26/12/2016

Seria Pedro Taques, governador do MT, o Demóstenes Torres do Pantanal?

Shot 001

O ex-procurador da República, ex-senador e atual governador do Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), assoprava aos quatro ventos a sua absoluta honestidade moral e ética na tribuna do Senado, mas uma delação premiada de um empresário apanhado pela Operação Rêmora, ameaça o bafo de Taques e pode transforma-lo em nada mais que uma espécie de Demóstenes Torres do Pantanal.

Trecho da delação do empresário Alan Malouf ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado) do Ministério Público Estadual do Mato Grosso, publicada pela Folha de S. Paulo, na sexta-feira passada (23), envolve Taques em um suposto esquema de corrupção na Secretaria da Educação do Estado.

Narra Malouf que Taques o procurou pedindo ajuda na sua campanha de 2014, quando se elegeu governador, e em troca ofereceu-lhe um cargo no governo, caso vencesse.

Malouf disse que não tinha interesse em cargos, mas que queria “fazer negócios com o governo” e foi assim que se montou o esquema na Secretaria de Educação, através do qual, afirma Malouf, foi passado cerca de R$ 10 milhões a Taques para “pagar débito de campanha eleitoral não declarado".

Malouf delata ainda que quando o esquema começou a ser investigado ele se “reuniu com o governador na sede do governo, juntamente com o chefe da Casa Civil, Paulo Taques” e, ao relatar o andamento das investigações, Taques teria lhe dito que "daria um jeito de resolver".

O governador Pedro Taques, ainda vestindo a capa de vestal, bem à moda tucana, chamou as afirmações de Alan Malouf de “levianas e absurdas” e disse que “as movimentações financeiras de campanha foram regulares”.

É… Há um ditado rezando que se você quiser descobrir a verdadeira personalidade de alguém, basta dar-lhe poder.

6 comentários:

  1. Verídicas ou não essas acusações. Mil vezes Taques a Jatene.

    ResponderExcluir
  2. Taques, quando procurador da República, colocou pulseira de prata no Jader Barbalho.

    ResponderExcluir
  3. Ainda escorrega no quiabo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ouvi alguns relatos sobre tais façanhas!

      Excluir
  4. Pedro Taques não é bobo nem nada. Elegeu-se pelo PDT e, tão logo tomou posse, entrou no PSDB. Isso que é saber se blindar contra acusação de corrupção e caixa 2.

    ResponderExcluir
  5. entrou na politica tem que "rezar"

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.