31/05/2016

Rompendo o teto

Shot 002

A charge de Amorim, sobre o que parece, a priori, um contrassenso, nas medidas anunciadas pelo presidente interino Michel Temer, de estabelecer um teto para os gastos públicos e ao mesmo tempo aumentar a meta fiscal de R$ 90 bilhões para R$ 170,5 bilhões.

Fundamenta o governo, para a revisão da meta, que na verdade se trata de um choque de realidade, ou seja, o déficit projetado para o período é de R$ 170,5 bilhões, e não aquilo que vinha pregando a equipe econômica de Dilma Rousseff.

Se sim ou se não, o importante é não romper a meta estabelecida com pedaladas, como se tornou usual nos governos e apenas Dilma Rousseff pagou, caro, pela engenharia de embornal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.