02/02/2016

O Bradesco, o Itaú, Dante Alighieri e James Carville

shot 018

O Bradesco anunciou lucro líquido de R$ 4,353 bilhões no quarto trimestre de 2015 o que, embora ainda não declarado pelo banco, totaliza aproximadamente R$ 18 bilhões no acumulado do ano passado, o que significa uma alta de cerca de 9% sobre 2014.

Ontem, o Itaú Unibanco alardeou que o seu lucro líquido em 2015 foi de R$ 23 bilhões, o que significa uma alta de 15% em relação a 2014. O lucro anunciado pelo Itaú é o maior da história entre os bancos brasileiros de capital aberto em valores nominais, mantendo o banco no pódio, pois o recorde anterior também era dele, que auferiu R$ 20 bilhões em 2014.

Para os banqueiros, portanto, a crise não é um substantivo.

Falamos mal dos banqueiros desde Dante Alighieri, que os colocou, na sua magnífica “Divina Comédia”, no terceiro vale do sétimo círculo dos infernos, o “Vale do Deserto Abominável”, na categoria dos usurários.

Mas somos injustos com eles, ao não amaldiçoarmos junto, os exorbitantes preços que nos cobram os demais membros da lista da Forbes, ou será que o Slim, o Bill, o Zuckerberg et caterva estão bilionários fazendo orações?

Tudo bem, podemos guardar o dinheiro nos colchões, voltar ao ábaco ou trocar futricas com sinais de fumaça, se não, só nos resta parafrasear aquela expressão do James Carville: “é o capitalismo, estúpido!”.

E pagarmos a conta.

9 comentários:

  1. eu já falei muito mal do bill trankeits.
    quanto ao slim, o modo como a net força a mudar de plano justifica uma açao forte contra os diretores, a meu ver deveriam ser proibidos de gerir empresas.
    os bancos no brasil não são propriamente bancos, são instituições habituadas a trabalhar como agenciadores ou distribuidores de titulos do governo, que também desobriram atividades muito lucrativas como planos de capitalização, que é um jogo de azar, onde eles ganham muito dinheiro com propaganda pouco leal, para dizer o minimo, também descobriram os ganhos faceis dos seguros mais expoliativos.

    No serviço mais importante dos bancos, que é o motivo de sua existencia, os emprestimos, eles trabalham pouco, e são extremamente incompetentes.

    O bradesco teve 30% do lucro gerado por seguros. Boa parte dos seguros, a rigor, são uma forma de propina que o cliente tem que pagar para ser bem atendido ou para se ver livre de encheção.
    Quanto do lucro do bradesco veio dos planos de captalização não sei, mas deve ser muito.

    O bradesco é o banco que eu mais aposto que é incompetente para dar emprestimos porque sei que concedeu duas vezes emprestimo para um sujeito preguiçoso, que faliu nas duas vezes, e não utilizou nenhum disfarce na segunda vez, entrou com seu nome.


    essa incompetencia em emprestar dinheiro seria um problema apenas dos bancos se a possibilidade de trabalhar como banco estivesse aberta a qualquer pessoa, como deveria ser.

    Então temos um grupo proprietario de capitanias hereditarias que não quer trabalhar, e o banco central não deixa ninguem lhes fazer concorrencia.

    O oligopolio é favorecido pelo banco central e pela lei da usura. Esta, a meu ver, deveria ser extinta ou mudada rapidamente.

    ResponderExcluir
  2. Parsifal, esta retirada de bois esta virando novela, quando afinal a sua promessa será cumprida? Se não me engano voce disse que em 120 dias tudo estava resolvido. Lembre-se que agora voce não é mais politico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A retirada dos bois está sendo feita diariamente. Levará mais de 120 dias. Errei na previsão. Ainda sou político: só não tenho mandato.

      Excluir
  3. http://www.segurancaportuariaemfoco.com.br/2016/02/ladroes-invadem-terminal-da-cdp-para.html ACORDA PARSIFAL !!

    ResponderExcluir
  4. Francisco Màrcio02/02/2016 21:41

    V. Exa já foi melhor...- também, era deputado! A vida devia ser mais fácil. O Bradesco já divulgou o resultado de 2015, lucrou 17,190 bilhões - Fonte: Folha de SP.

    Podia ter concorrido à Câmara Federal, apostou todas as fichas na eleição para Governador em 2014. Perdeu. Agora está aí padecendo. Até o comandante da Marinha lhe ralhando...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza a vida de deputado era muito mais fácil do que presidente da CDP. Ora veja, mesmo sem saber, acertei o número: o banco, segundo a sua informação, declarou R$17,1 e eu avaliei em R$18.
      Só me arrependo do que não fiz. E vou apostar de novo.
      Por favor, diga onde o comandante da Marinha "me ralhou", pois como no lucro do Bradesco, eu não vi. Preciso ver para devolver o ralho.

      Excluir
  5. Francisco Marcio03/02/2016 07:37

    Agora, até eu aposto! Qual o nome do PSDB ou outro que possa fazer frente com a campanha do seu pupilo? Registre-se, que continua desde do fatídico dia da apuração das urnas em 2014? Se o Jatene quase não leva, imagina Pioneiro, Zenaldo, Flexa, Adnan...

    Pode apostar mesmo. Quanto ao ralho, matéria do jornal ( lógico, que o jornal não foi o do seu grupo ) dizia: Mainha dá 15 dias para CDO retirar os bois, se não...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eis a diferença. Você tem o conforto de apostar só quando sabe que as probabilidades de ganhar são grandes. Eu aposto mesmo quando as probabilidades de perder são grandes. Talvez eu seja um jogador, somente.
      Você está equivocado. Leia a notícia de novo e o edital da Marinha. Ela não notificou a CDP para a retirada do navio, pois não é a CDP que tem a obrigação legal de fazer isso. No edital estão os obrigados. O ralho, portanto, não foi comigo.

      Excluir
  6. Francisco Marcio03/02/2016 07:38

    Agora, até eu aposto! Qual o nome do PSDB ou outro que possa fazer frente com a campanha do seu pupilo? Registre-se, que continua desde do fatídico dia da apuração das urnas em 2014? Se o Jatene quase não leva, imagina Pioneiro, Zenaldo, Flexa, Adnan...

    Pode apostar mesmo. Quanto ao ralho, matéria do jornal ( lógico, que o jornal não foi o do seu grupo ) dizia: Mainha dá 15 dias para CDP retirar os bois, se não...

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.