23/06/2015

Lula, o PT, Chico Buarque, o PSDB, Otto von Bismarck, nós…

Shot 002

A tradução da fala de Lula foi a dura constatação, por ele mesmo, de que o PT associou-se ao sistema que combateu um dia.

O nosso sistema político-eleitoral consolidou aquela “roda-viva” que cantou o Chico:

“A gente vai contra a corrente
Até não poder resistir
Na volta do barco é que sente
O quanto deixou de cumprir
Faz tempo que a gente cultiva
A mais linda roseira que há
Mas eis que chega a roda-viva
E carrega a roseira pra lá”

E enquanto essa roda-viva houver não haverá roseira que dure, pois ela tanto encanta que inebria, e quem ébrio fica o senso perde.

A forma como o PT chegou ao governo foi revolucionária. Não a revolução da força, mas a do ideal, feita pelo voto.

Lula está certo ao opinar que o PT perdeu a utopia. Na verdade, toda a classe política, se um dia a teve, depositou-a em uma poupança com prazo ad aeternum e perdeu o número da conta e a senha para resgatá-la.

O ex-presidente FHC, em um daqueles momentos no quais o vulgo, achando que á fácil tomar decisões políticas, cobrava-lhe que cortasse o nó górdio como o fez Alexandre, o Grande, sugeriu que “a política é a arte do possível”, e ficou crido ter sido dele a autoria do dito.

Não foi. A pior fraude é a intelectual: somos obrigados a dar crédito àqueles que nos ajudam na arte da linguagem, pois ela é um poderoso instrumento de dominação.

A frase foi dita pelo prussiano Otto von Bismarck, conhecido pela alcunha de "Chanceler de Ferro", que plantou o 2º Reich unindo os países germânicos em uma única nacionalidade alemã. Hitler veio depois e estragou tudo, mas isso é outra história.

Enquanto ao PSDB o povo deu a métrica do possível, ao PT o povo entregou a utopia de buscar o ideal, assim como os diversos povos germânicos entregaram a Bismarck a tarefa de uni-los sob um só signo. Bismark entregou.

A tarefa do PSDB foi cotidiana. A tarefa do PT foi revolucionária. O Brasil, embora conservador, apostou as fichas na utopia que o PT se comprometeu a empreitar, mas, destarte a tenha buscado na fase vestibular, terminou por ceder. Não resistir. Entrou na roda-viva e inebriou-se. E quem diz isso é o seu próprio fundador.

Não é possível a país ou pessoa viver sem utopias. Elas foram a carenagem com que a humanidade saiu das cavernas e chegou à Lua: a utopia é o combustível do homo sapiens na estrada da civilização.

Mas a política nacional, que deveria ser um excipiente do ideal, nunca saiu da mera luta de conquista e manutenção de poder, e tanto perdeu o tento que trava a liça escancaradamente.

O PT, e me refiro apenas ao PT porque os outros sequer jamais tentaram, foi seduzido pelo monstro contra o qual lutou um dia,  perdendo a noção correta de poder, pois tê-lo não é indigno, desde que se faça com ele coisas dignas.

A nação também nunca saiu da liça e, a ser um agente da mudança, prefere apontar hereges, colocando lençóis em todos os espelhos da casa, para não correr o risco de encontrar um culpado quando se olhar em um deles.

8 comentários:

  1. Deputado, aquele Vereador que queria que os salarios dos mesmos fossem cortados pela metade recebeu integralmente seu salario. Ele queria jogar para a plateia.

    ResponderExcluir
  2. Eu não sei a razão de alguns dos meus últimos comentários não tem aparecido, talvez, porque troquei de navegador, espero que este apareça.
    Muito bem! faltava ser dito com respeito e carinho tudo o que dissestes neste texto...obrigado mais uma vez. Assinado por um utopista quase aposentado

    ResponderExcluir
  3. Nobre Deputado,
    O que se percebe é que Lula foi a encarnação do delírio das esquerdas à espera do “intelectual orgânico” da classe operária. Mas ele se aburguesou sem nunca ter buscado a altitude das ideias e aí, a soberba misturada com a arrogância, que a sabedoria grega chamava de húbris, incomoda os deuses, que costumam castigá-la com lições de humildade. O PT morreu e o "Brama" tenta apenas sobreviver até 2018.

    ResponderExcluir
  4. Não Lula, o defeito é do eleitores do PT, que acreditaram em um partido que se propunha a ser fomentador dos direitos sociais, do emprego, da decência, da moralidade no uso da coisa pública,etc..
    Bem que a Regina Duarte,na campanha presidencial de 2002, pró PSDB advertiu, porém, hoje vemos que foi o sujo falando do mal lavado.
    Valha-nos quem ?

    ResponderExcluir
  5. Parsifal, você ainda é um utópico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, sou um peemedebista sincero: só isso.

      Excluir
  6. Se existiu utopia no PT era a dos idiotas-úteis que serviam de peão para que o General e seus oficiais pudessem tomar o Poder e se locupletar dele. O brahminha deste os tempos de sindicalista se utilizou dessa condição para aquele objetivo. E galgar o poder da forma que fez é legal e um direito, mas acreditar que esse senhor tivesse a utopia de fazer desse País um lugar melhor, é piada. Esse senhor sempre teve suas contas pagas por empresários. Se quiser um lugar melhor vá para o triplex do Guarujá ou para o sitio no interior de São Paulo ou para a cobertura no ABC comprada com dinheiro amealhado para pagar o resgate, salvo engano, do filho de um amigo (o refém foi libertado antes do pagamento).

    ResponderExcluir
  7. o caraque escrevia as letras pro chico buarque morreu faz tempo...desde entao o nobre cantor nao consegue escrever nada que preste e só fala asneira!!

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.