30/07/2013

Fábricas alemãs respondem por 10% do PIB do Brasil

A maior concentração de fábricas alemãs fora do território alemão é no Brasil. Apenas na grande São Paulo há 900 plantas das 1400 instaladas no país.

As 12 maiores fábricas alemãs no Brasil respondem por 10% do PIB nacional, grandeza que não é ultrapassada por nenhum outro conglomerado de multinacionais aqui instaladas.

Abaixo as 12 mais:  

Shot004WOLKSWAGEN A segunda maior montadora do Brasil vendeu, na primeira quinzena de maio, 120.246 carros apenas no país: a VW do Brasil exporta para o Mercosul.  Mundialmente, a VW é a segunda maior vendedora de carros do mundo, perdendo apenas para a Toyota.

Shot005MERCEDES BENZ Outra montadora alemã, no Brasil especializada em caminhões. A companhia tem uma fábrica em Juiz de Fora (MG) que está se preparando para produzir caminhões pesados da família Actros e caminhões leves Accelo.

Shot006MAN Os alemães sabem mesmo fazer veículos. A Maschinenfabrik Augsburg-Nürnberg (compreensivelmente conhecida apenas como MAN) adquiriu a divisão de caminhões da Volkswagen, com fábrica em Resende (RJ), e aqui os fabrica.

Shot008BASF A indústria química da Alemanha é a mais desenvolvida em todo o mundo. A BASF investirá R$ 1,2 bilhão na construção do Complexo Acrílico no Polo Industrial de Camaçari (BA). Trata-se do maior investimento da história da Basf no Brasil.

Shot009BAYER A multinacional alemã, há 117 anos por aqui, novamente registrou em 2012 um recorde de vendas no país. Somadas as atividades de suas três divisões locais - CropScience (ciências agrícolas), HealthCare (cuidados com a saúde) e MateriaIScience (materiais inovadores) -, as vendas do grupo alcançaram R$ 5,7 bilhões, uma expansão de 26% em relação ao ano anterior.

Shot010BOSCH No Brasil desde 1954, emprega cerca de 9.700 pro­fissionais. Em 2012, a Bosch registrou no país um faturamento líquido de R$ 4,1 bilhões com a oferta de produtos e serviços automotivos para montado­ras e para o mercado de reposição, ferramentas elétricas, sistemas de segurança, termotecnologia, máquinas de embalagem e tecnologias industriais.

Shot011SIEMENS O grupo tecnológico e industrial alemão prevê investir US$ 1 bilhão no Brasil até 2017. A empresa prevê duplicar sua receita no Brasil nos próximos cinco anos. Recentemente a matriz alemã obrigou o braço nacional a delatar uma rede de corrupção no fornecimento de trens e tecnologia para o metrô de São Paulo.

Shot012CELESIO O Brasil é o quarto maior mercado do mundo para a distribuidora de medicamentos alemã. Para consolidar sua posição no país, o grupo comprou no ano passado sua concorrente local Panpharma.

Shot018HAMBURG SÜD A companhia alemã de transporte marítimo teve um importante papel na imigração para o Brasil, no final do século XIX e início do século XX; muitos colonos germânicos vieram para o país em seus navios. A empresa acaba de adquirir seis novos porta-contêineres, cada um com capacidade para 9.600 TEUs, que operarão em suas rotas latino-americanas.

Shot014MAHLE A fabricante de autopeças, que adquiriu a brasileira Metal Leve anos atrás, reportou lucro de R$ 36,5 milhões no primeiro trimestre deste ano, com crescimento de 2,75% em relação a igual período de 2012.

Shot015ZF A empresa foi criada por Ferdinand Von Zeppelin, responsável pelo primeiro dirigível do mundo - hoje se dedica ao setor automotivo. Ela chegou ao país em 1958 - foi sua primeira operação fora da Alemanha.

 

Shot016LANXESS A fabricante de produtos químicos e plásticos anunciou que investirá 80 milhões de euros em sua unidade instalada em Triunfo (RS) para converter a atual produção de pneus em pneus de alta performance.

Fonte: Forbes Junho 2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.