02/03/2014

Paco de Lúcia: a expressão moderna do flamenco

Os mouros invadiram, na Idade Média, a Península Ibérica, a Sicília e Malta, de onde se fizeram ao litoral francês: foi a "civilização mourisca", que se impôs por 7 séculos.

As guerras de reconquista cessaram em 1492, quando Isabel I de Castela e Fernando II de Aragão, os reis católicos, tomaram o Emirado de Granada, último reduto mourisco, expulsando-os para o Norte da África.

Shot004

Contam que quando Maomé XII deixava Granada, após a entrega das chaves do magnífico palácio da Alhambra aos espanhóis, na barca que o conduzia ao Marrocos, ao voltar o último olhar à cidadela, chorou convulso.

Nesse momento, sua mãe, Aixa, que fora contra a rendição, desferiu-lhe uma bofetada no rosto, repreendendo-o intimorata:

- Não chores como uma mulher por aquilo que não soubeste defender como um homem!

Maomé XII, nascido em Granada, rendeu-se com a intenção de poupar seus súditos de um massacre, mas para Aixa, uma legítima moura árabe, desgraça pouca era bobagem: ela preferia ver o seu filho morto lutando a vê-lo fugindo chorando.

Os mouros se foram, mas os seus 700 anos na Europa permaneceram: a arquitetura, a comida, termos linguísticos justapostos e a música, foram o espólio que legaram.

> Paco de Lúcia

paco

O flamenco, como o fado e o tango, é um lamento originado nas modas mouras, entoadas com saudades de casa.

Nascido de uma família de guitarristas flamencos, o andaluz de Algeciras, Francisco Sánchez Gomes, alcançou a glória mundial como Paco de Lúcia: a maior expressão do flamenco já surgida.

Eu nunca vi alguém com tamanha habilidade para golpear uma guitarra flamenca e tirar dela acordes que traduziam com perfeição o choro de Maomé XII ao deixar Granada, ou a revolta de Aixa por ele não ter lutado.

Shot007

Um ataque cardíaco matou Paco de Lúcia na última quarta-feira (26.02), aos 67 anos. Ele foi para o flamenco o que Astor Piazzolla foi para o tango: ambos releram os gêneros e neles embarcaram os respectivos lamentos atuais dos seus povos, atualizando-os

Paco de Lúcia (Paco é diminuitivo de Francisco e os andaluzes costumam, coloquialmente, chamar as pessoas pelo primeiro nome, seguido do nome da mãe) tocou publicamente, pela primeira vez, em 1958, quando tinha apenas 11 anos.

Desde então conheceu a fama e aos 20 anos já era um guitarrista conhecido em toda a Europa. Em 1991, quando tocou na Orquestra de Joaquin Rodrigo, o Concierto Aranjuez, a sua fama se espargiu pelo mundo. A ceifadora o levou cedo. No auge da fama.

pacode

Aprecie abaixo a performance clássica de Paco no adagio de “Concierto Aranjuez”, a mais pura expressão do lamento flamenco. Não se apresse: não perca a apoteose do adagio, com os violinos. É de fazer chorar.

Mas isso é o clássico. Não deixe de apreciar as composições de flamenco moderno de Paco, onde ele mostra toda a sua habilidade com a guitarra, como “Entre dos aguas”:

2 comentários:

  1. Concordo com tudo que dissestes, inclusive escolhemos a mesma música para homenageá-lo o Concerto de Aranjuez...e devo falar da maneira que a mim se apresentou de forma indelevel na trilha excepcional para o filme Carmen de Carlos Saura...memorável.

    ResponderExcluir
  2. If some one wishes to be updated with most
    up-to-date technologies afterward he must be pay
    a quick visit this web site and be up to
    date all the time.

    Also visit my homepage visit this page

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.