25/06/2015

Juiz decreta a prisão de 05 vereadores de Itupiranga-PA

Shot 004

O tempo fechou ontem (23) para cinco dos treze vereadores da Câmara Municipal de Itupiranga, no sudeste do Pará.

O juiz substituto da Comarca, Cristiano Magalhães Gomes, a pedido do Ministério Público, decretou a prisão dos vereadores Derimar da Silva (PPS), Jhonnatan Baima (PSC), Nilton Araújo (PPS), Raimundo Costa (PT) e Isaias Pereira Alves (PMDB).

Também foram decretadas as prisões do ex-vereador Jailton da Silva (PSB), que renunciou ao mandato maio de 2014 e, por não ter sido encontrado na cidade foi declarado foragido, e do advogado Antônio Quaresma.

O motivo da prisão foi a comprovação de que os vereadores tentavam obstruir a Justiça através de coação de testemunha, em um processo no qual são réus, desde 2013, acusados pelo MPE por formação de quadrilha e fraudes em empréstimos junto ao Banpará. O advogado Antônio Quaresma, que recebeu o benefício da prisão domiciliar, foi acusado de produzir provas falsas no processo.

O MPE narra na peça acusatória que os referidos vereadores coagiam os seus assessores a fazer empréstimos no Banpará. Os valores emprestados eram integralmente entregues aos vereadores e as parcelas vincendas eram pagas com diárias.

Ao vereador Raimundo Costa (PT) foi concedido o direito de responder o processo em liberdade por ter sido o delator do esquema, donde se vê que não somente de Lava Jato vive a delação premiada.

5 comentários:

  1. Os juízes do interior do Estado estão trabalhando e percebem os acontecimentos. Na capital parece que tudo está dentro da legalidade ou então os juízes não sabem o que acontece nas gestões públicas em Belém.

    ResponderExcluir
  2. Parte inicial de publicação hoje 25/06/2015 no site do Ministério Público Federal Procuradoria Geral da República em Minas Gerais com o título “MPF afirma que mais de 14 bilhões deixaram de ser aplicados na saúde em MG”. O Ministério Público Federal (MPF) ingressou com ação civil pública contra o Estado de Minas Gerais por descumprimento da Emenda Constitucional 29/2000, que fixou a obrigatoriedade de aplicação do percentual mínimo de 12% do orçamento em ações e serviços de saúde pública, como atendimentos de urgência e emergência, investimentos em equipamentos e obras nas unidades de saúde, acesso a medicamentos e implantação de leitos.

    De acordo com a ação, o governo estadual, por 10 anos, entre 2003 e 2012, descumpriu sistematicamente preceitos legais e constitucionais, "em total e absurda indiferença ao Estado de Direito", efetuando manobras contábeis para aparentar o cumprimento da EC 29...

    ResponderExcluir
  3. Vi o site do MPF MG e o assunto vai sobrar para o ex-governador Aécio Neves, hoje senador pelo PSDB. No caso o ex-governador não cumpriu o mínimo constitucional de aplicação de verbas em saúde em Minas Gerais, por vários anos.

    ResponderExcluir
  4. Caro Parsifal,
    O vereador que não foi preso, foi Raimundo Costa do PT, Parabéns pela matéria, apenas corrija o equivoco.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.