30/09/2014

O Pó dela, em três atos

Shot 007

O jornal “O Liberal” em frontal desobediência à ordem emitida pelo juiz eleitoral Marco Aurélio Castelo Branco, e alegando não ter sido notificado a tempo, publicou, em uma bizarra edição dois em um de sábado e domingo, a pesquisa do Ibope, impugnada pelo juízo eleitoral, que nela viu indícios preliminares de fraude.

A decisão judicial foi publicada, pelo TRE-PA, ainda na noite de sexta-feira e a TV Liberal foi oficialmente notificada na mesma sexta-feira, às 22h47m, o que a impedia judicialmente de publicar a pesquisa, independentemente dos veículos, jornal e TV, terem pessoas jurídicas distintas: a contratante não poderia ceder a publicação a outrem, sob pena de burlar a ordem judicial, o que foi feito.

Por óbvio, destarte, e além da multa de R$ 1 milhão, o artifício constituiu crime de desobediência a ordem judicial, mas nas democracias impúberes como a nossa, há aqueles que obedecem determinações judiciais e aqueles que não prestam atenção nela.

linha

Um vendedor ambulante chegou à cidade com a notícia de que na próxima ida teria um produto comestível inédito e espetacular, que estava vendendo antecipadamente com um desconto. O nome do produto era “Pó dela”.

Encantado com a conversa, um comerciante comprou uma lata e esperou ansioso para degustar o produto.

O ambulante chegou em casa, juntou as próprias fezes e deitou-as a secar ao sol. Uma vez secas, moeu-as e, transformando-as em pó, enlatou-as.

Quando chegou à cidade foi entregar o prometido produto ao comprador que, incontinente, abriu a lata, colheu um tanto do pó em uma pequena colher e saciou a curiosidade gustativa.

Tão rápido quanto espalhou o pó pela boca, cuspiu-o fora, ao sentir o gosto, exclamando indignado:

- Isso são fezes!!

Ao que, na mesma pisada, retrucou o ambulante:

- Não! É o “Pó dela”!

linha

Os dois primeiros atos se encontram cá no terceiro, a moral da história: quando “O Liberal” publicou a pesquisa do Ibope, transformou a Justiça Eleitoral paraense no “Pó dela”.

Como escreveu o Gilberto Dimenstein, ao tratar sobre o brasileiro, “somos uma nação de espertos que reunidos, forma uma multidão de idiotas.”.

14 comentários:

  1. Francisco Marcio30/09/2014 07:40

    Está tudo muito bem, muito explicado, muito bom, mas afinal o que diferencia o grupo RBA ( ao qual, por enquanto, Vossa Excelência idolatra ) tem de diferente do grupo ORM? Ambos possuem expertise em engendrar artimanhas para os parauaras, assim como este signatário plebeu o é.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E de onde você tirou a ideia de que eu "idolatro" o grupo RBA? A postagem narra um fato e o enquadra em uma piada. Nada além disto. Não está feita
      aí, e nem alhures, comparações de quem é santo ou demônio e nem há uma linha afirmado que eu, ou outrem, tem uma auréola pairando sobre a cabeça.
      Os parauaras adoram artimanhas: inclusive aquelas que lhes permitem ler o que não está escrito nem nas entrelinhas.

      Excluir
    2. Francisco Marcio30/09/2014 13:25

      "Tirei de moto próprio, pois como sou leitor assíduo desse blog, acompanho diariamente suas matérias desancando o pescador (ops!) governador e nem uma rasa linha do mesmo tratamento ao seu chefe ( não se sabe até quando...). Assim repiso: qual a diferença entre o seu grupo e o grupo ( agora é, mais há pouco tempo, Vossa Excelência beijava a mão do governador ) adversário.

      Excluir
    3. Aí você explode o átomo: como é que quer que eu desanque o "meu chefe"? Tem que esperar, pelo menos, eu brigar com ele. Como o relacionamento político já se transformou em amizade, e como você é assíduo leitor do blog, já sabe que não falo mal de amigos, a sua espera deverá ser muito longa.
      A diferença entre o meu grupo e o adversário? É óbvia resposta: um é o meu grupo e o outro é adversário.
      Mas onde eu escrevi que há uma diferença?

      Excluir
    4. Francisco Márcio30/09/2014 17:07

      E onde está escrito que eu disse que há diferença entre vós? Eu perguntei para Sua Excelência qual a diferença. E como é habitué, nada de responder qual a diferença. Ou seja, simplesmente ela não existe. É o caolho falando do que só tem um olho...
      Mas em janeiro, Sua Excelência estará sem mandato, como seu pupilo aparentemente dessa vez não vai levar. Vossa Excelência pode se esbaldar nos braços do Sr. Robson...

      Excluir
    5. E por que cargas de águas você perguntou onde está a diferença se já sabe de antemão que não há? E por que eu iria responder qual é se ela não existe?
      Observe: caolho é diferente de quem só tem um olho. É melhor escolher outra similitude editorial.
      Acho que o Robson não vai gostar que eu me esbalde nos braços dele, pois há braços bem mais suculentos para ele agasalhar nos seus. Acho que não vou gostar de me esbaldar nos braços do Robson, pois há braços bem menos toscos para eu me agasalhar.
      Aliás, nessas horas que você me deseja maus agouros, não me faltam braços: eu sou devota de Maa Durga, aquela deusa hindu de muitos braços, e pra que eu quero os braços do Robson se eu tenho a Maa Durga.

      Excluir
  2. Minha dúvida deputado, é saber quem vai pagar esse milhão. Não creio que os donos do jornal se arriscassem de "graça". Tomara não saia do nosso bolso.

    ResponderExcluir
  3. NOTA DE REPÚDIO
    A ADEPOL (ASSOCIAÇÃO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO PARÁ) E O SINDELP (SINDICATO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO PARÁ) vem a público manifestar seu repúdio ante a atitude dantesca, coronelista, abjeta e criminosa do PREFEITO do município de BANNACH, Sr. VALBETANIO BARBOSA MILHOMEM, o qual imaginando-se o “Rei Sol”, senhor do destino dos munícipes, autoridade moral e temporal, proprietário de todos os desejos, a quem todos devem subjugar-se, invadiu a Delegacia de Polícia da cidade e dali arrancou sob a “proteção” de seus asseclas, uma jovem vítima de abuso sexual reiterado, cometido supostamente pelo pai desta, com a complacência da mãe, segundo denúncias do Conselho Tutelar. Para o prefeito de Bannach, ao que parece, a apuração dos crimes mais terríveis e de ação penal pública incondicionada, é aparentemente, condicionada a sua decisão, o que remete aos imperadores romanos, os quais com um gesto do polegar decidiam sobre a vida e morte dos gladiadores, para o deleite da multidão que a tudo assistia.
    O comportamento criminoso do ocupante do poder executivo, não atingiu tão somente ao Delegado de Polícia titular do município, o qual com muita prudência e evitando a instalação do caos por falta de efetivo suficiente, não efetuou a prisão em flagrante do “Rei Sol”, mas também de forma inconteste, a instituição Polícia Civil e, por conseguinte, o Estado Democrático de Direito. Não podemos admitir sob nenhuma hipótese, exercícios ditatoriais de “tiraninhos” alicerçados na mais completa ignorância.
    Para conhecimento do tiranete da hora e a quem mais possa interessar, as entidades de classe, representantes dos DELEGADOS DE POLÍCIA, não olvidarão esforços para que as prerrogativas da carreira insculpidas na Constituição Federal, sejam plenamente exercidas e todas as providências legais, principalmente na esfera criminal, estão e serão tomadas para que fatos inomináveis e atentadores à democracia, tão cara a todos nós, não voltem a se repetir.

    ResponderExcluir
  4. Deputado, por que tanta preocupação com a pesquisa do Ibope? O Diário do Pará publicou pesquisa de um tal IVeiga(?) e não houve tanto alarido como agora. Acredito que o Helder vai perder a eleição por erros no decorrer da capanha e por enfrentar um candidato experiente e que fez obras, totalmente diferente de Ana Julia que não apresentou nada nos quatro anos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E onde você leu na postagem alguma preocupação com a pesquisa do Ibope? A postagem é sobre cumprir, ou ignorar determinações judiciais e pó de fezes. Prefere que eu desenho ou você consegue interpretar textos óbvios depois de dito o que é óbvio?

      Excluir
    2. Parsifal, avisa aos responsáveis pelo combate a esse tipo de falcatrua que existe uma sendo tramada para sábado antes da eleição via programa Liberal Comunidade!

      Excluir
  5. Não tenham dúvidas de que nada será pago. Também pelo que vejo a disputa está acirradíssima, o resultado será imprevisível,haverá muita compra de voto. Os tucanos não querem largar o osso e os pmdb e pt loucos para agarrar. Assim, meus caros, não acredito no ibope das orm mas estou em dúvida quanto ao iveiga, embora este apresente a honradez em apresentar um empate técnico

    ResponderExcluir
  6. Rapaz as multas são pagas e/ou depositadas em juízo. Tem muito candidato que prefere pagar 10 mil em multas ao TRE e se beneficiar na propagação de sua imagem. Falo de candidatos de vários partidos. Até eleitor que prefere pagar multa de 5 reais a votar nas eleições. Isso é Brasil!

    ResponderExcluir
  7. A associação e o sindicato dos delegados de policia civil, deverias, era solicitar ao chefe de policia civil a instauração de inquérito Policial, para apurar a pratica de crime de trafico de influencia, praticado pela Izabela Jatene. duvido que fazem

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.