28/06/2016

Só para variar

Shot 005

Enquanto a delação premiada de Nelson Mello, ex-diretor de Relações Institucionais da Hypermarcas, feita em fevereiro, no qual ele afirma que que repassou R$ 30 milhões para os senadores Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR) e Eduardo Braga (AM), todos do PMDB, através dos lobistas Lúcio Funaro e Milton Lyra, a do empresário Otávio Azevedo, presidente afastado da Andrade Gutierrez, também é publicada, onde se lê que o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci (PT) mandou que, da propina devida em Belo Monte, fosse abatido um valor de R$ 15 milhões, a serem repassados ao czar da economia dos governos militares, o ex-ministro Delfim Netto.

Mas as duas manchetes são veladas por outra mais flagrante, que é a Operação Boca Livre, a primeira incursão aberta da PF, deflagrada essa manhã (28), em outro ninho de bolinagem com o erário, o da máfia da Lei Rouanet.

A Boca Livre desvela apenas a ponta do iceberg da referida lei, que são as fraudes no alcance dos repasses que, longe de incentivar e fomentar a cultura nacional, tem bancado “eventos corporativos, shows com artistas famosos em festas privadas para grandes empresas, livros institucionais e até mesmo uma festa de casamento”.

É impressionante como temos essa índole maldita de ter o toque de Midas ao contrário. O espírito da Lei Rouanet é fruto de uma ótima engenharia que, bem aplicada, poderia prover de fundos a cultura popular nacional, pouco articulada para haver recursos dentro do sistema burocrático do Estado, mas é exatamente a cultura popular que nunca viu os incentivos proporcionadas, desde que diversas organizações se engendraram para saqueá-los aos seus próprios interesses.

4 comentários:

  1. Tenho 4 livros publicados e 3 prontos para publicação , 96 musicas do samba ao blue passando pela bossa nova, 52 quadros um vendido para o Banco do Brasil por 140 mil reais, depois de 3 anos correndo atras de patrocínio desisti e demiti meu funcionário e essa turma não faz nada para conseguir da para acreditar?

    ResponderExcluir
  2. No Brasil nem tudo que reluz é ouro!

    ResponderExcluir
  3. Francisco Márcio29/06/2016 10:42

    Como V.Exa é um homem que conhece as luxúrias, luxo, volúpias e otras cósitas mas, e, até onde eu sei, não é indiano. O que faz esse elefante na postagem? É uma daquelas obras de arte que V.Exa admira?

    em arremate:

    Evite trazer esses comentários sobre Belo Monte... V.Exa sabe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o elefante é só para variar... Mas que é bonito é.

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.