05/12/2013

PISA 2012: Pará amarga o 20º lugar entre os 27 estados

Shot005

O Pará agrega mais um índice desagradável à coleção: o 6º pior desempenho, em todo o Brasil, na edição 2012 do PISA (Programa Internacional de Avaliação de Alunos).

Pioramos em relação à última medição, em 2009, o que nos ratifica o recalque e a falência da forma de governar.

Empatamos com o Tocantins e estamos atrás do Amapá e Piauí, que costumam ser tratados de forma pejorativa pela gente diferenciada.

O PISA, aplicado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), mede o grau de aprendizado em temas considerados “essenciais para a completa participação em sociedades modernas” – Matemática, Leitura e Ciências - dos estudantes que estão concluindo o ensino básico, o que, a priori, coloca os prefeitos municipais na berlinda, pois a eles está afeito o ensino básico.

O que ocorre? Despendemos cifras bilionários anualmente com educação e conseguimos resultados sofríveis. Não estamos, a contento, preparando os jovens para a “sociedade moderna”. Em que ponta está o equívoco?  Abaixo o ranking nacional:

Shot002

A Federação também não tem o que festejar: o Brasil, no PISA 2012, amarga a 58ª posição entre os 65 Países avaliados, ficando a melhor avaliação com China e o pior com o Peru. Abaixo os primeiros 10, a posição do Brasil e o último no ranking mundial:

Shot003

A evidencia do ranking mundial está na ausência dos EUA, o maior PIB do mundo, nos 10 primeiros. Tio Sam está em polvorosa.

4 comentários:

  1. É uma pisa atrás da outra...

    ResponderExcluir
  2. Enquanto isso, o prefeito de Breu zera o contracheque dos professores, assim a educação não melhora nunca

    ResponderExcluir
  3. Esgotou-se o modelo. Assim tudo se recicla. Porém como tem o maoir poderio nuclear, o Mundo tem que esperar.

    ResponderExcluir
  4. Parsifal. Realmente não há motivos para que o Brasil e o Pará comemorem alguma coisa na educação. As grades curriculares priorizam a aprovação, sem que os alunos tenham o conteúdo desejado. Aluno reprovado é prejuízo financeiro pela ótica vesga de quem nos governa, de maneira que aprova-se alunos às carradas, mas esses coitados não sabem ler, meu caro Deputado. Não por acaso, os resultados de exames da OAB espelham bem como nossos jovens saem das Faculdades, onde cerca de 80% dos candidatos pararam na primeira fase. Daí que o " doutor "vira Ministro da mais alta instância da Justiça, sem ter logrado êxito em duas tentativas para integrar a Magistratura. Experimente procurar entre os alunos do ensino médio, quem leu Machado de Assis, José de Alencar, filósofos gregos, oradores romanos, João Ubaldo Ribeiro, Jorge Amado, entre outros... Se realmente o General De Gaulle disse que " o Brasil não é um país para ser levado a sério ", seus ossos devem estar saltitando na tumba. Quando à posição mundial, creio que se ao invés de pinçar Xangai, Hong Kong e Macau, e colocarem a República Popular da China como um todo, os resultados seriam outros.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.