06/08/2015

ENEM 2014 mostra um Brasil educacionalmente regular. Pará está fora das 500 melhores do Brasil

Shot010

Considerada no mundo inteiro um dos principais elementos para emprestar eficácia ao fator humano de um país, que por sua vez é força motriz na alavancagem do PIB, a educação no Brasil precisa melhorar muito para alcançar países com níveis de eficiência elevados.

É o que mostram os resultados da edição de 2014 do Exame Nacional do Ensino Médio, divulgados ontem (5) pelo Ministério da Educação (MEC).

Embora as médias tenham aumentado em relação ao ano de 2013, continuamos apenas regulares em linguagem, códigos e suas tecnologias, onde saímos de 508 para 528; em ciências da natureza e suas tecnologias, saímos de 492 para 507; em ciências humanas e suas tecnologias, saímos de de 537 para 565.

Em matemática, matéria essencial para aumentar a capacidade de raciocínio e base para o entendimento de várias outras matérias tecnológicas, que compõem 40% da demanda de recursos humanos hoje em dia, houve um desastre: a média caiu de 544 para 511.

Embora os investimentos em educação tenham melhorado no Brasil, os dispêndios ainda são inferiores per capita a muitos países com PIB similar, que alcançam resultados melhores, mas constata-se que alguns países com custo per capita inferior alcançam resultados melhores, sugerindo que precisamos aumentar a eficácia dos investimentos na área.

Mas aí se estabelece um paradoxo: como aumentar a eficácia da aplicação do dinheiro em educação se não temos mão de obra “educada” que induza isso?

No Pará, a melhor escola do ENEM é a 543ª do Brasil. Não estamos sequer entre as 500 melhores, ou menos piores, ou seja, o tal Pacto Pela Educação sofre das mesmas mazelas do Brasil como um todo: os investimentos não estão tendo resultados eficazes.

Abaixo, as 20 “melhores” escolas do Pará. Observe a classificação de cada uma delas no Brasil:

5 comentários:

  1. Patricia Bittencourt Neves06/08/2015 09:21

    Fico muito triste com notícias desta natureza, porque liquida nossa esperança em ver a região avançar. Não existe sequer uma escola de referência neste Estado e no setor público o desastre é ainda maior e vai ladeira abaixo no próximo resultado (ENEM/2015), em decorrência da greve que durou mais de 70 dias. Extremamente lamentável a situação da educação no Pará.

    ResponderExcluir
  2. O primeiro colocado no Pará participou apenas com 27 alunos, por isso essa média lá em cima. Inclusive, falasse que essa escola tem dois CNPJ. Num deles ela participa com os tais 27 alunos e no outro com os demais alunos. O primeiro colocado portanto deveria ser o Equipe.

    ResponderExcluir
  3. e cobram mensalidades como se fossem o paraíso na terra!

    ResponderExcluir
  4. Amigo eu esperava coisa melhor do Santa Rosa , local que minha casula estuda desde o maternal!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, em outras edições, ele aparecia com melhor desempenho.

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.