10/02/2016

Para que não te esqueças que és pó

Screen 001

Lavra o Antigo Testamento, no livro de Jó, que “os homens se cobriam de cinzas para exprimir sua dor e humilhação”.

Quando a Igreja Católica adquiriu poder temporal, no primeiro dia da Quaresma os pecadores, ou penitentes, se apresentavam ao bispo, ou penitenciário (daí a designação de penitenciária à casa de detenção que serviria para os delinquentes purgarem os seus crimes) e pediam perdão pelos seus pecados.

Os penitentes se apresentavam ao bispo vestidos com um saco e com a cabeça coberta de cinzas, que representava a consciência da mortalidade, pois está escrito que "Memento homo quia pulvis es et in pulverem reverteris”, no vernáculo “Lembra-te, homem, que és pó e ao pó retornarás”.

Mais tarde, um dos mais sábios membros da Igreja, Santo Agostinho (para mim só superado por São Tomás de Aquino), tornou a cerimônia das cinzas uma obrigação para todos os cristãos, pois, segundo ele, todos somos pecadores.

A quarta-feira de cinzas, portanto, é o dia em que nos devemos prostrar aos pés do Criador e pedir perdão pelos nossos pecados (e pelos excessos da folia), com a cabeça coberta de cinzas, para que jamais esqueçamos que somos pó.

Como não mais é costume cobrir a cabeça com as cinzas, o celebrante, com o dedo polegar envolto em cinzas, faz o sinal da cruz na testa do penitente, que só pode lavar a cinza após o meio dia, daí porque o feriado do carnaval termina ao meio-dia da quarta-feira.

5 comentários:

  1. Parsifal,Boa Noite !

    Matéria Revista Exame |10/02/2016 - As 50 Cidades Menos Desenvolvidas do Brasil.....INFELIZMENTE o nosso Estado do Pará está "Contemplado" com 09 Cidades....Justa ou Injustamente estamos mais uma vez no cenário nacional negativamente em destaque .
    Achei necessariamente importante divulgar.

    Sandro Fabricio Cruz

    ResponderExcluir
  2. Parsifal, ao ler o post, lembrei-me dos meus tempos de "coroinha" do meu querido Colégio Do Carmo. A missa era em latim e as aulas de catecismo continham, não só a parte de total obediência a princípios da religião, como verdades que balizaram meu comportamento a vida toda. O meu lema foi aprendido no Carmo. " A Glória é passageira; a celebridade, eterna. Graças à tão belo ensinamento, jamais me empolguei com momentos de triunfo. Aprendi a interpretar a obra de São Tomás de Aquino e de Santo Agostinho, que me foram de grande utilidade no 1 ano da Faculdade de Direito, quando o grande mestre Daniel Coelho de Souza lecionava, com rigor,"Introdução a Ciência do Direito". De Santo Agostinho, mestre, não só da Igreja, não sabia ser dele, á imposição das cinzas. Gostei muito da sua honestidade e sinceridade quando instado por sua mãe, Santa Monica, para renunciar aos prazeres da carne, teria respondido: "Castidade, mas não já"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo Ronaldo. Quando estou em São Paulo, vou a missa das 18h, aos domingos, no mosteiro de São Bento, que é rezada no rito Tridentino, toda em latim. Certa vez, conversando com o nosso eterno padre Dom Zico, sugeri a ele que encontrássemos um sacerdote que operasse o rito em Belém. Ele, com aquela calma peculiar, respondeu-me na bucha: "já estamos com dificuldade de encontrar sacerdotes que rezem a missa em português..."

      Excluir
  3. Copulatum et Malum Remuneratum11/02/2016 11:26

    Caro Parsifal. Volta e meio visito seu blog e, quase sempre, concordo com o teor de suas postagens. Hoje irei discordar... Santo Agostinho foi maior - por favor, entenda como questão de opinião! Entretanto, muitas vezes vejo comparações entre Agostinho e Tomás de Aquino, mas que não levam em consideração o imenso hiato temporal existente entre ambos. Ora, são quase 900 anos de diferença entre a vida de um e de outro. A importância de Santo Agostinho para mim reside justamente no fato de, ainda no final do quarto século, ter lançado bases suficientemente sólidas para o desenvolvimento do cristianismo e da filosofia ocidental. Aguardemos o dia 15 de junho para celebrarmos Santo Agostinho. Até lá, sugiro a todos a leitura de De Civitate Dei, sempre oportuna e atual.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Agostinho foi um dos mais sábios. A De Civita Dei, juntamente com a Summa Theologica, de Aquino, foram duas das maiores obras literárias que a espécie humana já produziu. Mas sugerir estas leituras nos dias de hoje, pode ser, data vênia, semear na areia...

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.