09/11/2015

Pingos d'água

Screen 003

Segundo os dados do relatório do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento do Ministério das Cidades, 37% de toda a água tratada pelas companhias de saneamento do país é desperdiçada.

Os dados do relatório são de 2013, mas não houve, desde então, qualquer providência que autorize afirmar que aquele percentual baixou em 2014.

Ligações clandestinas, infraestrutura desgastada, vazamentos, obras mal executadas ou medições incorretas no consumo de água são as principais causas da perda de faturamento das empresas operadoras, sejam públicas ou privadas.

A região Norte é a que apresenta o maior percentual de desperdício: 54,3%. Na região Norte, a campeã do desperdício é a cidade de Macapá, que perde 73,91% (!!!) da água que trata.

Estima-se que o prejuízo para o erário, com o desperdício de água tratada no Brasil esteja em torno de R$ 9 bilhões por ano, ou seja, é uma Lava Jato todo ano.

Não há país melhor que o Brasil. Qualquer outro, por rico que fosse, quebraria com tantas derivações.

4 comentários:

  1. MPT determinou, mais uma vez, a realização de concurso público para guardas portuários.


    Na última sexta-feira (6), em audiência no Ministério Público do Trabalho (MPT), os representantes da Companhia Docas do Pará (CDP) informaram que rescindiram, em 01 de novembro, o contrato de terceirização com a empresa de vigilância Vidicon, tendo sido afastados todos os cento e quarenta e seis vigilantes que ocupavam os postos da Guarda Portuária, de todos os portos mencionados no Termo de Ajuste de Conduta (TAC).
    Solicitação de contrato emergencial
    Na audiência, os representantes da CDP solicitaram a autorização para a celebração de um contrato emergencial para guarnecer os portos de Óbitos, Altamira e Itaituba. Esses portos estão sem vigilantes e sem guardas, pois a empresa já nomeou todos os aprovados do último concurso, conforme acordo realizado na ação de execução.
    A solicitação foi de imediata rechaçada pelo MPT, que alegou ser inadmissível o retorno de empresa terceirizada para exercer as atividades inerentes aos guardas portuários.
    Horas extras
    O Presidente do Sindicato da Guarda Portuária (Sindiguapor), Jonas Melo, sugeriu que a CDP consulte os cinquenta e oito guardas portuários lotados no porto de Vila do Conde, para verificar, dentre esses, quais teriam interesse em serem transferidos provisoriamente para os portos de Óbitos, Altamira e Itaituba, com vistas a cobrir a falta de mão de obra existente nestes portos pelo prazo inicial de noventa dias, pois os guardas portuários dos portos de Belém e Santarém, após a cessação do contrato de terceirização, laboram em regime extraordinário para cobrir os postos, fato que não acontece no Porto de Vila do Conde, sugestão que foi aceita pelo MPT, em caráter excepcional e temporário.
    Convocação do cadastro de reserva
    Informada pelo representante do Sindguapor que há vinte e sete candidatos aprovados no último concurso público que se encontram no cadastro de reserva, no entanto, não foram convocados pela companhia para a realização das duas últimas etapas, o MPT se posicionou pela convocação imediata desses candidatos, pois há necessidade premente de contratação de guardas portuários para suprir a mão de obra dos terceirizados dispensados, bem como o entendimento jurídico no sentido de que esses vinte e sete candidatos possuem direito adquirido à nomeação em razão de não terem sido convocados para a realização das etapas restantes.
    CDP pede prazo
    Os representantes da CDP solicitaram um prazo de dez dias para se reunirem com o Departamento de Governança e Controle de Empresas Estatais, para comunicar o posicionamento do MPT e das providências que serão adotadas pela companhia.
    Após se posicionar sobre a realização de concurso público e a convocação dos candidatos do cadastro de reserva, o MPT deferiu o prazo solicitado, no entanto frisou que, caso não se chegue a um consenso administrativo para a questão, haverá a comunicação ao Poder Judiciário para as providências cabíveis, sendo nova audiência marcada para o dia 17 de novembro.

    ResponderExcluir
  2. http://www.segurancaportuariaemfoco.com.br/2015/11/mpt-defere-convocacao-de-candidatos-do.html

    ResponderExcluir
  3. Se tem uma coisa que ninguém muda nessa cidade é no bairro do Marco a quantidade de lava-jatos por metro quadrado. Ônibus de várias empresas são lavados alí na rua na cara das pessoas que deveriam coibir esse desperdício. Ninguém da COSANPA incomoda esses ladrões de água potável. Na Timbó onde fica a escola de educação física os lavadores de carro moram lá. Deve haver algum esquema. Só pode

    ResponderExcluir
  4. Saúde Pública Integral?

    [ ] Sim
    [x] Não

    Mais um procedimento deixou de ser realizado no âmbito da saúde pública estadual para os pacientes oriundos do H.Metropolitano e/ou demais unidades de internação cirúrgica em UTI no estado: a 'traqueoplastia', ou reversão cirúrgica da traqueostomia, feita para facilitar a passagem de ventilação artificial e outros procedimentos. A fila de espera só está aumentando desde a suspensão deste procedimento.

    Outra lista de espera que também aumenta é a de paraenses em busca de TFD - Tratamento Fora de Domicílio em São Luiz e Fortaleza, para entes familiares egressos do H.Metropolitano que não tiveram atendimento integral, ou seja, a assistência em saúde não teve continuidade; na recuperação da consciência, da fala, dos movimentos, da traqueostomia, etc. E tudo é bem mais difícil quando se lida com um hospital que não é chegado a atender bem os usuários que precisam de documentação técnica, acesso a anexos de prontuário, etc.

    Será que no Maranhão e no Ceará eles gastam tanto dinheiro com propaganda, ou deixam esse dinheiro para investir na saúde pública?

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.