01/04/2014

Tempos nublados

tempo

A crise de representatividade política no Brasil, se não chegou ao fundo do poço está a passos largos para lá.

O modelo através do qual o sistema colhe os políticos no meio da sociedade está necrosado a ponto de uma pesquisa, publicada na “Folha de S. Paulo”, edição de domingo (30), revelar que 39% dos brasileiros acha que hoje a situação política do Brasil é pior do que no tempo da ditadura.

A percepção do brasileiro hoje, nos quesitos saúde, segurança pública e corrupção, também revela o quanto as instituições precisam labutar para colocar o sistema nos eixos: 45%, 51% e 68% da população acha que a saúde, a segurança pública e a corrupção são piores hoje do que nos tempos da ditadura.

Abaixo um quadro com as variáveis pesquisadas:

Shot003

Os quatro quesitos com os quadrados vermelhos formaram o quadro que engrossou o caldo caótico pré-64, quando os militares, aliados à extrema direita, apresentaram-se para salvar a pátria e a pátria passou duas décadas para se salvar deles.

8 comentários:

  1. O que é isso, folha? Um ensaio para outro Golpe!?? Faltou o quesito " o que vc acha da mídia atual?" igual, melhor ou pior do que naqueles tempos.
    Francamente.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A pesquisa “Índice de Confiança na Justiça Brasileira (ICJBrasil)”, da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, já fez essa pergunta e eu publiquei aqui no primeiro semestre do ano passado. A resposta foi que 62% dos brasileiros não confiam na imprensa escrita. O percentual dos que não confiam na TV é maior: 71%.
      Isso todavia, não quer dizer que tudo o que colocado na imprensa é falso. A pesquisa agora posta, por exemplo, não precisa desconfiar: derrama pela população a insatisfação do brasileiro com os seus políticos e a crise de representatividade é similar a que tivemos no início da década de 60.
      Precisamos enfrentar isso como nação. Não há clima algum para golpes. A mossa democracia não dará ré, mas não pode ficar patinando onde está.

      Excluir
  2. Quem respondeu essa pesquisa? Educação hoje é melhor que na época do regime? hauuhauhahuahuahauhauahuahuahauha Risos mil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pesquisa não retrata verdade e sim percepção, mas é a percepção que constrói a neurologia das pessoas. Independentemente dos méritos de terem sido melhor ou pior, e de os pesquisados não terem vivido o momento da ditadura, a pesquisa dever ser observada pela percepção que o cidadão tem hoje daquele momento e trabalharmos para que o próprio cidadão descubra que a sua percepção é equivocada.

      Excluir
  3. O problema é que mais de 80% da população brasileira apenas sabe que houve um período de ditadura no Brasil por que ouviu falar. Como uma pesquisa dessa pode ser levada a sério? Como alguém pode aceitar que a educação de hoje é melhor que a do período da ditadura? Os professores eram respeitados, os alunos se levantavam quando ele entrava na sala de aula. Minha mãe tinha aula de francês. Isso tudo em colégio público.

    ResponderExcluir
  4. não é tão desanimador o resultado da pesquisa. Apesar de toda a campanha do eixo Folha-Globo-Veja-Estadão pelo fim do mundo no Brasil já! Vemos que menos da metade acham que a saúde era melhor na ditadura, a metade no empate técnico igualam a segurança pública (e por óbvio deveria ser mais fácil cuidar da segurança numa ditadura), e maioria acha que os militares eram menos corruptos, o que também obviamente se explica porque todos eram proibidos de publicar sobre corrupção na ditadura, muito menos de criar CPIs. No mais, temos que levar em conta que a maioria da população acham que as mulheres são estupradas porque merecem. De onde se deduz, que não é tão ruim está mal na foto da opinião pública brasileira...

    ResponderExcluir
  5. Ei anônimo de 1 de abril das 12h24, os tempos são outros. Naquela época havia 80 milhões de habitantes e hoje somos o dobro. Muita coisa mudou. Naquela época só os apadrinhados tinham vez. Naquela época as drogas eram menos agressivas, hoje elas são destruidoras. Naquela época as famílias tinham controle sobre os seus, hoje a família não mais. Naquela época a mortalidade das doenças era grande, hoje esse índice vem sendo controlado. A liberdade aumentou e a educação nos iguala um pouquinho mais. É preferível mil vezes a democracia, que o controle ditatorial: seja de Direita, seja de Esquerda.

    ResponderExcluir
  6. Ei anônimo de 1 de abril de 2014 das 15:31.
    Realmente os tempos são outros, você está corretíssimo. Hoje não existe apadrinhamentos, no serviço público a escolha para os cargos em comissão levam em conta critérios técnicos e meritocráticos.
    Com poucas exceções (crack, merla, ...) que são subprodutos de outras drogas (para pobre poder comprar), as substâncias são as mesmas: cocaína, heroína, maconha, haxixe, LSD, ópio. etc.
    As famílias não tem controle "sobre os seus" por que educar dá trabalho e cada vez mais as "famílias" querem ter menos dor de cabeça (o bolsa família da criação).
    Quanto às doenças você realmente está certo, se você se tratar no "PSM da 14" terá vida longa e próspera (brincadeira). Você comprovou cabalmente que Malthus estava realmente enganado.
    "... a educação nos iguala um pouquinho mais." Como assim? Se a educação está pior, então a falta de educação, melhor, a baixa qualidade da educação nos iguala um pouquinho mais. A mediocridade como política de Estado para diminuição das desigualdades. Agora estou entendendo tudo que está acontecendo no Brasil nos últimos 10 anos. Isso é genial. Parabéns.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.