27/09/2015

O desfiladeiro de Fyadrarglyufur

Shot 002

O islandês é um idioma no qual certas palavras são quase impronunciáveis aos que não são nativos, como é o nome desse belíssimo cânion que corta o interior do país.

Clique na imagem para ver mais fotos do desfiladeiro de Fyadrarglyufur.

2 comentários:

  1. Sim, é um belisssimo canion, mas eu prefiro manter distancia de lugares assim, e contemplá-los só em fotografias.
    Vi um programa sobre a islandia, vi uma passarela sobre enormes fendas, não pretendo caminhar naquelas passarelas jamais.

    E os portos brasileiros, Parsifal, como estão funcionando?

    desde os tempos do governo fhc, tenho lido que os portos brasilerios aumentam muito o custo brasil, e prejudicam a competitividade do país. Naquele tempo, diziam que o finado Mario Covas dificultava a aprovação de leis que iriam solucionar esse problema.

    volta e meia comparam os portos brasileiros com os de outros paises, o preferido para comparações é o de Rotterdam. leio coisas do tipo: em Rotterdam X custa 20 dolares, no brasil X custa em media 500.

    li que as empresas são obrigadas a contratar manobristas, e só podem contratar manobristas filiados a uma organização (sindicato , associaçao, ou coisa parecida) e que eles cobram fortunas para fazer um serviço simples e até desnecessario, segundo alguns.

    li que para operar um guindaste são obrigados a pagar meia duzia quando bastaria um, e assim por diante.

    e sobre a carissima navegação de cabotagem, para trajetos dentro do pais, como está a situação? li que um navio para o qual são necessarios 3 precisa ter 20 marinheiros, ou algo parecido. E os preços para navegação de um porto ao outro são carisimos. Fiquei com a impressão de que o transporte em Belem e Santos ficaria mais caro do que o transporte para a Holanda e de lá para Santos. Esses preços altos além de dificultar os negocios entre as regiões do brasil causam engarrafamento nas estradas.


    antes de meter a mão no bolso dos brasileiros deveriam resolver esses gargalos que perturbam o desenvolvimento do pais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discordo de você quanto aos cânions: gosto de passear por esses prodígios da natureza.
      Quanto aos portos, concordo plenamente.
      Se tomarmos como marco inicial o dia 28 de janeiro de 1808, quando dom João de Bragança abriu os portos brasileiros para o mundo, podemos dizer que melhoraram muito, mas se formos comparar com Roterdã vamos morrer de tristeza.
      Não precisa ir tão longe: aqui mesmo, na América Latina, o porto de Cartagena, na Colômbia, tem preço médio até três vezes menor que no Brasil.
      Não há milagre e nem golpe de gestão que faça o componente portuário ter menos peso específico no custo Brasil, a não ser a privatização dos portos públicos e a abertura, para quem quiser fazer o seu próprio possa construí-lo.
      No livre mercado, tem uma varinha de condão infalível para diminuir custos e recepcionar boa gestão: livre concorrência. O governo tem que dizer a regras, quem tem que jogar é a iniciativa privada.
      Esperamos desde o ano passado para o mês que vem, por exemplo, a concessão à inciativa privada (no governo falar em privatização pode resultar em Processo Administrativo Disciplinar) dos portos de Vila do Conde, Belém, Miramar, Outeiro e Santarém. Segundo o ministro dos Portos os editais começam a sair agora em outubro (ele disse “o mês que vem”, no início de setembro). Eu disse que isso seria uma das maiores ações em favor do Pará, que o governo poderia fazer, pois da forma como está o governo briga com o operador do porto e o dono da carga para que eles não sejam bem sucedidos.

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.