20/02/2017

PRB, PROS, PCdoB, PP e PDT teriam recebido R$ 30 milhões da Odebrecht para apoiar Dilma em 2014

Shot 004

A imprensa começa a despachar ao distinto público as delações tomadas em “segredo de justiça” dos executivos da Odebrecht e escolheu para estrear as manchetes o atual ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira (PRB-ES) que, segundo as delações de Marcelo Odebrecht, Alexandrino Alencar e Fernando Cunha, ex-presidente e ex-executivos da Odebrecht, teria recebido R$ 7 milhões do caixa 2 da empresa para a campanha do PRB em 2014.

Segunda as delações, Pereira teria recebido os R$ 7 milhões em espécie como pagamento do apoio do PRB à campanha de reeleição de Dilma Rousseff. 

Shot 002Mas não para no PRB o suposto pagamento da Odebrecht por compra de apoio partidário à reeleição de Dilma Rousseff. Relatam os delatores que o pagamento ao PRB teria feito parte de  um pacote de R$ 30 milhões pagos, além do PRB, ao PROS, ao PCdoB, ao PP e ao PDT.

Observa o Estado de S. Paulo, que as delações dos três executivos foram tomadas em separado, sem que um soubesse o depoimento do outro, e todos foram coincidentes nos valores e recebedores.

Marcos Pereira, que é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, é o sexto ministro de Temer citado na Lava Jato. Como Temer afirmou que afastará o ministro que virar réu, se as investigações mantiverem um ritmo acelerado é muito provável que a Esplanada dos Ministérios receba novos inquilinos em quase metade dos seus edifícios até o final de 2017.

Um comentário:

  1. Bom dia... acho que esse comentário do interino foi mais um factoide, pois quando virarem réus o jogo já acabou...

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.