24/02/2015

Drops de ingá-cipó

> Manchete de ontem (23) do Estadão:

Shot003

Eu juro que não sabia que o governo federal e o PMDB estavam afastados.

> Os retirantes chics

Shot008

O The Wall Street Journal reporta que 51% dos turistas que visitaram Miami, em 2013, eram brasileiros e deixaram na cidade US$ 2 bilhões.

Diz a matéria que depois da reeleição da presidente Dilma, aumentou o número de brasileiros que compram imóveis na cidade, com a pretensão de fixar residência nos EUA, por acharem que o Brasil não proverá o cidadão, tão cedo, de “condições mínimas de segurança pública e estabilidade econômica”.

O desiludido emigrante é o brasileiro da classe mais rica e poderosa, que se tornou, junto aos colombianos, venezuelanos e argentinos, um dos maiores compradores de imóveis em condomínios de luxo na grande Miami, mesmo após a apreciação do dólar.

> Purussaurus brasiliensis 

Shot001

Artigo de um grupo de pesquisadores brasileiros na revista científica Plos ONE, apresentou aquele que pode ter sido o maior predador da Amazônia (não se trata da indústria madeireira): o Purussaurus brasiliensis, um crocodilo que estava no topo da cadeia alimentar dos pântanos amazonenses há oito milhões de anos, que vem a ser o período Mioceno.

Shot007

Os cientistas, através de modelos matemáticos desenvolvidos para que a paleontologia induza medidas a partir de partes de fósseis, concluíram, a partir de um crânio da fera encontrado, no Acre, em 1986, que o Purussaurus brasiliensis media 12,5 metros, pesava 8,4 toneladas, tinha uma altura de 1,8 metros e a sua mordida era duas vezes mais potente que a do famoso Tiranossauro rex.

Shot005

> Caindo de Maduro

Shot009

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que fala com o falecido Hugo Chávez através de passarinhos, já supera o seu antecessor em arbitrariedades: inventa que os seus adversários gestam golpes contra o “governo do povo” e manda prender os “conspiradores”.

A mais recente cartada do totalitarismo madurista foi a prisão do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, manobra já repudiada pelos governos do Chile e da Colômbia.

O governo brasileiro, de mal disfarçada simpatia pela sandice implantada por Chávez na Venezuela, que já prostra o país aos frangalhos, quedou-se mudo até agora, mas o Partido dos Trabalhadores publicou uma nota dando suporte a Nicolás Maduro.

Alguém precisa ajudar o PT a se salvar de si mesmo.

6 comentários:

  1. Alguém precisa é salvar o Brasil das mãos do Partido mais corrupto: o PMDB. Viva o ranário!

    ResponderExcluir
  2. O PMDB do Jader Barbalho sempre está próximo do poder, mas o do Eduardo Cunha parece que não, pelo menos por enquanto. Será um "desembarque fascinante" ou não.
    Por curiosidade, o "mui" digno Senador Jader Barbalho está bem? Está afastado dos holofotes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O melhor jeito do criminoso não ser pego é não ser visto

      Excluir
  3. Mas é o mesmo PMDB que se acostumou a ser sócio do PT num latifúndio chamado governo, dando-lhe sustentação e o Vice-Presidente por duas vezes, e que barganha vorazmente cargos e mais cargos. É o mesmo PMDB que se acovarda e não se posiciona quanto à Venezuela e à grosseria da Dilma quanto à Indonésia, que rejeita receber as credenciais do se Embaixador, e que depois forçosamente vai ter que receber. É o mesmo PMDB que assiste em cúmplice silêncio ao desmantelo que se faz na Petrobras, o mesmo PMDB que ficou em silêncio covarde quando do Mensalão. É o mesmo PMDB que se esqueceu da postura do Doutor Ulysses e que ignora um homem como Pedro Simon. As titicas que a Dilma faz tem a cumplicidade vergonhosa e silenciosa do PMDB.

    ResponderExcluir
  4. Nobre Deputado,
    Merval Pereira escreveu .."O afastamento entre PMDB e PT, explicitado na campanha presidencial, é promessa de crise nos próximos anos, à medida que as forças políticas começarem a buscar seus espaços na reorganização do poder, que todos sentem que está prestes a acontecer, a partir deste que pode vir a ser o último dos governos petistas em sequência.
    O desgaste partidário vem ficando evidente nas sucessivas crises políticas em que o PT se vê envolvido desde 2005, o que reduz a expectativa de poder, que é o combustível para a manutenção da base aliada. Mesmo sendo o principal partido da base aliada, o PMDB, descobre a cada dia que perde poder de fato, embora na aparência esteja mais forte, com 6 ministérios e a vice-presidência da República..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nenhum partido de base está forte quando o governo está fraco.

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.