12/02/2015

Pelo telefone

Shot001

Em maio de 2014, o então governador do Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB), recebeu, em sua residência, a visita da Polícia Federal, que cumpria mandando de busca e apreensão nas investigações da Operação Ararath, que investigava crimes financeiros.

Ao vasculhar a residência do ex-governador, a PF encontrou uma pistola calibre 380 com o registro vencido e o prendeu em flagrante por porte ilegal de arma. Após a autuação Silval pagou fiança e foi libertado.

Com autorização judicial, o celular do ex-governador estava grampeado e no inquérito policial foram transcritas as ligações recebidas por ele no dia da prisão. Duas dessas ligações foram reveladas pela revista Época dessa semana: uma foi do ministro do STF, Gilmar Mendes, e outra do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Gilmar Mendes ligou para Silval perguntado o que ocorria. Quando o Silval relatou, Mendes taxou a ação como "uma loucura" e disse “que iria conversar com o relator do inquérito no STF, ministro Dias Toffoli, sobre o caso”.

Minutos após a ligação de Mendes, o telefone de Silval voltou a soar e desta feita era o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que perguntou que "confusão" era aquela. Ao ouvir o relato de Silval, Cardozo exclamou: "barbaridade!".

Relata a Época que “quatro meses depois, a Primeira Turma do STF analisou um pedido do Ministério Público, que requeria a prisão do chefe da Casa Civil do governo de Mato Grosso. A votação empatou e foi desempatada, negando o pedido do Ministério Público, pelo ministro Gilmar Mendes.

A Folha de S. Paulo interpelou os ministros sobre a gravação. Cardozo respondeu que “um de seus papéis é apurar abusos da PF, por isso ligou para saber se Barbosa havia sido maltratado por policiais” e Mendes respondeu que não comentaria o assunto.

Sabem vocês, doravante, que é atribuição do ministro da Justiça ligar para os investigados presos pela PF, para saber se eles não sofreram abusos, portanto, se por um mero acaso do destino alguém aí se ver em tão constrangedora situação, deixe o celular ligado que imediatamente ele tocará com o ministro da Justiça do outro lado da linha e, de repente, poderá também receber uma ligação de certo ministro do STF.

Ou será que isso é prerrogativa apenas de governadores?

5 comentários:

  1. O Ex-governador em questão é do PMDB, conforme revela a matéria da Revista Época, que o Blog reproduziu. Louvável a postura de trazer o fato ao conhecimento dos internautas que acessam o Blog, haja vista que se trata de um colega seu de Partido. Exemplo de imparcialidade diante de situações antirrepublicanas. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Um dos grandes problemas do Brasil é este: O abismo existente entre governantes e governados. Isto se aplica, também, a membros do legislativo e do Judiciário - neste último, alguns só faltam se comparar a Deus.
    Deveria ser leitura obrigatória para diplomados em cargos eletivos e juízes a obra Um País Sem Excelências e Mordomias da jornalista Claudia Walin.

    ResponderExcluir
  3. Francisco Marcio12/02/2015 22:27

    Esta tudo dominado?!? Aos amigos, as benesses da lei. Aos inimigos,os rigores da lei. Aos indiferentes, a lei. Sorte a sua, ser amigo do Rei...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Francisco Márcio13/02/2015 06:08

      Retificando: amigo dos reis e rainhas aqui de Sicupira...

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.