03/07/2014

Estácio FAP compra o IESAM

O que ocorreu com as redes de farmácias começa a ocorrer com as faculdades no Pará.

Primeiro foi a Unama e a FIT que, em maio, foram compradas pelo Grupo Ser, que é o maior conglomerado de ensino do Brasil. Agora foi a vez do Instituto de Estudos Superiores da Amazônia (IESAM) sair das mãos de paraenses e passar para a Estácio Participações S.A, que anunciou na terça-feira (1), em fato relevante, a compra.

Shot 002

O valor da compra foi de R$80 milhões. R$ 38 milhões foram pagos pela totalidade das quotas emitas pelo IESAM, aí incluídas as dívidas da instituição, que serão assumidas pela nova controladora, e R$ 42 milhões pagos pelos imóveis onde operam as faculdades.

> IESAM

O IESAM, fundado em 2000, tem cerca de 4.500 alunos, 15.440 vagas totais e 130 professores que lecionam em 23 cursos superiores e 18 de pós-graduação.

> Estácio FAP

Instalada em 20 estados e no DF, a Estácio Participações S.A é um dos maiores grupos de ensino superior do Brasil, com 394,5 mil alunos.

Em Belém, o grupo já se fazia presente com a FAP, através da qual fez a aquisição do IESAM e doravante passa a ser o maior grupo de ensino do Pará, com 31% do mercado e mais de 11 mil alunos matriculados.

6 comentários:

  1. Esse fato alegra ou entristece aos daqui?

    ResponderExcluir
  2. Mudando de assunto.
    Incrível, porém verdadeiro!
    Foi instalado, no dia 27 de junho, no Tribunal de Contas dos Municípios, com toda a pompa e galhardia, o “Conselho Superior das Carreiras Jurídicas” da Secretaria Municipal de Assuntos Jurídicos (Semaj), da Prefeitura Municipal de Belém - PMB. Qual o benefício à pobre população de Belém? Nenhum. É interessante como os advogados da PMB vivem dissociados da realidade belemense. Com salários superiores ao de Secretário Municipal (alguns, muito superiores) toda essa turma, inclusive o prefeito que presidiu a sessão, deveria fazer parte da novela surreal “Meu Pedacinho de Chão”. É por essa e por outras, que houve o levante da população, em junho do ano passado. Acordem, Alices!

    ResponderExcluir
  3. Só espero que melhore. Fui aluno de uma faculdade particular que tinha professores completamente despreparados para o cargo. Inclusive, sabendo menos que os alunos. Nas públicas o problema é falta de estrutura, nas particulares, a qualidade do ensino que em alguns casos é duvidoso. Preferi mudar para uma pública, mesmo com o advento das greves.

    ResponderExcluir
  4. Supermercado do ensino em movimento

    ResponderExcluir
  5. Nao existe fronteira para o capital.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.