10/11/2015

Negócios e negociatas

Shot005

O PSDB, e o ex-presidente FHC lambam o Instituto Lula e o ex-presidente Lula pelas doações recebidas de empreiteiras, alegando que as doações são vantagens auferidas por Lula como uma espécie de pagamento por lobby travestido de benemerência.

A Folha de S. Paulo revelou, na sua edição de domingo (8), um relatório da Polícia Federal revelando que o Instituto FHC (iFHC) recebeu da Odebrecht, a título de doação, a importância de R$ 975 mil, “em parcelas de R$ 75 mil mensais”, entre 2011 e 2012.

Espargida a farinha no ventilador dos tucanos, o iFHC indignou-se a declarar:

"Basta o mais elementar bom senso para perceber o absurdo de supor que a doação feita à Fundação iFHC pudesse ter qualquer relação com o propósito de obter vantagens governamentais. Causa estranheza, portanto, que ela conste do relatório da PF que trata da corrupção na Petrobras".

A juízo dos ranfastídeos, apenas doações de empreiteiras feitas ao Instituto Lula têm “o propósito de obter vantagens governamentais” e qualquer valor, mesmo vindo do capiroto, santifica-se no exato momento em que é depositado em contas tucanas.

Na mesma nota, o iFHC justifica o porquê de dar à Odebrecht a honra de receber dinheiro dela: “as doações recebidas são essenciais para o desenvolvimento das atividades e programas”.

É vero. Quanto ao Instituto Lula, que tem as mesmas finalidades daquelas estatuídas no iFHC, seria melhor tentar algum repasse das Missionárias da Caridade, congregação fundada pela beata Anjezë Bojaxhiu, mundialmente conhecida como Madre Teresa de Calcutá.

O iFHC também argumenta que a “doação da Odebrecht está devidamente registrada nos demonstrativos, que passaram por auditoria e que incluir as contribuições da empreiteira no contexto de transações sob investigação é confundir fatos de naturezas inteiramente distintas".

Essas são as mesmas argumentações feitas pelo Instituto Lula, quando as doações a ele feitas pela Odebrecht et caterva são colocadas em dúvidas.

É a anciã moral bipolar que nos aflige e que, pelo visto, acomete o iFHC: negociata é todo ótimo negócio do qual eu não fiz parte.

Como ambos fizeram parte, precisam decidir se foi uma negociata ou um negócio. Não dá para vir com essa estória de “naturezas inteiramente distintas”.

Um comentário:

  1. Em tese, tem uma grande diferença, o FHC não teria meios para beneficiar a Odebrecht em contratos com o Governo, enquanto Lula teria. Aliás isso está sendo investigado, além dos contratos com o Governo, tem questões de financiamento junto ao BNDES, lobby junto a ditaduras amigas, entre outros.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.