22/10/2014

STF confirma condenação de Protógenes Queiroz por vazamento de dados sigilosos

Shot 006

O ex-delegado da Polícia Federal e atual deputado federal Protógenes Queiroz (PCdoB-SP), que ganhou notoriedade nacional na esteira da “Operação Satiagraha, que prendeu, em 2008, o banqueiro Daniel Dantas e o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta, teve mantida ontem (21) a condenação a 2 anos e 6 meses de reclusão por vazamento de informações sigilosas à imprensa.

É fato que a partir de 2006 as operações da Polícia Federal eram vazadas à determinada emissora que de antemão se postava no local onde se efetuariam as prisões: foi a época da espetacularização da ação policial que, por tal vaidade, colocava todo o processo a perder, pois a maioria deles, ocorridos nessas circunstâncias, foram posteriormente anulados pela Justiça.

Shot 004

O quantum da condenação autorizou-lhe a conversão em prestação de serviços e limitação de fim de semana. O STF, idem, entendeu que Protógenes, por efeito da condenação, perde o mandato e o direito de ocupar cargo público durante o tempo de execução da pena, e como essa foi editada por um colegiado ele ficará inelegível por 8 anos a contar do final do cumprimento.

O mandato de Protógenes terminará em 31.01.2015. Ele se candidatou em outubro, mas não foi reeleito.

A moral da história, destarte muitos possam achar que a história não tem moral, é que todos estão sujeitos à lei, inclusive aqueles que pugnam pela prestação dela.

Um comentário:

  1. É uma aberração. O banqueiro que roubou milhões está solto e o delegado que investigou, que é um homem honesto, foi condenado. Só por deixar vazar. Será que vão condenar os delegados do lava jato? Heinnnnnnnnnnnnnnnn.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.