13/08/2014

Acidente de avião mata Eduardo Campos

Shot 015

Sempre digo que campanhas são guerras e embarcam todas as características dos campos de batalhas: não são pastos para os covardes. O destemor, todavia, pode ser o prelúdio do epitáfio, pois embora a prudência seja o freio da temeridade, o ímpeto é a mais perfeita tradução da incúria.

Nesses quase 30 anos de vida pública (sempre destemido) já passei por maus momentos dentro de aeronaves. Por três vezes já decifrei, ao largo, a ceifadora preparando o bote. Após as singularidades prometi aceitar a prudência, mas o calor da liça fala mais alto e não mais que três dias após o aperto o recuo cede lugar àquilo que todo político parece adorar: viver a vida perigosamente.

O candidato a presidente da República pelo PSB, Eduardo Campos, em uma dessas singularidades que nos acolhe, encontrou na manhã de hoje (13) a indesejada das gentes: foi abatido em pleno voo em uma campanha que mal iniciava o seu processo de ebulição. A queda do jato que o conduzia a Santos, onde cumpriria agenda, o tirou da corrida presidencial na plena juventude dos seus 49 anos, deixando órfãos cinco filhos e uma esposa em vestes negras.

A sordícia da morte o fez embarcar ao encontro do seu fatal destino no mesmo dia (13 de agosto) do falecimento do seu avô e padrinho político, Miguel Arraes.

O mau tempo aconselhava ficar, mas a temeridade venceu a prudência e, no momento do pouso, com forte chuva e ventos, talvez o comandante tenha tomado a decisão de arremeter o jato segundos após aquele fatídico ponto de onde não mais se pode retroceder. Mas a fatalidade não mais é que uma série de ocorrências cujos nexos de causalidades, uma vez dada a ignição inicial, não podem ser represados.

Shot 013

A vida é tangida por momentos de decisão. A inteligência nos dá a oportunidade de, nesses momentos, direcionar os nossos rumos. A partir da manobra, inicia-se um trecho da estrada do qual não há retorno, atalhos ou bifurcações, até o próximo momento de decisão. É nesse período da rodovia que os homens constroem os caminhos da humanidade ou encontram o final da viagem.

Que a terra seja leve para Eduardo Henrique Accioly Campos, que sonhou presidir a nossa República e labutava para isso. Minhas condolências àqueles que labutavam com ele.

A morte é uma imperatividade da vida, mas em algumas ocasiões ela é um desperdício…

Shot 016

6 comentários:

  1. Lamentável. Já tinha decido votar nele nessas eleições. Uma perda irreparável para o Brasil. Que Deus conforte as famílias envolvidas.

    André Leal - Tucuruí

    ResponderExcluir
  2. A Comoção do Povo Pernambucano pela perda do seu Maior e Mais Querido Líder Político certamente emocionará a Nação. As Autênticas Lideranças Políticas, sejam elas Locais, Regionais ou Nacionais, são alvo de entusiasmadas sensibilidades, majoritariamente positivas, porque essas Lideranças vivenciam, sentem e se doam, em regime de Sacerdócio, às Causas dos que, verdadeiramente, necessitam da presença do Poder Público.Tais Lideranças são perpetuadas na História e no Coração do Povo, a quem se dedicam com devoção, desprendimento e imensos sacrifícios pessoais e familiares. Sacerdócio de bem servir às causas públicas. Não se trata de romantismo nem ingenuidade. Ainda temos valorosos homens públicos! Hoje o Estado de Pernambuco e o País chora a trágica morte de um de seus Grandes Líderes Políticos. Que a infinita sabedoria do homem possa assimilar e registrar nos compêndios da História do Brasil as honrosas lições positivas da trajetória do Líder Político EDUARDO CAMPOS. Deputado Parsifal Pontes, a homenagem de Vossa Excelência ao Líder EDUARDO CAMPOS reflete o sentimento de todos os paraenses.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela elegância, Parsifal. Em momentos assim, pessoas com senso de humanidade colocam de lado eventuais divergências nesse mundo às vezes impessoal da política, e mesmo da vida cotidiana, para demonstrar em que berço foram criadas. Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. O Pernambuco e o Brasil perderam um grande político. Por coincidência, o Pará perdeu também, Abdon.

    ResponderExcluir
  5. lamentavel o acontecimento,mais plo jeito a ceifadora virou a foice pra os politicos e ai deputado

    ResponderExcluir
  6. NA SEQUENCIA

    Parsifal

    Vós virastes vidente? Primeiro fazes uma postagem sobre tarifas de aviões depois do pouso, depois uma sobre a inocência de Eduardo Campos e na sequencia posta o Eduardo Campos morrendo como um anjo porque um avião não conseguiu estacionar!

    Égua mano, se for mera coincidência joga na loteria comprando o cartão Nº 31013 que a probabilidade de acertares será grande!

    (((MCB)))

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.