09/12/2015

Oposição elege chapa e tem maioria na Comissão Especial que apreciará o impeachment

Screen 004

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), continua tomando fôlego e engasgando a presidente Dilma no suspiro: ontem (8), Cunha conseguiu adiar, pela quinta vez, a sessão do Conselho de Ética que lhe selaria a sorte, e articulou para que uma chapa de oposição fosse eleita para compor a Comissão Especial que emitirá parecer ao pedido de impeachment.

Depois de tapas e pontapés, os deputados oposicionistas elegeram, por 272 a 199 votos, uma chapa com 39 nomes, todos a favor do impeachment da presidente.

A chapa oposicionista não tem número suficiente para formar a Comissão Especial, que deve ter 65 membros, portanto, mais 26 nomes deverão ser eleitos em uma próxima sessão, o que não altera, inobstante, a maioria que a oposição já conquistou no colegiado.

O governo titubeou na reação à eventual derrota. Para o processo, o parecer da Comissão é meramente adjetivo. A decisão de mérito é do plenário que votará a favor ou contra o parecer, independentemente de como ele virá.

Na votação de ontem (8), quando a oposição logrou 272 votos e a situação 199, ficou claro que aquela não tem os 342 votos necessários para aprovar o impeachment (342) e esta tem os 172 votos suficientes para rejeitá-lo.

Para se valer desse placar, o governo precisa urgir a constituição e instalação da Comissão Especial e avexar-se para lhe colocar o irrelevante parecer em plenário. Nesse ponto, o governo deu um tiro no pé ao permitir que o PCdoB arguisse, no STF, a validade da votação que elegeu a chapa de oposição.

O bom senso aconselhava que o governo aceitasse a derrota e ontem mesmo manobrasse para que os partidos que ficaram de fora da chapa ungida indicassem os 26 membros restantes, instalando a Comissão Especial e apressando-lhe o parecer.

A ida do PCdoB ao STF fez com que o ministro Luiz Fachin suspendesse, ontem (8) mesmo, o andamento do processo de impeachment até que o pleno da Corte se reúna para decidir-lhe o rito, o que ocorrerá apenas na próxima quarta-feira (16), ou seja, o PCdoB, à guisa de ajudar o governo, acudiu a oposição, pois tudo o que ela quer é postergar o andamento do processo, na expectativa de amealhar votos a sua causa.

O governo tem todas as condições de arquivar o pedido de impeachment no plenário, mas precisa de alguém que pense, e não só que grite, para conduzir o processo na Câmara Federal.

Abaixo, os nomes da chapa eleita ontem:

3 comentários:

  1. Parece que a comissão eleita será destituída e haverá outra eleição. Brazil com z é incompreensível.

    ResponderExcluir
  2. nessa briga de foice entre dilma e o cunha o melhor e ficar de longe,que o diga o quase ex lider leonardo piciane.tomou partido a favor do pt ta sendo apeado da liderança do pmdb.alias um jovem inteligente,porem sem traquejo pra lidar com as velhas raposas do pmdb.

    ResponderExcluir
  3. Piciani, foi destituído,por ser uma raposa nova mais que possui em seu DNA, provavelmente adquirido com o Pai que é Dep Estadual do RJ, a esperteza, a pilantragem e a negociata.
    é mais uma erva daninha que o povo do Rio precisa extirpar.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.