na próxima eleição para a presidência da Assembleia Legislativa do Pará.

O PSDB, cujo candidato posto é o deputado Manoel Pioneiro, conta trinta votos em sua tulha. O deputado Martinho Carmona, do PMDB, arrisca que já armazenou no silo a mesma quantidade de votos.

Como a ALEPA é composta por 41 deputados, há um déficit de 19 parlamentares na lide.

Contas à parte, com um ligeiro movimento tático ontem à tarde, somente por todo o dia de hoje, de vera, iniciam-se as conversas do estado maior sobre o assunto.

Não creio que os lances que protagonizaram a reeleição do deputado Domingos Juvenil para a presidência que se finda se repitam: as partes agora envolvidas tendem a um acordo, mas, isto é politica e se trata da eleição do presidente de um dos poderes do Estado…

Comentários

  1. O que será isto?
    Farra de emprego para a familia, nepotismo ou os dois juntos. Isto é uma vergonha!!!!

    PORTARIA Nº 1.058/2011-CCG DE 24 DE JANEIRO DE 2011
    O CHEFE DA CASA CIVIL DA GOVERNADORIA DO ESTADO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo Decreto nº. 2.163, de 6 de abril de 2006, e
    CONSIDERANDO os termos do Ofício nº. 001/2011 – GAB/SUSIPE,
    R E S O L V E:
    nomear ROSEANA BENTES CAPELONI para exercer o cargo em comissão de Vice-Diretor, código GEP-DAS-011.4, com lotação na Superintendência do Sistema Penitenciário, a contar de 1º de janeiro de 2011.
    REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE
    CASA CIVIL DA GOVERNADORIA DO ESTADO, 24 DE JANEIRO DE 2011.
    ZENALDO COUTINHO
    Chefe da Casa Civil da Governadoria do Estado

    PORTARIA Nº 1.061/2011-CCG DE 24 DE JANEIRO DE 2011
    O CHEFE DA CASA CIVIL DA GOVERNADORIA DO ESTADO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo Decreto nº. 2.163, de 6 de abril de 2006, e
    CONSIDERANDO os termos do Ofício nº. 001/2011 – GAB/SUSIPE,
    R E S O L V E:
    nomear IVALDO JOSÉ BENTES CAPELONI para exercer o cargo em comissão de Diretor, código GEP-DAS-011.5, com lotação na Superintendência do Sistema Penitenciário, a contar de 1º de janeiro de 2011.
    REGISTRE-SE, PUBLIQUE-SE E CUMPRA-SE
    CASA CIVIL DA GOVERNADORIA DO ESTADO, 24 DE JANEIRO DE 2011.
    ZENALDO COUTINHO
    Chefe da Casa Civil da Governadoria do Estado

    JR_ Cabano

    ResponderExcluir
  2. o será que o Domingos Juvenil foi fazer em um final de semana em Altamira a serviço do estado. Parece que estes dois poderes(Executivo e Legislativo) agora serão um só!
    Se for eleito um Presidente do PSDB, então meus amigos o estado do Pará vai pro fundo de vez.
    Vejam Só.
    RESUMO DA PORTARIA N°0008/2011-SCCG, DE 21 DE JANEIRO DE 2011.
    Nome : Clovis Dametto
    Cargo : Comandante de Aeronave
    N° de Diárias : 03.½ (três e meia)
    Origem : Belém/PA
    Destino : Altamira/PA
    Objetivo : Para transportar o Presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Pará e comitiva, ao referido município, a serviço do Governo do Estado.
    Período : 14 á 17/01/2011.

    Nome : Antonio Haroldo Coelho de Almeida
    Cargo : Comandante de Aeronave
    N° de Diárias : 03.½ (três e meia)
    Origem : Belém/PA
    Destino : Altamira/PA
    Objetivo : Para transportar o Presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Pará e comitiva, ao referido município, a serviço do Governo do Estado.
    Período : 14 á 17/01/2011.
    RESUMO DA PORTARIA N°0008/2011-SCCG, DE 21 DE JANEIRO DE 2011.
    Nome : Clovis Dametto
    Cargo : Comandante de Aeronave
    N° de Diárias : 03.½ (três e meia)
    Origem : Belém/PA
    Destino : Altamira/PA
    Objetivo : Para transportar o Presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Pará e comitiva, ao referido município, a serviço do Governo do Estado.
    Período : 14 á 17/01/2011.

    Nome : Antonio Haroldo Coelho de Almeida
    Cargo : Comandante de Aeronave
    N° de Diárias : 03.½ (três e meia)
    Origem : Belém/PA
    Destino : Altamira/PA
    Objetivo : Para transportar o Presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Pará e comitiva, ao referido município, a serviço do Governo do Estado.
    Período : 14 á 17/01/2011.

    JR- Cabano

    ResponderExcluir
  3. Ha,ha,ha então tá deputado, eu vou fazer que acredito que as conversas só agora estão começando. Não sei o motivo que leva os políticos a pensar que todos os eleitores são bobinhos, tolinhos....

    ResponderExcluir
  4. Imagina só. Manoel Pioneiro presidente da ALEPA! Onde vai parar esse Estado, Deus???
    E vc, Parsifal, meu amigo, deveria ser o presidente da alepa e não aceitar ser 1º secretário! Enfim... Já teve bicheiro presidente, pq não um pioneiro???

    ResponderExcluir
  5. Concordo com o Anônimo das 12:25:00, porém Parsifal não se manda. Por trás dele tem quem mande nele, Todos sabem quem é, não sabem. O Ficha Suja do Jader, sai desse Partido. Procura um que tenha gente de bem, ou funda um irmãozinho, é a melhor opção.

    ResponderExcluir
  6. e o marcio miranda nem entrou na briga? e vc tbm nao? e o megale, abriu mao de disputar a presidencia por nada? gostaria do seu comentário

    ResponderExcluir
  7. O deputado Marcio Miranda está pleiteando a primeira secretaria. O deputado Megale sempre apoiou o deputado Pioneiro.
    Eu jamais pretendi disputar a presidencia da ALEPA. Só me proporia, nestes primeiros dois anos, à presidência, se fosse fruto de um consenso entre o PSDB e o PMDB, com a anuencia dos demais partidos da base aliada.

    ResponderExcluir
  8. O PMDB não deve ir com muita sede ao pote.
    Recebeu o comando de cinco Secretarias e ainda que a presidência da Assembleia? Assim não dá. Isso deve ser apenas ambição do Carmona que vocês do partido não devem apoiar. Não abusem do Jatene.

    ResponderExcluir
  9. Deputado Parsifal, sou servidor efetivo da ALEPA, como tal admiro sua firme e destacada atuação parlamentar.

    No dia 21 de janeiro de 2011, ao se manifestar acerca de um comentário postado sobre o Post "EM BUSCA DO TEMPO PERDIDO", Vossa Excelência aduziu os seguintes argumentos:

    "(...). Acho que, sempre que possível, é necessário entregar cargos de confiança a profissionais do quadro institucional. Tenho convicção de que apenas o secretário deveria ser escolhido de fora do quadro. Pretendo fazer um pronunciamento sobre isto na ALEPA e levantar a discussão."

    Camões, constatava friamente em uma de suas odes, que:

    "... tudo passa; não sabe o tempo ter firmeza em nada."

    Excelência, é notório que as palavras voam; o que está escrito permanece como um monumento.

    Aprendemos a respeitá-lo como um homem de permanências, que quando planta, quer ver crescer a árvore até aos últimos galhos; e mastigar-lhe os frutos.

    Seu encanto maior é combinar a sobriedade na função parlamentar com a riqueza da palavra oral e com a dádiva do talento da escrita, cujo dom aguça os espíritos e ilumina as convicções.

    Pois bem, com a confiança inspirada na sua palavra e no seu posicionamento, que se coaduna com o dizer de Hariou, para quem os homens passam e as Instituições ficam para sempre. Mas, para que estas não pereçam ou se deteriorem, necessitam da seiva humana, dependem daqueles que a impulsionam e vivificam.

    Na Assembleia Legislativa não deve ser diferente, em cuja estrutura de cargos comissionados há os que são de DIREÇÃO e os que são de ASSESSORAMENTO. Os de DIREÇÃO pertinentes á área meio (de suporte administrativo) e os de ASSESSORAMENTO inerentes à área fim (de suporte à elaboração de proposições legislativas).

    No Ministério Público do Estado, se estabeleceu, por Lei, que 100% dos cargos de Direção são privativos de servidores efetivos do Parquet, enquanto que 80% dos cargos de Assessoramento podem ser preenchidos por pessoas que não pertençam ao Quadro Institucional.

    O § 4º do art. 5°, do Decreto Legislativo nº 70, de 13 de dezembro de 1990, que dispõe sobre os quadros de pessoal da Assembleia Legislativa do Estado do Pará e que foi recepcionado pelo Novo PCCS desta Casa, dá o seguinte comando:

    "Art. 5º. (...)

    § 4º - Os seguintes cargos em comissão, entretanto, serão providos por servidores ocupantes de cargo do quadro de provimento efetivo: Secretário Legislativo, Subsecretário Legislativo, Chefe de Gabinete do Secretário Legislativo, Procurador Geral, Chefe de Gabinete do Procurador Geral, Auditor Chefe, Coordenador da Consultoria Técnica, Coordenador da Assessoria Técnica, Diretor de Departamento, Chefe de Divisão, Chefe de Seção.

    Os cargos acima pertencem à área meio da Assembleia, isto é, de suporte administrativo, e totalizam 64 (sessenta e quatro) cargos.

    Outros 442 (quatrocentos e quarenta e dois) cargos comissionados da Assembleia podem ser providos por pessoas de fora do Quadro Institucional.

    O atual Presidente, Deputado DOMINGOS JUVENIL, violou o dispositivo supra transcrito, cujo cumprimento haverá de ser restabelecido pelo próximo Presidente, a fim de revigorar a auto-estima do Quadro Institucional e redirecionar a ética, a eficiência e a eficácia da futura gestão do Legislativo Estadual.

    Ilustre Deputado Parsifal, que seu pronunciamento pugne sobretudo - mais que tudo - pelo restabelecimento do respeito à lei e pelo revigor dos princípios da moralidade e da razoabilidade no provimento dos cargos comissionados da Assembleia. O exemplo tem que partir de casa, para que se possa arguir como referência.

    64 cargos comissionados (providos por servidores do Quadro Institucional);

    442 cargos comissionados (providos por pessoas de fora do Quadro Institucional).

    Pergunta-se, Excelência: 442 cargos comissionados é pouco pra ser repartido entre os Deputados e Partidos? 64 cargos comissionados é muito pra ser preenchido por servidores efetivos? Por favor, discorra sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  10. Com o Carmona na presidência da ALEPA o PT terá muito mais influência, pois quem defende o nome dele (declaradamente) são os deputados do PT. Contudo, hoje, o PMDB é muito mais governo do que na gestão petista. Ao que parece o PMDB tem sido mais ouvido (como partido aliado) no governo do PSDB, diferentemente do governo petista que privilegiou somente setores do PMDB. Inclusive, o Carmmona foi um desses setores amplamente privilegiados no governo petista, por isso, agora, é fácil para o PT apoiá-lo, concorda Parsifal?

    ResponderExcluir
  11. É isso ai anônimo das 23:48 já dizia minha avó: quem muito se abaixa o fundo aparece.No caso do Jatene já dá pra ver a cor da calcinha, é a...

    ResponderExcluir
  12. Em briga de cachorro grande, pequinêz e chiaua saem de fininho para não serem engolidos inteiros.Carmona foi presidente da ALEPA por quatro anos, enriqueceu mas não se dá por satisfeito. Quer repetir o prato! Santo Deus, assim já é demais. Deputado que for sério e comprometido com a justiça, não apoiará Carmona nem a peso de muito ouro. O povo tá de olho!

    ResponderExcluir
  13. "Acho que, sempre que possível, é necessário entregar cargos de confiança a profissionais do quadro institucional. Tenho convicção de que apenas o secretário deveria ser escolhido de fora do quadro. Pretendo fazer um pronunciamento sobre isto na ALEPA e levantar a discussão."

    (Jurista PARSIFAL PONTES, Deputado Estadual com assento na Assembléia Legislativa do Estado do Pará).

    As palavras voam; o que está escrito permanece como um monumento.

    Camões, constatava friamente em uma de suas odes: "...tudo passa; não sabe o TEMPO ter firmeza em nada."

    No entanto, há homens de permanências, que ao plantarem querem ver crescer a árvore até aos últimos galhos; e mastigar-lhe os frutos.

    Acreditamos que você, PARSIFAL, seja um desses homens, que, com estilo, energia e conceito, é leal à sua fé, é leal às suas convicções. Espírito público de luz, que inspira dádiva, devoção e dever, que ao contrário de ser valorizado pelo mandato é o mandato que é valorizado por ter você a encarná-lo. Não se trata de bajulação, mas de admiração e constatação.

    Na trilha da sua postura e iluminada conduta de homem público, que dignifica, honra e destaca o Parlamento Estadual, confiamos que tua voz se postará, ecoará e aguçará a defesa do cumprimento do comando legal estabelecido no § 4º, do art. 5º, do Decreto Legislativo nº 70, de 13 de dezembro de 1990, que dispõe sobre os quadros de pessoal da Assembleia Legislativa, dispositivo esse recepcionado pelo PCCS dessa Casa de Leis, cuja transcrição, literalmente, abaixo se faz:

    Art. 5º (...)

    § 4º - Os seguintes cargos em comissão, entretanto, serão providos por servidores ocupantes de cargo do quadro de provimento efetivo: Secretário Legislativo, Subsecretário Legislativo, Chefe de Gabinete do Secretário Legislativo, Procurador Geral, Chefe de Gabinete do Procurador Geral, Auditor Chefe, Coordenador da Consultoria Técnica, Coordenador da Assessoria Técnica, Diretor de Departamento, Chefe de Divisão, Chefe de Seção."

    Ressalte-se, Parsifal, que todos esses cargos são de Direção e da área meio (suporte administrativo), por sua vez, nenhum deles pertence à área fim, que abriga os de Assessoramento (suporte à produção legislativa).

    Destaque-se, também, que corresponde a 64 (sessenta e quatro) o quantitativo total desses cargos de Direção, enquanto que os de Assessoramento somam 442 (quatrocentos e quarenta e dois) cargos, para os quais a lei não exige que a investidura se dê por servidores do Quadro Institucional, como exige em relação aos de Direção.

    Ademais, esclareça-se que aqui não nos reportamos aos cargos comissionados de Secretário Parlamentar, por serem vinculados à verba de gabinete, como tal, regidos por legislação específica.

    Parsifal, desde já agradecemos a publicação dos esclarecimentos e da profissão de fé objetos deste comentário, na certeza da sua sempre cordial aquiescência à boa e substanciosa informação.

    Confiamos, firmemente, que o próximo Presidente do Poder Legislativo, fará cumprir e respeitar o que estabelece o dispositivo legal supra transcrito.

    Muito obrigado, grande LÍDER!

    ResponderExcluir
  14. 01:06:00,

    Acredito que a República deve profissionalizar cada vez mais o serviço público em todas as esferas da federação.
    Sou de opinião, também, que os parlamentares só poderiam dispor do chefe de gabinete e um motorista de livre nomeação e o restante dos servidores a que o gabinete tem direito deveria ser do quadro concursado do Poder.
    Isto seria melhor para todos. Como é hoje, quando o deputado pode nomear 20, 200 o procuram para as vagas e todos saem desgatados, inclusive os serviços.
    Isto é um processo que, talvez, eu não verei como político, mas, seria o ideal em uma República que quer ser séria.

    ResponderExcluir
  15. Sem exageros 12:57, mas a questão é: a lei é observada pela ALEPA ou a lei não vale nada na ALEPA? Outro detalhe : a briga pode até ser de cachorro grande, anônimo medroso, mas o dinheiro é público.

    ResponderExcluir
  16. Uma coisa é notória: a maioria dos efetivos da ALEPA NÃO QUER NADA X NADA, às 12:00 h. muitos já estão em suas casas, enquanto deveriam trabalhar até as 14.
    Isso é o Pará paid'égua!

    ResponderExcluir
  17. 19:50, acho que você não deve ser concursado em lugar algum, daí fica olhando só os efetivos. E os qualquer coisa que só aparecem no dia do pagamento, você não fala? Passe por lá e veja o número de carros estacionados próximo da ALEPA durante o mês e compare especificamente ao dia 27, quando sai a grana. Se informe direito e veja também a prática de nepotismo cruzado. Compare o número de efetivos (seiscentos e pouquinho) e o restante de DAS, comissionados, contratados e procure saber se está como a lei manda.
    Primeiro procure se inteirar dos fatos para depois falar alguma coisa que se aproveite.

    ResponderExcluir
  18. E o Deputado Juvenil, meu candidato ao governo do Pará, o que vai fazer a partir de 3 de fevereiro?

    Bem que o papai Jader poderia arrumar um carguinho para ele em Brasília.

    O Juvenil merece. Fez tudo direitinho como mandou o chefe.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.