29/09/2014

Respostas oficiais e oficiosas

Shot010

O procurador Medrado pronunciou o querer saber em resposta ao “Diário do Pará”, que o procurou para confirmar se procedia o fato de a SEFA ter negado ao Ministério Público informações por esse requeridas sobre empresas que, por suposto, teriam participado de fraudes licitatórias na Alepa.

Medrado confirmou o evento e observou que o ofício da SEFA que negou as informações solicitadas pelo MPE-PA, alegando sigilo fiscal, foi assinado pelo então secretário da Fazenda em exercício, Nilo Noronha, o mesmo que se comprometeu em repassar a lista dos 300 maiores contribuintes do Pará, em um mero telefonema da senhora Izabela Jatene, filha do governador do Pará, o que de per si, com ou sem ruído, já caracteriza o crime de tráfico de influência, definido no Art. 332 do Código Penal, mas que todo o aparato policial do Estado fez questão de ignorar, preferindo varrer o lixo para baixo do jirau.

Bem, debaixo do jirau dos governos, mesmo daqueles que engolem obliquidades e arrotam ética, há muito mais lixo do que sonha a nossa vã filosofia…

O que difere os governos é que uns são pragmáticos, alguns são cínicos e outros são hipócritas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.