08/04/2014

O comandante que abandonou a tropa

tropa
O Ministério Público Militar (MPM) declarou ontem (7) que pediria a prisão preventiva de 23 praças aquartelados na profunda crise do governo com a PM. Hoje (8) declarou que ainda não formalizou a petição.

A OAB-PA recomendará à Justiça Militar que não acate o pedido do MPM, pois a execução dos mandados pode evoluir para um derramamento de sangue. Idem, endereçará ao secretário Segurança Pública e ao governo do Estado, missiva aconselhando-os a abrir um canal de negociações.

Ao MPM e à Justiça Militar são estreitos os contornos ao Código Castrense, que pouco evoluiu no Brasil e segue sendo usado como instrumento para conter crises na caserna, o que é um equívoco institucional.

Nos momentos de exceção a neurologia do foco refuta o arcabouço legal, o que estabelece o vácuo institucional, portanto, nessas horas, a sensatez aconselha resguardar os institutos para uso após a cessação do vácuo e o retorno da institucionalidade.

> Errar é humano. Insistir nele é irracional

O governo, ao enviar à Alepa um projeto de lei que discriminou a tropa, fiou que a disciplina castrense conteria o lado prejudicado. Agora, com o leite derramado, desfila estatísticas alopradas para legitimar a discriminação que legalizou: esse diversionismo beira à puberdade.

O governo, ao se esconder atrás do Código Militar, desvela a sua inaptidão para escapar de um abismo que cavou com os próprios pés. Desculpar-se atirando o fardo sobre a oposição é plantar bananas e querer colher mamão.

O exclusivo responsável pela crise é o governo, que assinou um projeto discriminatório e inconstitucional e fez a sua base aprová-lo; o exclusivo responsável pelo recrudescimento continua sendo o governo, a quem cabe remediar o que não soube prevenir.

> Avisos foram dados

Não faltaram avisos. Se faltou a Simão Jatene assessoria palaciana responsável para aconselhá-lo a não cometer a sandice, ele foi avisado pelos parlamentares da sua própria base, e por todos da oposição, que a empreitada não acabaria bem.

Se a vaidade de Simão Jatene, carenada pelos seus áulicos, o autorizou a se julgar acima das vicissitudes do cargo, ele perdeu a legitimidade para exercê-lo.

> Aos aquartelados

Por outro lado, os aquartelados precisam atentar para os limites do que exercem, pois os liames que entesam a querela não podem estressar o que os comunica com a opinião pública, cuja mentalidade ainda comunga com a norma castrense de que um militar não tem o direito de reivindicar direitos como qualquer trabalhador.

A PM do Pará, ao contrário do que muitos pensam, tem entre as suas praças advogados, engenheiros, professores, mas infelizmente ainda estamos no embalo daquela modinha que diz que soldados não pensam, só marcham:

Marcha soldado,
cabeça de papel.
Quem não marchar direito,
vai preso pro quartel
.”

Infelizmente temos um governador que não conseguiu enxergar a grandeza, e a nobreza, do que significa ser o comandante em chefe de toda a Polícia Militar do Pará.

16 comentários:

  1. Caro amigo tinha um tenente coronel que aparece todos os dias na televisão e que seria pré-candidato a um cargo eletivo esse ano. Com essa crise instalada entre governo e os militares do estado, ele bem que poderia aparecer para ajudar a resolver a questão, mas pelo jeito tá com muito medo pois já foi agraciado pelo aumento então está silente quanto essa questão. Como se vê não é só na advocacia que não tem guarida para medrosos e covardes no parlamento também.

    ResponderExcluir
  2. Perfeita analize Parsifal...Tem que mandar prender é esse Jatene,olho de peixe morto...Pois Foi uma irresponsabilidade o que ele fez...

    ResponderExcluir
  3. Deputado, viu a entrevista do Dudu pro Hiroshi?
    http://www.hiroshibogea.com.br/entrevista-com-duciomar-costa-ex-prefeito-de-belem-confirma-pre-candidatura-ao-governo/comment-page-1/#comment-47051

    ResponderExcluir
  4. Esse pessoal só tá pensando em ir para casa...aí são erros e mais erros...estão com muita pressa... o mandato só termina no final do ano...se acalmem.

    ResponderExcluir
  5. meu comentário vai ser publicado nobre deputado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alan, desculpe a demora. Só agora tive tempo para publicar os comentários.

      Excluir
  6. deputado, o governo cedeu e a rebelião das praças acabou. Já dizem que a revolta das praças está sendo chamada de Movimento Parsifal.

    ResponderExcluir
  7. Caro amigo Alan Wantuir, satisfação em encontrá-lo, mesmo que virtualmente. Estou em Itaituba há 5,5 anos. Mas tão distante da Capital do Estado, tive a oportunidade de receber um vídeo onde um Ten Cel PM se dirige à tropa e, à própria luz da própria sabedoria, relata que na PM há 02 portas de entrada: a dos Oficiais e dos Praças. Gostaria que o amigo visse esse vídeo e tirasse as próprias conclusões. Eu fiquei sem fôlego enquanto pessoa humana, PM, pós graduado strictu sensu, pai de família, etc, etc etc. O amigo manda um e mail para mim e eu envio. Abraços do MAJ PM PEDRO CARDOSO. Aliás, MAJ PM há 06 anos e sem perspectivas de promoção de acordo com os "critérios" ora adotados pelo Governo do Simão.

    ResponderExcluir
  8. Dep.e não é que vc tinha razão...Pedreirinha é aqui no Pará,hoje morreram cinco na cela em icoaraci...

    ResponderExcluir
  9. JATENE, UM GOVERNADOR DA DISCÓRDIA.
    O GOVERNADOR TUCANO DO PARÁ , DUBLÊ DE CANTOR E PESCADOR, VAI ACABAR DESTRUINDO A POLÍCIA MILTAR DO PARÁ. RACIOCINE COMIGO: ELE TEM A MAIORIA NO LEGISLATIVO, CERCA DE 25 DEPUTADOS,APROVA LEIS QUE BENEFICIAM POUCOS OU QUASE NINGUÉM, GOVERNA O ESTADO COM MÃO DE FERRO. TRATA OS OPOSITORES COM REVANCHISMO E ÓDIO. CENÁRIO PERFEITO DE UMA DITADURA NEO LIBERAL COMO É DE PRÁXIS DOS GOVERNOS DO PSDB. ARROCHA DESDE SEMPRE OS SALÁRIOS DOS SERVIDRES ESTADUAIS QUE VIRA E MEXER ENTRAM EM GREVE. PRIVILEGIA POUCOS, MUITOS POUCOS, SÓ AQUELES QUE “BABAM” OVOS. POIS BEM, NA SEGURANÇA PÚBLICA NÃO É DIFERENTE. O DITADOR JATENE TENTOU COLOCAR EM ROTA DE COLISÃO OS DELEGADOS E OS INVESTIGADORES , NEGOCIANDO DE FORMA SEPARADA E DESIGUAL UM POSSIVEL AUMENTO E O PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS. UM TIRO VEIO NO PÉ. O SINDICADO DO SEGUNDO SE MOBILIZOU E DEMONSTROU FORÇA, INFELIZMENTE ESSE É O ÚNICO ARGUMENTO QUE O GOVERNO OUVE, O DA GREVE. QUANTO AOS POLICIAIS MILITARES E BOMBEIROS QUE NÃO PODEM GREVAR, A SITUAÇÃO FICA MAIS DIFICIL. AS CORPORAÇÕE PASSAM POR PROBLEMAS DE INDISCIPLINA VIRTUAL NUNCA VISTA ANTES, O CLIMA BELIGERANTE ENTRE PRAÇAS E OFICIAIS JÁ CHEGOU AO LIMITE. QUEM É O CULPADO? O GOVERNO. SIM O GOVERNO, QUE NA SURDINA MANDOU UM PROPOSTA DE AUMENTO AOS OFICIAIS , COM A DELIBERADA FUNÇÃO: COLOCAR NAS COSTAS DA ALEPA A DECISÃO, MESMO SABENDO QUE AS PRAÇAS IRIAM RECLAMAR E COM RAZÃO. NÃO SE DISCUTE AQUI QUEM É MERECCEDOR OU NÃO DO AUMENTO, ACREDITO QUE TODOS MERECEM, AGORA HÁ DE CONVIR QUE A ESTRATÉGIA DO GOVERNO BEIRA A PUREZA MAQUIAVÉLICA, ENVIOU UMA PROPOSTA NATIMORTA PARA A ALEPA COM O ÚNICO OBJETIVO, CRIAR UM DEBATE DE DISCÓRDIA NA CORPORAÇÃO. AGORA EU TE PERGUNTO: SE O GOVERNO TEM MAIORIA, NÃO SERIA FÁCIL APROVAR MESMO COM A NÃO APROVAÇÃO DA OPOSIÇÃO? TIPO ASSIM: “EU MANDEI A PROPOSTA, MAS A ALEPA NÃO APROVOU, SÃOAS PRAÇAS QUE NÃO QUEREM O AUMENTO DE VOCÊS. EM NADA VAI AJUDAR ESSE CLIMA. POR OCASIÃO DA LEI ELEITORAL, O GOVERNO TEM ATÉ O DIA 4 PARA EFETIVAR QUALQUER TIPO DE AUMENTO AOS SERVIDORES, ENTÃO OQ EU VAI ACONTECER? ESPERO QUE O GOVERNO REVEJA SUAS AÇÕE POLÍTICAS E CONSERVE O QUE DE MEHOR DEVE TER UMA CORPORAÇÃO: A CAMARADAGEM ENTRE OS SEUS.

    ResponderExcluir
  10. Se a própria Constituição diz que militar não pode fazer greve, como o MPE pode tá errado em buscar a punição?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onde está escrito que o MPM (e não MPE) errou?

      Excluir
  11. Muitos praças erraram e devem ser punidos, mas o MPM deve também analisar a legalidade da Lei. Só tentar punir os militares "arraia miúda" é covardia.

    ResponderExcluir
  12. Amigo...Sou servidor publico do DETRAN...E vamos dar a resposta para esse ditador em outubro na eleição...FORA JATENE e sua gang.
    Tou com saudade das loucuras da Ana Julia e cia...Pode???

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.