Pular para o conteúdo principal

Riscos e rabiscos

Escher

Não é a primeira vez que colhidos documentos sigilosos de empresas, acham-se nos rabiscos das mesmas referências a doações, legais ou ilegais, a políticos de todos os partidos.

 

O exemplo mais recente, pela flagrância, é o imbróglio em que se vêem a construtora Camargo Corrêa e aqueles que junto com ela aparecem, homeopaticamente, na mídia.

 

Os partidos podem tentar ser diferentes no exercício dos respectivos mandatos de seus eleitos, mas, na hora de arrecadar para fazer a campanha, são todos iguais: valem-se dos mesmos meios permitidos e não permitidos em lei.

 

Daí porque, se embrulha em um mesmo papel o dinheiro entregue para fazer campanha, ao PT, PSDB, DEM e PMDB, só para citar os mais conhecidos.

 

Campanha custa muito dinheiro. E tenho sempre dito: todo o dinheiro trazido às campanhas, é público.

 

Se o Brasil ainda não se convenceu a instituir o financiamento público de campanha, a República vai continuar fazendo isto por baixo dos panos.

 

Uma reforma política séria e consequente, que institua o financiamento público de campanha como um dos seus objetos, não terá o condão de acabar com os desvios existentes, mas, retirará o fundamento deles: ninguém mais poderá pedir, ou receber, favores financeiros, sob a argumentação de que é para o partido.

 

Enquanto isto não ocorrer, qualquer flagrante policial, nos moldes deste que foi operado na Camargo Corrêa, em qualquer empresa que tenha ligação de obras ou serviços com o poder público, encontrará rabiscos similares.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mateus, primeiro os teus

Convalescendo da implantação de um stent , o governador Simão Jatene (PSDB-PA) foi apanhado, ainda no Hospital do Coração (SP), na manhã de ontem (03), por uma desagradável matéria da “Folha de S. Paulo” reportando que “ao menos sete familiares, além da ex-mulher e da ex-cunhada” de Jatene exercem cargos de confiança no Executivo, no Legislativo e no Judiciário do Pará. A reportagem declara que, somados, os salários dos familiares do governador “ultrapassam R$ 100 mil mensais”. > Sem incidência de nepotismo As averiguações já foram matérias em blogs locais. Quando me foi perguntado se feriam a Súmula 13 do STF (nepotismo), opinei que não, o que foi agora ratificado pela reportagem da “Folha” que, ouvindo “especialistas” declarou que os “casos não se enquadram diretamente na súmula vinculante do STF”. Nenhum dos parentes ou afins relacionados pela “Folha” está a cargo de órgãos vinculados ao executivo estadual e a matéria não demonstra a existência de cargos ocupados, no Poder

O HIV em ação

A equipe do cientista russo Ivan Konstantinov arrebatou o primeiro lugar no “International Science and Engineering Visualization Challenge”, um concurso que premia imagens científicas da forma mais verossímeis e didáticas possíveis. Abaixo, a imagem em 3D do mortal vírus da Aids (HIV), em laranja, atacando uma célula do sistema imunológico, em cinza. A tática do HIV é se estabelecer dentro da célula, sem destruí-la. Na imagem abaixo foi feito um corte para mostrar o HIV já estabelecido no núcleo da célula imunológica, usando-a para se reproduzir, expelindo mais vírus que atacarão mais células imunológicas para torna-las hospedeiras, por isto o sistema imunológico do portador do HIV fica reduzido. As imagens foram retiradas do portal russo Visual Science .

Ninho de galáxias

A imagem acima foi liberada pela NASA e elaborada a partir de dados colhidos do telescópio VLT do Chile, o maior do mundo.   É o conglomerado de galáxias JKCS041, que vem a ser o mais distante ponto do universo visualizado até hoje: está a 10,2 bilhões de anos-luz da Terra.   1 ano luz é a distância que a luz percorre em uma ano, ou seja, se já tivéssemos tecnologia para viajar à velocidade da luz, a nave que nos poderia levar até a JKCS041 demoraria 10,2 bilhões de anos para chegar lá.   Mas, o que o VLT viu, não é o presente, e sim o passado: a luz emitida pelo conglomerado que agora chegou aos portões da Via Láctea, o nosso endereço no universo, saiu de lá há 10,2 bilhões de anos.   Passado este lapso de tempo, as coisas devem estar bem diferentes por lá.   Mas, o que eu quero mesmo é dar uma de Carl Sagan : na Via Láctea há milhões de sistemas, com milhares de planetas em cada um deles.   O JKCS041 é um conglomerado de milhares de galáxias, com milhões de s