28/03/2016

Prefeitura de Belém já gastou R$ 53 milhões em propaganda

Matéria deste domingo (27), do Diário do Pará, reporta que a prefeitura de Belém gastou R$ 53 milhões apenas em publicidade, desde que o atual prefeito, Zenaldo Coutinho (PSDB), assumiu o cargo em janeiro de 2013, o que vem a ser um média de R$ 1,5 milhão por mês jogado no éter, pois, como eu sempre tenho insistido aqui, propaganda pública, disfarçada de publicidade institucional, é um dos maiores desperdícios existentes no Brasil e, no Brasil, o desperdício é muito maior que a corrupção, quando não está em simbiose com ela.

A matéria do Diário do Pará fez um quadro comparando o que poderia ter sido feito com os R$ 53 milhões estorricados - pelo menos para o erário, pois quem recebeu cozinhou bem e harmonizou com algum vinho de prisca safra – em propaganda:

Shot003

7 comentários:

  1. Prefeitura de Belém, sempre fazendo do geito serto.

    ResponderExcluir
  2. Seu Parsifal, e sobre essa denuncia do jornalista Lucio Flavio Pinto que a CDP pagou 960 mil reais ao Diário do Pará pela publicação do balanço da Companhia Docas do Pará, o que o senhor tem a dizer? O senhor sabe quantas bolsas-familia se poderia pagar com 960 mil reais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo o que está na postagem do jornalista Lucio Flavio, apesar do respeito que tenho por ele e sua história, é absolutamente inverídico.
      1. Não foi o ministro da Secretaria de Portos, Helder Barbalho, que determinou a publicação. A publicação dos balanços das empresas públicas é uma determinação legal e a empresa que não o fizer no prazo é multada, juntamente com os seus diretores, que também responderão por improbidade administrativa se não o fizerem.
      2. A publicação não custou R$ 960 mil e sim exatamente R$ R$ 178.300,07.
      3. O processo licitatório para fazer a publicação não é feito pela CDP e nem pela Secretaria Especial dos Portos, de onde Helder Barbalho é ministro, e sim pela EBC, Empresa Brasil de Comunicação, que concentra a publicidade legal das empresas estatais, através do seu departamento de serviços, que pode ser acessado clicando aqui, onde o jornalista Lucio Flavio, se soubesse como funcionam as publicações de balanço da CDP, poderia ter ido buscar a informação correta (ou ligado para mim para perguntar antes - é o que fazem os jornalistas), e onde você, também pode se informar, através do e-mail da EBC, que está na referida página.
      4. Não tenho ideia de quantas bolsas famílias podem ser pagas com R$ 960 mil, a mentira, ou com R$ 178.300,07, a verdade, mas sei das minhas obrigações legais como presidente da CDP.

      Excluir
  3. Realmente deve ser muito mais importante estorricar 53 milhões de reais em propagandas publicitaria, do que investir esse dinheiro em Saúde, Educação e Segurança. Como disse o poeta, “estamos vivendo uma encruzilhada civilizatória”.

    ResponderExcluir
  4. parsifal, teriamos a possibilidade de criar uma legislação que proibisse e/ou limitasse os gastos publicos com publicidade?? esses valores são sempre absurdos!! e as PEPPERS e GRIFFOS da vida vai ficando ricas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, legalmente é possível, mas o lobby e a força das empresas de publicidade e da imprensa em geral, cuja maioria vive dos recursos públicos de publicidade é muito grande.
      Uma das vezes em que relatei o orçamento do Estado, tentei reduzir a verba de publicidade: não só não consegui aprovar a emenda, como quase sou mandado para a Sibéria.

      Excluir
    2. hehehe!! a verba dessa relatoria se manteve ou aumentou? abs

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.