Pular para o conteúdo principal

Fiat Lux

Shot

A imprensa noticiou que a Eletrobrás tem a pretensão de investir em energia no exterior, mais precisamente em negócios energéticos nos EUA.

Segundo o diretor responsável pela área na estatal, “com quaisquer 60 milhões de dólares se faz bom negócio nos EUA”.

É verdade, mas, ai cabe uma indagação varonil: bom negócio para quem, cara pálida?

Já que está sobrando dinheiro na Eletrobrás e ela está ansiosa para usá-lo, antes de pensar em investir “quaisquer 60 milhões de dólares” do outro lado do Atlântico, deveria cuidar de acelerar, e ampliar, o financiamento do fornecimento de energia aqui mesmo, no Brasil.

Destarte a louvável ampliação do fornecimento de energia elétrica nos mais diversos rincões nacionais, ainda há regiões na pátria amada nas quais as linhas são uma quimera desde o ano passado para o ano que vem.

No Pará, que sedia a maior usina totalmente nacional, a de Tucuruí, e é sede dos mais audaciosos investimentos no setor energético, ainda tem gente que ilumina as trevas com lamparinas e candeeiros.

Portanto, a Eletrobrás deveria rogar ao santo milagre em casa: mesmo que de barro ele não seja, que se tenha com o andor certo cuidado.

Comentários

  1. Amigo, tem gato nessa tuba aí. Um sacripanta, brasileiro, investido num cargo público de Diretor de uma estatal como a Eletronorte, que mal cuida do problema energético do país, anunciar a intenção de fazer investimentos de 60 milhões de dólares nos EEUU,quando aqui no Norte, em que pese termos no Pará a maior UHE nacional, ainda temos milhares de famílias paraenses que amargam a escuridão nos seus lares por falta de rede de distribuição, é no mínimo querer gosar com a cara da gente. Olho na tuba pra ver o gato sair de dentro dela. Pera aí meu....

    ResponderExcluir
  2. Deixa eu tentar entender: 60 milhões + investimento nos EUA + "do outro lado do Atlântico" = não entendi.
    Caro Parsi, você deu uma de Lula quando nosso guia afirmou em 2009 que a crise econômica dos EUA, não chegaria por aqui, por que não atravessaria o Atlântico ou no máximo seria uma marolinha.
    Vou apresentar para ambos um mapa mundi.

    ResponderExcluir
  3. A expressão está correta. É que talvez você esteja condicionado(a) a pensar que o "outro lado do Atlantico" seja somente o que está a Leste (Africa e Europa),mas, os EUA também estão do outro lado do Atlantico, o lado Norte, já que estamos do lado Sul.
    Mesmo Lula, quando usou "atravessar" o Atlantico, estava correto, já que para se chegar dos EUA ao Brasil é preciso atravessar do lado Norte para o lado Sul.
    O verbo atravessar significa passar de um lado ao outro mesmo que não seja necessário mudar o angulo para tal.
    A questão, portanto, não está adstrita ao conhecimento do Mapa Mundi, mas, ao referencial cardeal do mesmo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.