24/09/2014

Izabela, Molina, polícia, Pirandello e Carlyle

Shot 008

A afirmação consta no laudo pericial da gravação na qual a Senhora Izabela Jatene pede ao subsecretário de Receitas da Sefa a listagem dos 300 maiores contribuintes do Pará, para “buscar um dinheirinho”.

Em sua defesa, Izabela Jatene alega que da gravação foi suprimido o trecho “pra financiar o Propaz”, portanto afirma que houve manipulação fraudulenta da mídia, o que é desmentido pelo perito Molina.

Supressões e inclusões de trechos em gravações são os primeiros eventos analisados por peritos, e caso sejam encontrados a análise não prossegue, encerrando-se o laudo com a afirmação de que a mídia está fraudulentamente manipulada, não podendo ser considerada autêntica para os fins periciais.

> Caso de polícia

O fato é que um caso de polícia acabou se transformando em um caso de política, com as respectivas torcidas, no antagonismo eleitoral, fazendo, no gargarejo dos palanques, o coro da esculhambação mútua.

Na ausência de uma polícia independente e de um Ministério Público eficaz, que persiga a punição de quem fraudou o erário, ou a gravação, desembocamos no vitaminado perfil bipolar da moralidade nacional, o que acaba sendo a conivência com o cinismo que opina serem verdadeiras as notícias dos maus feitos dos nossos adversários e falsas aquelas destiladas contra os nossos correligionários.

> Pirandello

Isso nos faz à parelha daquele sexteto elaborado pelo dramaturgo siciliano Luigi Pirandello, na sua antológica peça “Seis personagens à procura de um autor”, quando seis personagens, enjeitados pelo seus respectivos autores, invadem o ensaio de uma peça e tentam convencer o diretor da companhia a lhes encenar as vidas só pensadas, mas jamais escritas: ainda aguardamos alguém que escreva a história do Pará.

> Carlyle

Resta-nos, então, a máxima do escritor escocês Thomas Carlyle, que disse que “a miséria de qualquer espécie não é a causa, mas o efeito da imoralidade”.

A nossa imoralidade, portanto, tem como efeito as nossas misérias e já que elas, tanto ao cabo quanto ao rabo, assim nos apetecem, vivamos elas.

37 comentários:

  1. Muito bem escrito, mas isso também vale para você, que apesar de uma inteligência muito acima da média, acaba nessas horas se reduzindo a reles mortais como nós, num mero torcedor. Eu já lhe disse que não acredito em políticos: todos mentem. O que acaba me colocando sempre em um paradoxo: se o Diário diz que a filha do Jatene extorquiu eu não acredito. Se a filha do Jatene, pelo Liberal, diz que não extorquiu, eu também não acredito. E agora? O que me resta? Como você mesmo conclui, resta-me torcer por um ou outro lado e resumir a minha moral ao cinismo. O bacana disto é que você sempre acerta na filosofia.
    Aquele seu professor de Direito Constitucional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá professor. Por mera coincidência - e não por paradoxo - sai hoje, depois de um dia e meio no estaleiro, para aquele café na Deli, e encontrei, depois de quase 20 anos, o nosso amigo barbadiano. E o pior é que me disseram, em uma dessas vezes que ficamos a perguntar por outrem, que ele havia morrido.
      Eu não sabia se imaginava que tinha morrido da virose e o via no inferno, para onde acho que vou - afinal os meus melhores amigos devem ir, ou estão, lá - ou se o danado tinha voltado dos quintos para me assombrar na convalescença.
      Saudações peemedebistas...

      Excluir
    2. Francisco Marcio24/09/2014 21:31

      Se Vossa Excelência não quiser ir pro inferno, ainda está em tempo, busque a Jesus e aos seus mandamentos. Pense no que Ele ensinou-nos: "do que adianta ganhar o mundo e perder sua alma".

      Excluir
    3. Pois é, essa é uma das minhas dúvidas atrozes. O meu amigo André Nunes, o Barão do Uriboca e um dos últimos moicanos do partidão no Pará, convenceu-me que os nossos mais queridos amigos, pelas lavras das escrituras, estão todos no inferno, e por isso, em solidariedade a eles (amigos jamais devem ser deixados no chapadão) devemos ir pra lá também, atormentar o demo até que ele nos mande para o Paraíso.
      Mas aí vem a dúvida atroz: o Paraíso, com aquele enorme gramado e aqueles anjos celestiais tocando aquelas tediosas arpas, deve ser insuportável no terceiro dia...
      O pior de tudo é que eu, embora possa ter perdido a alma, não ganhei o mundo.

      Excluir
    4. Deputado, não queira que os fundadores o encontre onde quer eles estejam, porque se os mesmo estiverem no inferno não aceitaram a presensa de pessoas como o senhor lá, pois aqui é o seu lugar seguindo o que é de pior na politica paraense e brasileira já vista!!!!

      Excluir
    5. Você já viu muito pouco da política paraense e brasileira. Ou melhor, você não viu nada. Deve ser a desídia e a falta de perspectiva elementar, que não lhe permite sequer concatenar contextualmente um comentário: ambas causam miopia de alto grau. Procure um desses candidatos que dão óculos e peça um.

      Excluir
  2. Francisco Márcio24/09/2014 15:24

    Para corroborar com suas assertivas, tem mais um detalhe: atualmente Vossa Excelência esta do lado dos: "serem verdadeiras as notícias dos maus feitos dos nossos adversários..." E pensar que há pouco mais de um ano, Sua excelência era da base de apoio do governo atual. Quem, o quê mudou?
    Sem esquecer também, que: ( opina-se ) "falsas aquelas destiladas contra os nossos correligionários". Seu corregionário atual, também já foi desancado por Sua Excelência. O que lhe desagrada com toda vez que esse fato é lembrado. Ou seja, dependendo do momento, Vossa Excelência assume uma posição. Há interesse nisso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há relacionamentos sem interesses: todos eles são movidos pelas conveniências eventuais das partes envolvidas. Na política não é diferente, pois ela é o mais perfeito e acabado repositório de todas as qualidades e defeitos do ser humano e exacerba os dois, as qualidades e os defeitos.
      Faça como o professor aí: acredite sempre nos dois lados e conviva com o seu paradoxo, o que, para Carlyle, são as nossas misérias.

      Excluir
  3. Francisco Márcio24/09/2014 15:47

    Sábias palavras do seu professor. Mas como Vossa Excelência se imiscuiu na política, e é apenas mais do mesmo, poderia ao menos parar de falsas autocríticas. Já que seu interesse é apenas está no poder e nele se refestelar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O "estar no poder e nele se 'refestelar'" é por sua conta e risco sob qual o meu interesse de estar no poder. Reservo-me o direito de discordar do número e do grau, já que o gênero é o interesse.
      Mas está absolutamente errada a sua sugestão de que as críticas são falsas: elas são absolutamente verdadeiras, mesmo que caibam em mim, pois você jamais leu aqui, e nunca ouvirá de mim, que eu sou a flor de lótus no pântano, e mesmo que eu a fosse, não seria vantagem, pois ela só é bela de longe: se alguém chega perto e respira-lhe o olfato, sentirá naquela beleza o mesmo cheiro de onde ela está.
      Alegre-se pois, com o que aqui lê, pois eu não sou um político do bem e nem do mau; não sou um político bom, e nem um mal político: sou apenas um político sincero, e na falta do que mais o valha, preste atenção no sincero.

      Excluir
  4. Deputado já falei sobre isso em outro post. Na verdade, até mesmo na versão apresentada pelo Diário do Pará, aparece a voz da filha do Jatene por baixo falando algo como "pra financiar o Propaz". O problema é que essa parte não foi transcrita pelo dito jornal. Sendo assim, o jornal acaba omitindo uma parte da ligação que explica, mas é lógico que não justifica. Veja bem, pode até ser errado buscar dinheirinho para o Propaz, mas também é errado omitir isso da gravação. A manipulação acontece nesse trecho, não no áudio, mas na transcrição.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu já lhe respondi que o jornal não omitiu nada. O diálogo publicado foi o transcrito pelo perito e que consta no laudo. E lhe repito o que retruquei em outro comentário: "você, e os demais que conseguiram ouvir na gravação a frase 'pra financiar o propaz' apresentem-se aos juramentos das ciências de periciais criminais de áudios, pois conseguiram captar o que nem o perito Molina, com os mais sofisticados espectrômetros de áudio do mundo, conseguiu.".
      Repito-lhe: a transcrição é a que está no laudo, que será apresentado à Justiça, caso a senhora Izabela Jatene resolva, mesmo, processar o Diário.

      Excluir
  5. Deputado, independente da filosofia de D. Constitucional, quero saber se o auditor será afastado já que violou sigilo fiscal, além de participar de tráfico de influência, fora a concussão e a corrupção passiva, com a filha do Pro pai? Espero que no final não termine em pizza como os escândalos dos tecn$$$$$$$cos desse desgoverno de 2011 a 2014.

    ResponderExcluir
  6. http://www.oestadonet.com.br/index.php/politica/item/5655-a-novela-do-dinheirinho-pro-pro-paz

    ResponderExcluir
  7. Pelo que eu vi, li e ouvi, não foi dito que a gravação não era legítima e nem que tinha sido adulterada. O que houve foi a omissão de parte do diálogo: PRA FIANCIAR O PROPAZ. aliás, qualquer um que ouvir atentamente vai perceber que tem mais algumas palavras dita por IZABELA na gravação e não traduzida nas nas matérias e no horário eleitoral.
    Mas , esperar o que mesmo dessas Barbalhos ....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Errado. o diálogo foi transcrito pelo perito e o que o Diário publicou foi o diálogo transcrito no laudo, sem omitir nada dele: o laudo tem fé público, pois Molina é um perito criminal juramentado.
      Você, e os demais que conseguiram ouvir na gravação a frase "pra financiar o propaz" apresentem-se aos juramentos das ciências de periciais criminais de áudios, pois conseguiram captar o que nem o perito Molina, com os mais sofisticados espectrômetros de áudio do mundo, conseguiu.
      Como a senhora Izabela vai processar o Diário do Pará, resta-nos esperar que ela prove que disse o que o perito não conseguiu ouvir e por isso não transcreveu.

      Excluir
    2. Molina é o mesmo que já foi contratado pelos Nardoni? Ah, sim. É esse mesmo. Rsrsrsrsr

      Excluir
    3. Corra e conte isso para O Liberal, pois o jornal já disse que Molina é o melhor perito do Brasil e não duvida nada do laudo, apenas afirma que o Diário omitiu um trecho do diálogo.
      Com essa sua nova tese de defesa quem sabe o Liberal consiga contestar o laudo.

      Excluir
    4. Deputado, é possível ouvir ao final algo do tipo: "pra financiar o papai" ou "pra financia o propai". Coisas desse tipo. Porém o audio realmente é horrível no final.

      Excluir
  8. Sentiram a onda amarela? É só ver o número de coments nesse post ...

    ResponderExcluir
  9. Ei, Deputado, me mande a lista de todos os seus leitores. Pois preciso buscar um dinheirinho com eles. Mande a lista para o meu e-mail: foradalei@jamé.com

    O espirito de Almir pede que o povo não vote em Jatene.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se é possível buscar um dinheirinho com eles, a lista fica comigo.

      Excluir
  10. Os comentários sempre são do DAS que não tem o que fazer o dia inteiro.

    ResponderExcluir
  11. Deputado, e o Dr. Ricardo ficou bom da gripe ou ainda está rouco? Ou agora mudo. Rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a gripe dele foi igual a virose que eu peguei, já estou com pena dele.

      Excluir
  12. Estou contando os dias pra acabar estas eleições e voltemos a programação normal. Na verdade eu queria é que o dinheirinho que essa galera conseguiu arrecadar - parece que mais de um bilhão - fosse gasta em algo que prestasse.

    ResponderExcluir
  13. VAAAAAMOS imaginar, apenas como um exercício de raciocínio, que ela realmente tenha dito "pra financiar o propaz".

    Isso não muda NADA! Ainda configura ilícito!

    ResponderExcluir
  14. Li no site da ORM que o Molina foi consultado por eles e afirmou que, sequer, teve acesso ao audio! Que não fez perícia nenhuma! E agora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E agora? Faça o seguinte: pegue a matéria de O Liberal e represente contra o Diário do Pará no Ministério Público sob a alegação de que o laudo de perícia apresentado pelo jornal é falso, pois o Molina, e nenhum perito n mundo, pode fazer uma perícia e assinar um laudo sem ter o objeto em mãos. Não é possível fazer omeletes sem ovos.

      Excluir
    2. Meu amigo, estou do lado do Diário, sou filiado ao PMDB a anos... enfim!
      Só falei o que eu li! Acompanho as canalhices do Liberal a anos. Meu comentário foi apenas um alerta!

      Corrigindo a postagem original, o que ele diz (o que o Liberal diz que ele diz) é que ele apenas atestou que as vozes pertenciam a Izabela e ao secretário da Sefa.

      Excluir
  15. Parsifal....vc é o pior deles...pois acabou com tucurui e saiu pelas culatras se escondendo na Alepa para não ter suas contas abertas e apodrecer na cadeia, que é o que voce merece

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minhas contas foram todas abertas e aprovadas pelo TCU, TCE e TCM. Eu não me escondo na Alepa: eu me elegi deputado.
      Guarde seus recalques para você mesmo, engula-os e entale-se com eles. Se eu estiver por perto ajudo-lhe para não morrer sem fôlego: dou-lhe um soco nas costas.
      A outra opção sua é ir para esquina e afogar o recalque na mesa de um bar e depois dormir na sarjeta.
      Você está suando por que?

      Excluir
    2. É, o Collor de Mello está fazendo escola, não só nas palavras mas tbm no mal caratismo! Quanto ao suadouro fique tranquilo, porque não sofro desse mal porque não devo nada e não vejo fantasmas me apontando o dedo e me dizendo: tu és um corrupto de carteirinha!!!

      Excluir
    3. E por que você continua suando?

      Excluir
  16. Como diz um certo blogueiro, prna que eu não fui convidado para ficar com esse dinheirinho.

    ResponderExcluir
  17. A luta pelo poder é hilária.
    Pode-se até plagiar Salomão: "Vaidade de vaidade, tudo é vaidade". Ou a nossa MPB : "Toda forma de poder é uma forma de morrer por nada... E tudo passa, talvez você passe por aqui". Tudo está certo sob o ponto de vista de cada um. E, em cada qual. Mas lutemos por uma história decente em que só a EDUCAÇÃO ajuda. E os dois jornais de Belém em nada contribuem para o eleitor e muito menos para o eleitor. Uma pena o desserviço de Diário e o Liberal.

    ResponderExcluir

  18. E a rede de posto de gasolina do filho do Jatene não vai sair no Diário? Estou aguardando a matéria. Vai ser outra bomba de mil megatons.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.