03/01/2014

Cannabis sativa

Shot006

A fila de cerca de 1km é para comprar maconha para fins recreativos no primeiro dia da liberação da erva, ontem, (1) no Estado do Colorado, nos EUA.

O Colorado - e mais 20 estados dos EUA - já comercializava a maconha para finas medicinais. A partir de ontem (1) a comercialização está liberada, até 30 gramas ao mês, para cidadãos do Colorado maiores de 21 anos, em estabelecimentos específicos. Não cidadãos do Colorado podem adquirir até 7 gramas por mês.

> Impostos

O Estado do Colorado prevê arrecadar cerca de US$ 67 milhões de impostos por ano com o comércio, e a lei determina que os primeiros US$ 40 milhões arrecadados serão investidos em construções de escolas.

> Cretinice e hipocrisia

A proibição de drogas é a cretinice casada, em comunhão de bens, com a hipocrisia, pois alimenta o crime organizado, que fatura bilhões com a ilicitude e não paga um tostão de impostos: é o negócio mais lucrativo do mundo.

Proibir a maconha, ou qualquer outra droga, não impede que ela possa ser adquirida na esquina e até a recebida em casa.

O cigarro e o álcool, que fazem mal à saúde e causam problemas sociais similares, podem ser comprados em todas as esquinas. Se queremos evitar o abuso do que faz mal, proibir, comprovadamente, não é a solução.

Educar é a única tentativa que pode entregar a moderação com menor ineficácia.

6 comentários:

  1. Huxley, em seu Admirável Mundo Novo, foi um profeta. Eis aí a liberação da SOMA. E teremos uma sociedade de zumbis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não. Na distopia de AH o crime era não consumir o Soma: os cidadãos estavam obrigados ao entorpecimento.
      As drogas, mesmo onde o consumo é criminalizado, estão liberadas há muito, pois você compra onde quiser ou, como dito na postagem, pode encomendar e receber em casa.

      Excluir
  2. Parsifal,em 1999 um amigo meu chamado Marco Alexandre da Costa Rosário defendeu uma tese de mestrado no CCJ na UFPA intitulada O Narcotrfico e o sitema penal a nível federal no estado do Pará. eu não tenho a mesma digitalizada,mas dá pra conseguir uma cópia da mesma na UFPA. La ele praticamente expõe a tese da venda da droga pelo estado como forma de quebrar o narcotráfico.

    a tese te ve como orientador o Dr. Jose Carlos Castro.

    eis so um trechinho da mesma,nos antecedenetes historicos,o homem antigo e o uso das drogas:
    as drogas sempre estiveram associadas as praticas de culto,sendo usadas pelo homem antigo ora como prática medicinal,ora como uma forma para aumentar a percepção do cotidiano e criar uma especie de realidade paralela. o homem antigo,desta forma, usando várias práticas, tais como a dança,o canto,a hipnose e tambem as drogas,procurava criar ,atraves dela um liame com a divindade...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, vou tentar conseguir a tese para ler. A questão crucial é que o Estado não tem maiores interesses na descriminalização, pois bilhões estão envolvidos no combate e isso sustenta dezenas de milhares de pessoas dentro do aparelho estatal, que também tem interface com o tráfico ou seja, um depende do outro e se essa cadeia se quebrar muitos perderão dentro e fora do Estado.

      Excluir
  3. O mesmo ocorre com o jogo do bicho. O estado "precisa" desses ganchos. Tanto é verdade, que bicheiros ricos e famosos, investem em obras de arte, joias e não são incomodados pelo Leão da Receita.

    ResponderExcluir
  4. o brasil é o país da hipocrisia todo mundo fuma maconha, joga no bicho e transa com prostitutas mas nao paga imposto! pagamos nós que compramos feijão...

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.