03/04/2017

A cultura do encarceramento

Shot 001

A concessão de prisão domiciliar à Adriana Ancelmo, esposa do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), o exagerado, foi seguida de indignação.

O Ministério Público Federal (MPF) também resolveu dar um chute no defunto e recorreu da decisão que concedeu prisão domiciliar, requerendo que Adriana Ancelmo volte ao cárcere, de onde jamais deveria ter saído.

Seria, na minha contumaz opinião de intuir que prisão não deve ser regra, mais correlato se o MPF peticionasse a quem de direito, que às dezenas de milhares de mães presas, cujos casos guardem similaridade, fosse dada a liberdade nas mesmas condições de Adriana Ancelmo.

2 comentários:

  1. ..eu também pensos assim e não acontecerá me razão da balança pesar mais de um prato que do outro...

    ResponderExcluir
  2. nenhuma mulher deveria ser solta por ser mãe.
    é uma distorção do nosso sistema de justiça haver tão poucas mulheres presas.
    para que não digam que não falei de flores, um advogado politico d esquerda concluiu que os menores se ioniciam na criminalidade aos 12 anos, quando entram para o trafico e logo são ensimados a matar. a solução que o bacaninha aponta e´marter os jovens na escola a qualquer custo, para mim, a soluçao e encarcerar para sempre aqueles que ensinam o menor a matar.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.