26/06/2015

Brasil: quantia movimentada na informalidade + sonegação + corrupção = PIB da Bélgica

Shot 002

Segundo o relatório divulgado ontem (25) pelo Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO) e pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV), o mercado informal brasileiro movimentou R$ 826 bilhões em 2014, o que equivale a 16,1% do Produto Interno Bruto nacional.

Em se somando a informalidade com a sonegação praticada pelas empresas legalmente constituídas, que segundo o Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional, foi de aproximadamente R$ 500 bilhões, teremos R$ 1,3 trilhão, ou 25,3% do PIB, idos pelo ralo em 2014.

Ainda não acabou. Some-se a isso R$ 200 bilhões, que foi, segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, o montante aproximado da corrupção no Brasil em 2012, e a conta sobe para R$ 1,5 trilhão, o que é 29,1% do PIB.

Se a informalidade, a sonegação e a corrupção brasileiras fossem um país esse seria o 24º país mais rico do mundo, com PIB igual ao da Bélgica.

Temos jeito? Claro que temos. Como eu sempre digo, embora seja uma utopia (mas as utopias têm que ser buscadas), bastaria que todos, eu disse todos, fizessem as coisas certas.

5 comentários:

  1. Parsifal, esse texto da veja merece uma leitura:
    http://veja.abril.com.br/noticia/economia/e-preciso-reformar-as-leis-para-proteger-os-acionistas-minoritarios

    ResponderExcluir
  2. Todos temos um discurso de que queremos um pais melhor,as poucas pessoas que agem corretamente em tudo, são rotuladas como bobas e otárias, ficando claro a inversão de valores. A todos nos cabe educar as novas gerações para que eles não cometam os mesmos eros. para que elas faça o que nos dissermos mas não faça o que nos fazemos sejam melhores.....


    Fabio Marques...

    ResponderExcluir
  3. eu gostaria de uma opinião sobre uma questao de vizinhança.
    um vizinho lindeiro, na zona urbana cortou algumas arvores que estavam proximas a divisa, ficaram com um pouco menos de 1 metro de altura, elas estavam inclinadas e na parte alta estavam sobre o terreno do vizinho, mas onde ele cortou está a quase 1 metro da divisa. O fato de eu não estar mais morando lá, pode servir de justificativa para intervir dessa maneira em minha propriedade?
    por outro lado, será que o codigo civil proibe o acumulo de restos de vegetais (mesmo gerados na propriedade) na area urbana?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A parte da árvore que se estende ao terreno do vizinho não pode sofrer intervenção sem a sua autorização, principalmente se o produto da poda decair sobre sua propriedade.
      O acúmulo de detritos em terrenos urbanos e a sua remoção são normatizados pelo Código de Posturas do município.

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.