Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2017

Médicos residentes

A quantas andam os conhecimentos gerais de alguns nobres vereadores da pátria amada…

O último alvo…

Jorge Pontes (que não é meu parente) é delegado da Polícia Federal e ex-diretor da Interpol no Brasil. O artigo "O último alvo da Lava Jato", por ele assinado e publicado no blog do repórter Fausto Macedo, hospedado no portal do jornal Estado de S. Paulo, levanta um quê delicado que poucos têm coragem de tocar, pois os sujeitos passivos da lavra são os membros da magistratura nacional. Pontes sugere que alguns magistrados das mais altas cortes do Brasil teriam "proteção extra" e acredita que que “algumas turmas no STJ e alguns ministros do STF poderiam ser peças” do esquema que se desvenda com a Lava Jato, afirmando que “toda máfia, tem sua equipe de limpeza”. É fato que, por mais de uma vez, ministros do STJ e do STF foram citados em delações, mas absolutamente nenhuma providência judicial foi tomada para apurar a veracidade da citação, como de pronto é feito quando algum político é apontado. Abaixo, o artigo de Jorge Pontes:

Ele vai passar a limpo?

Todos os meus embates são eventuais. Para mim tudo acaba na hora que termina, por isso não desejo ao meu pior adversário aquilo que eu não gostaria que ele desejasse para mim. Não há franciscano e nem ismo algum nisso. Foi projeto de concepção: eu funciono assim mesmo. Algumas vezes, por pura conveniência, até levo desaforos para casa, mas jamais levarei rancor ou vendetas. Embora eu sempre tenha sido um ácido crítico de Eike Batista, sempre sugerindo que ele não passava de uma fraude, não faço coro com quem rejubila ao vê-lo no estado em que está, antes porque ele, pelo menos nesse evento da sua prisão, fez a coisa certa, qual seja retornar ao Brasil e submeter-se à vara da Justiça que lhe determinou a restrição da liberdade, mesmo diante da possibilidade de evadir-se à Alemanha, de onde é também cidadão, onde uma extradição, embora possível juridicamente, revestia-se de boa dose de improbabilidade. Preso ao desembarcar no Brasil, Eike está encarcerado em Bangu 9 e embora seja um pr

Enquanto isso no front de Mossul…

Um soldado iraquiano posa para uma foto cujo pano de fundo é um poço de petróleo incendiado pelos militantes do Estado Islâmico, antes de recuarem de Qayyara. A foto é de Muhammad Hamed, para a Reuters.

R$ 3,3 bilhões por ano se economizariam com uso de tornozeleiras eletrônicas

Depois da matança em série nos complexos penitenciários o governo federal anunciou como principais medidas a construção de cinco presídios federais e a liberação de R$ 800 milhões aos estados para que construam penitenciárias estaduais. A intelligentsia nuclear do sistema continua investindo no problema e não na solução. Mesmo esse “investimento” não passa de um pingo d´água no oceano, pois se e quando estiverem prontos, essas masmorras vão despressurizar apenas cerca de 3% do déficit de vagas hoje existente. Dado pouco reportado, além da superlotação dos presídios, que hoje têm o triplo de presos do que suportariam, aponta o Conselho Nacional de Justiça que há “564.198 mandados de prisão expedidos aguardando cumprimento no Brasil”. Esses mandados não são cumpridos porque não há mais como apertar as sardinhas nas latas: é que a lei da física de que dois corpos não ocupam o mesmo espaço ao mesmo tempo também vale para o sistema prisional. Como hoje, segundo dados do Departamento

Andreas Bitesnich

O fotógrafo austríaco Andreas Bitesnich tem um modo todo especial de trabalhar com as lentes e seus modelos, exaltando as formas atléticas do corpo humano, de ângulos peculiares.

O Ricardão que se deu mal

Marido flagra traição de esposa e coloca o Ricardão para correr nu. O  cara pediu desculpas, mas pelo jeito ele não aceitou…

A Alemanha pode, sim, extraditar Eike

Na pressa em dar notícias e avaliar fatos, a imprensa se tem tornado cada vez mais imprecisa, pois deixa de conferir o que irá imprimir. Isso é prejudicial, pois embora a alternativa dos blogs especializados seja uma fonte de informação em processo de consolidação, as pesquisas indicam que o leitor ainda acredita piamente no que lê na grande imprensa. Toda a grande imprensa publicou que “como Eike Batista é cidadão alemão”, caso ele desembarque na Alemanha “seria impossível a extradição para o Brasil”, pois a Alemanha não extradita seus cidadãos. Nenhum país, a priori, extradita seus cidadãos. Isso não quer dizer, no entanto, que um criminoso extra pátria ficará impune no país onde ele tem cidadania, pois o país em que foi cometido o delito poderá rogar que o criminoso seja julgado lá. Ainda, caso o país onde foi cometido o crime tenha, para o crime imputado, pena mais branda do que no país em que ele se encontra, e reúna condições de execução penal similares ou melhores, a extradição

Delatores entregaram contas de Sérgio Cabral no exterior e Eike Batista como um dos operadores dos depósitos

A Operação Calicute, que prendeu o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), teve o seu segundo capítulo deflagrado hoje (26) pela PF. A nova fase da Calicute tomou o nome de “Operação Eficiência” e teve como base duas delações premiadas que já eram comentadas pelas esquinas da Cidade Maravilhosa como aquelas que finalizariam o ex-governador. As delações foram feitas pelos irmãos Renato Hasson Chebar e Marcelo Hasson Chebar, ambos operadores do mercado financeiro, que, logo após a Calicute, ainda em novembro do ano passado, procuraram a Procuradoria da República e debulharam todos os serviços prestados a Cabral. As delações dos irmãos Chebar incineraram as chances de defesa de Cabral e ainda incluíram no enredo o ex-bilionário Eike Batista, que teve a prisão preventiva decretada, por ser um dos atravessadores do ex-governador nas evasões do produto das propinas. Os irmãos Chebar delataram que, a serviço de Cabral, remeteram valores para o exterior e lá mantêm, em seus no

O buquê da noiva

Se alguém aí ainda duvida da crença que aparar o buquê da noiva é sinal de ser pedida em casamento, veja como funciona, e rápido..

Mineração

Como se sabe, Adnan Demachki é o titular da SEDEME, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia. Eu achei que o secretário de Mineração não precisava ficar perguntando para prefeito onde tem mina seja lá do que for e que a SEDEME teria o mapa das pedras do Pará. Pelo jeito não tem. Mas a coluna que ilustra a postagem tem a informação que o secretário não tem. Faria um obséquio melhor a ele se reportasse as coordenadas de GPS.

Trump ignora ambientalistas e libera construção de oleodutos

As petroleiras dos EUA e Canadá exultaram ontem (24) quando o presidente Donald Trump, cumprindo promessa de campanha, liberou a construção de dois polêmicos oleodutos que haviam sido bloqueadas pelo ex-presidente Obama, que atendeu a pressões de ambientalistas. O oleoduto Keystone XL transportará petróleo do Canadá até refinarias nos EUA e o outro, inteiramente dentro dos EUA, atravessará um território indígena no estado de Dakota do Norte. As duas obras, inteiramente tocadas por capital privado, irão gerar 28 mil empregos. No mesmo ato, Trump assinou um decreto que acelera a revisão e aprovação ambiental de projetos de infraestrutura de alta prioridade. No final do ato, Trump pediu aos assessores que encontrassem tudo o que atrapalhasse obras e geração de empregos nos EUA que ele estava “louco para assinar a liberação”. Não é verdade que depois de ontem tenha se iniciado na FAEPA e FIEPA uma conspiração para pressionar o governador Jatene a convidar Trump para ser o novo titular da

Alimentando a prole

A foto, tomada na floresta de Klang, na Malásia, é de Vincent Thian, para a AP.

Gravador de áudio do King Air está intacto e evidências apontam perda de controle de voo

Cai por terra mais uma conveniência da teoria da conspiração envolvendo o King Air do Grupo Emiliano: o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) declarou que “ o gravador de áudio do avião ” está intacto e os últimos 30 minutos de voz – tempo máximo que esse tipo de equipamento arquiva – estão recuperados. Aliás, foi a primeira vez que li o termo correto para o equipamento: “gravador de áudio”. O King Air sinistrado, assim como toda aeronave do seu porte, não comercial, não tem “Caixa Preta”, como vem se referindo a imprensa, ao artefato. Caixa Preta, além do áudio, grava os dados da navegação e o comportamento dos equipamentos de voo. E as conversas registradas, oficiosamente reportadas pela Folha de S. Paulo, também deitam ao chão as conveniências da conspiração: o piloto não reporta problemas, limitando-se a coloquialidades e, por mais de uma vez, observando o mal tempo. Em certa altura, inclusive, afirma, “ que vai esperar a chuva diminuir antes de pou

Trump contra a imprensa

Well, o ex-presidente Lula já não pode achar que ele é o único perseguido pela imprensa: Trump também é.

A Navalha de Ockham

Desde a queda do King Air do Grupo Emiliano, na quinta-feira (19), têm surgido as mais absurdas teorias da conspiração, o que é normal nas circunstâncias, eis que a mente humana tende a preencher lacunas de acordo às conveniências, desprezando a indução dialética. Conveniência não é evidência. Esse é o porquê da totalidade das teorias da conspiração jamais terem sido comprovadas. Investigam-se evidências a partir de fatos e eventos e não conveniências a partir de conclusões fantasiosas. Esse princípio investigativo foi elaborado no século XIII, pelo frade franciscano William of Ockham, um proeminente filósofo, lógico e teólogo escolástico da Inglaterra. Foi ele quem elaborou o que ficou conhecido com a “Navalha de Ockham”, que em apertadíssima síntese determina que “entre duas hipóteses, aquela com menos suposições geralmente é a correta”. A Navalha de Ockham, já comprovada estatisticamente, ensina que se você mora em uma casa com quintal e ouve um barulho à noite, o mais lógico é ima

As mulheres contra Trump

Na foto acima, tomada por Manu Fernandez para a AP, mulheres marcham pelas ramblas de Barcelona, na Espanha, em protesto à posse de Donald Trump como o 45º presidente dos EUA. O evento não é isolado. Além de manifestações nos EUA, em diversas partes do mundo cerca de 2,5 milhões de mulheres marcharam contra o republicano. O multinacionalismo das marchas refletem, e ratificam, o internacionalismo dos EUA e a sua posição como o país mais poderoso e influente do planeta e a influência da nação estadunidense no mundo. Em 1823 o 5º presidente dos EUA, o republicano James Monroe, declarou que a sua presidência pregaria  "A América para os americanos". Foi a Doutrina Monroe, que estabelecia como prioridade, na política externa, a ampliação da influência de Washington sobre os países do continente americano. O discurso de Trump, em se fazendo fato, declara uma doutrina doméstica como prioridade, algo como “Os EUA para os estadunidenses”. Nesse contexto, o chauvinismo trumpista

Belém registra até 40 execuções em três dias

Enquanto alhures as execuções ocorrem nos presídios, em Belém os acertos de contas se fazem nas ruas. A manchete acima é do portal G1, do Sistema Globo de Comunicação, mostrando que as execuções em Belém ganharam o noticiário nacional. A matéria reporta que o “ Governo do Estado do Pará confirmou o registro de 24 homicídios ocorridos em 16 bairros de Belém entre a tarde de sexta-feira (20) e a manhã deste sábado (21). Segundo o diretor do Instituto Médico Legal (IML), Orlando Salgado, todas as mortes têm características de execução .” A matéria do G1 é do sábado (21). A imprensa reporta que hoje (23) as supostas execuções já chegariam a 40. As execuções ocorreram após a morte de um policial militar na manhã de sexta (20), em Belém, e está clara a relação entre os eventos, ou seja, a polícia sabe onde procurar quando precisa encontrar.

Porém nem tão pouco

O ministro do STF, Teori Zavascki, era um magistrado por excelência: competente juridicamente, discreto, só se manifestava nos autos e não era afeito aos holofotes que mundiam grande parte dos vaidosos. O STF perdeu um ótimo juiz. Os adjetivos e substantivos que se dirigem à memória do falecido ministro, inobstante, devem ser creditados tão somente à tragicidade da sua morte, quando a carpidura exacerba a expressão. Teori Zavascki não foi um herói, não é verdade que sem ele não existiria a Lava Jato, assim como qualquer um dos demais ministros do STF pode ser designado relator do caso, sem nenhum prejuízo dos processos em andamento, a não ser o eventual atraso nos procedimentos, o que é absolutamente normal, até que o novo relator e sua equipe, que, por prudência, deve ser a mesma que assessorava o finado na empreitada, se assenhore dos autos. A religião nacional Lava Jato, portanto, não está em perigo e não há nenhuma conspiração demoníaca para incinerá-la, a não ser aquela que é nor

O Buquebus Francisco

O navio mais veloz do mundo não está em operação na Europa ou nos EUA, mas aqui na América Latina, desde 2014. Trata-se do Buquebus Francisco, que atinge a velocidade de cruzeiro de 58 nós ou 107 km/h. Esta velocidade, para uma nave de 100 metros de comprimento, 27 metros de largura e um peso bruto de 450 toneladas somente foi possível porque o Francisco, em homenagem ao papa, é o primeiro navio equipado com turbinas à jato similares às usadas no Boeing 747. As turbinas, todavia, são alimentadas com gás natural, o que reduz em 98% as emissões poluentes, por isso o Francisco é também considerado o primeiro navio verde em operação comercial no mundo. O navio completa em duas horas os 200 km que separam Montevidéu, a capital do Uruguaia, de Buenos Aires, a capital da Argentina. Tem capacidade para 1000 passageiros e cerca de 150 veículos. O Francisco foi construído no estaleiro Incat, na cidade de Hobart, a capital do estado da Tasmânia, na Austrália, a um custo de 110 milhões de Euros

Carlos Alberto Filgueiras

Todo mundo conhece o falecido ministro do STF, Teori Zavascki. Como poucos conhecem o empresário Carlos Alberto Filgueiras, que juntamente com Zavascki faleceu no acidente , é dele que trata essa postagem. Carlos Alberto Filgueiras, 69 anos, dono do Hotel Emiliano, um dos mais exclusivos de São Paulo e do Brasil, não era um desconhecido no Sul do Pará. De temperamento afável, aos conhecidos da sua época no Pará dava descontos generosos no seu hotel boutique aos que, mesmo com o generoso desconto, se dispunham à hospedagem cuja diária média é de R$ 1,2 mil. Por uma vez, fui um dos que desfrutei do desconto de 50% e ainda ganhei, além do desconto, um upgrade para uma suíte. Carlos Alberto, que labutava no ramo da construção civil em São Paulo, na década de 70, chegou ao Sul do Pará na leva de almas que a Serra Pelada sugou para a região em uma das maiores corridas do ouro do mundo contemporâneo. No auge da cava (1983) 100 mil homens suavam atrás do vil metal. Foi nessa época que

Ministro do STF Teori Zavascki era um dos passageiros do avião que caiu no mar

O presidente Michel Temer e a presidente do STF, Cármen Lúcia, foram informados no início da tarde de hoje (19) e tornaram pública a informação de que o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki “está na lista dos passageiros do avião que caiu nesta quinta-feira no mar próximo a Paraty, próximo a Ilha Rasa, na Costa Verde do Rio de Janeiro”. A aeronave, um King Air C90 com capacidade para 8 passageiros, saiu de São Paulo para Paraty e o seu último contato com o sistema de comunicação aeronáutica foi às 13h30m, caindo em seguida no mar. O Corpo de Bombeiros declarou em nota que “um dos tripulantes chegou a ser encontrado com vida, mas acabou não resistindo”. Os destroços da aeronave estão quase totalmente submersos na plataforma e equipes de mergulhadores foram acionados para o resgate dos corpos e para procederem o içamento dos destroços. Teori Zavascki, 68 anos, mestrado e doutorado em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, era ministro do Superior Tribun

Chovendo no alagado

“A teoria na prática pode ser diferente” é um jargão que previne o pesquisador de que a elaboração teórica deve ser testada exaustivamente até ser posta em prática. O parlamentar quando elabora um projeto de lei deve atentar ao jargão, pois corre o risco de ver a lei daí resultante virar potoca. O senador Waldemir Moka (PMDB-MS) é o autor do Projeto de Lei 580/2015, que com o rebuliço do sistema carcerário foi trazido à discussão na Comissão de Constituição e Justiça do Senado. O projeto escreve que “ cada preso contribua com o Estado para custeio de suas despesas no estabelecimento prisional ” e estabelece que “ caso não possua recursos próprios para o ressarcimento, o preso deverá trabalhar para compensar esses custos ”. O apelo popular das letras é imenso. Não há quem, discorde. O portal do Senado abriu consulta pública ao texto e 97% das 26 mil manifestações foram favoráveis à medida. Eu fui um dos 26 mil que me manifestei , mas a minha manifestação deve ir para a lata do lixo, j

A origem dos ditados populares

Alguns puristas insistem que usamos alguns ditados populares de forma errada, no que eu discordo: eles apenas foram mudando de forma com o tempo, sem contudo, na maioria das vezes, perderem a identidade de correlação da origem. Abaixo, oito ditados que usamos hoje, que ao clique do mouse no quadro você lerá como eram originalmente: A arte foi criada por Maria Carolina .

Conjugando o verbo sonegar

Vez em quando eu me refiro ao assunto aqui e nada custa lembrar mais uma vez: a maior corrupção do Brasil é a sonegação fiscal, crime que, por bizarro que pareça, grande parte dos que querem ver corruptos na cadeia, pratica sob a desculpa de que “não adianta pagar imposto para ser roubado, o equivalente a dizer que “se os políticos roubam o Tesouro, para compensar eu roubo o Fisco”. O mais recente relatório da ONU sobre o assunto (2016) foi apresentado em Davos, na edição 2017 do Fórum Econômico Mundial, quando os ricos se encontram para apresentar diagnósticos – este ano até o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi a Davos dizer que a Lava Jato é capitalista. O relatório, que avaliou a sonegação fiscal de pessoas físicas e jurídicas, diz que a “evasão fiscal de empresas brasileiras chega a 27% do total que o setor privado deveria pagar em impostos no País”. Em 30.12.2016 o impostômetro marcava R$ 2,16 trilhões. Uma apertada conta de peixeiro, ponderando na média apenas a

O cinema paraense em cartaz

Se você gosta de cinema, não deixe de ir ver a exposição "Em Cartaz - Uma releitura ilustrada de cartazes do cinema paraense", um projeto dos “Argonautas Coletivo de Ilustradores”, selecionado pela Programa de Incentivo à Arte e à Cultura, da Fundação Cultural do Pará. O Argonautas Coletivo de Ilustradores foi criado em dezembro de 2014. Sua formação original conta com nove ilustradores paraenses e a exposição marca o seu segundo aniversário, com sua segunda vernissage. Para visitar o Facebook dos Argonautas clique aqui .

O homem errado

“O ministro da Justiça fala demais, compra brigas desnecessárias e insiste num plano de segurança que tem tudo para fracassar”. A sentença é a sublegenda da reportagem de capa da revista Época desta semana, intitulada “Alexandre de Moraes, o homem errado”, que ilustra esta postagem. A manchete e a sublegenda estão corretas e desde o primeiro arroto do Ministro da Justiça, eu ensimesmo por que o presidente da República, dentre tantas opções, escolheu a pessoa errada. Intuo que foram as qualificações políticas e acadêmicas, nessa ordem, de  Moraes que iludiram Temer. Ele é do PSDB e isso o qualificou no vestibular da pasta. Mas tem credenciais que vão além deste QI: ingressou no Ministério Público do Estado de S. Paulo como o primeiro colocado do concurso de 1991 e em 2002 deixou o órgão para ser secretário de Segurança Pública do governador Geraldo Alckmin, seu padrinho político. É doutorado pela USP em Direito do Estado, com livre-docência em Direito Constitucional. É professor d

Eduardo Cunha teria, ilegalmente, quebrado sigilo bancário de desafetos?

O conta gotas do enorme frasco das operações da Lava Jato começou a pingar na sua edição 2017. Foi vazado ontem (15) à imprensa que a Polícia Federal, na operação que prendeu Eduardo Cunha, também apreendeu na residência dele vários dossiês que contem bombásticas revelações de afetos e desafetos do ex-presidente da Câmara. Um desses dossiês já estaria de posse da Folha de S. Paulo e se trata de informações com supostas 106 contas bancárias da construtora Schahin – desafeta de Cunha. Segundo os relatos, a Schahin teria contas bancárias no Brasil e no exterior, não declaradas à Receita, com saldos que acumulariam R$ 350 milhões. A PF ainda apura como Eduardo Cunha teria tido acesso às informações. A suspeita é de que ele se teria valido de uma agência de investigação contratada pela própria Câmara Federal, que quebrou ilegalmente o sigilo bancário da construtora e de vários outros desafetos seus. Em sendo verdade, as investigações, nesse caso específico, tomarão o rumo do Banco Central

Enquanto isso, no sistema penitenciário nacional…

Eu escrevi aqui que a matança no sistema penitenciário de Manaus teria desdobramentos em todo o Brasil. Depois de Roraima foi a vez de Natal, onde, na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, a vindita deixou, no sábado (14), pelo menos 26 mortos. Todos decapitados ou carbonizados. Na foto, uma das centenas de mães de presidiários, agarra-se nas grades e firma o olhar para dentro do cárcere, tentando vigiar o filho que está no meio da liça. Não interessa que ele seja bandido: para a mãe ele é um filho. E não adianta aquele chiste de que “quem não faz chorar o filho vem a chorar por ele”. Independentemente de qualquer adágio, mãe sempre e um repositório de alegrias e de lágrimas pelos filhos.

Fazendo as contas

Caso se confirme a receita líquida da União em 2016 em R$ 1,082 trilhão, o Tesouro terá tido a menor arrecadação do último triênio (2014 a 2016). Em 2013, quando a receita começou a sua curva descendente, o Tesouro teve receita líquida de R$ 1,254 trilhão. 2013 foi o último ano em que os malabarismos econômicos do lulopetismo, primeiro efetivos no embalo da bolha financista mundial que estourou em 2008 e faz banzeiro até hoje, principalmente depois da anemia da zona do Euro, mas depois truncado com a falta do ajuste fiscal necessário para o momento de liquidar a duplicata. Nesse ínterim, 2014 a 2016, o Brasil perdeu em arrecadação o equivalente a dois PIBs do Paraguai e não há sinal algum de que 2017 seja o ano em que retomaremos o crescimento, antes porque a equipe econômica está certa em não inventar borbulhas em um caldeirão que não tem lenha no piso. E se não fosse a lavagem de dinheiro patrocinada pelo Planalto em conjunto com o Congresso Nacional, apelidada de repatriação, que

Quando a ignorância liberta