17/11/2014

Grupo Setal faz acordo de leniência e complica situação das empreiteiras

Shot004

O arrocho sobre as empreiteiras fez com que o primeiro acordo de leniência, a espécie de delação premiada das pessoas jurídicas, fosse fechado na esteira da Operação Juízo final, um desdobramento da Operação Lava-Jato.

O acordo foi fechado no sábado (15) entre o Ministério Público Federal e o grupo Setal, que tem contratos de aproximadamente R$ 4 bilhões com a Petrobras.

Dois executivos do grupo, Augusto de Mendonça Neto e Julio Camargo, já assinaram acordos de delações premiadas individuais com a Procuradoria e os depoimentos de ambos, além dos de Paulo Roberto Costa e Alberto Yousseff, respaldaram a Operação Juízo Final.

O acordo, além da leniência, estabelece o pagamento de R$ 70 milhões ao erário, e para começar a vogar só depende da aprovação da Justiça.

O movimento coloca as demais empreiteiras por suposto envolvidas no esquema em situação delicada, pois através do Setal muitas delas, segundo as delações, faziam os pagamentos ilegais que estão sendo apurados.

> Propinoduto Tucano

Shot002

O acordo de leniência com o grupo Setal é o segundo da espécie feito no Brasil. O primeiro foi com a Siemens, em 2013, na esteira das fraudes nas licitações nas obras dos metros de São Paulo de 1998 a 2008, em governos do PSDB, que ficou conhecido como Propinoduto Tucano.

Aliás, as propinas apuradas no Propinoduto Tucano somam quantias semelhantes às de agora apuradas na Petrobras, rendeu multas à Siemens e à Alstom na Alemanha, França e Suíça, mas aqui no Brasil, ao que consta, foi varrido para debaixo do tapete.

Claro, as traquinagens tucanas sempre vão para debaixo do tapete.

10 comentários:

  1. Parsifal, depois que ocorrer a prescrição, vai constar no seu livro quanto de dinheiro do Petrolão financiou a campanha do Helder Barbalho?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Petrolão não teria como bancar campanhas de 2014. É possível que tenha havido uma contribuição para a do Jatene de 2010, dos 10 milhões que foi entregue ao presidente nacional do PSDB de então.

      Excluir
  2. Deputado, como está a CPI do dinheirinho da Izabela Jatene. será se vai para debaixo do tapete?

    ResponderExcluir
  3. com tanta delação premiada nao vai ninguem pra cadeia...

    ResponderExcluir
  4. Como são poderosos esses tucanos!!! Deve ser por isso que perderam quatro eleições seguidas.

    ResponderExcluir
  5. Deputado, o senhor acha que esses fatos podem agilizar o processo de mudança na lei para sobre o financiamento de campanha? Se não me engano há um processo no STF para dar fim ao financiamento privado porém está na gaveta de algum dos ministros. O senhor sabe algo sobre isso??? E qual sua opinião sobre o assunto???

    André Leal - Tucuruí

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá André,

      O financiamento privado de campanha está praticamente revogado pelo STF, pois a maioria dos ministros já votaram contra. Falta apenas o ministro Gilmar Mendes devolver o processo, de qual pediu vistas, para concluir o julgamento.
      Sou a favor do financiamento público e transparente.

      Excluir
  6. Mais dinheiro publico p vagabundos

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.