17/08/2015

Aquelas ondas

Shot

Os organizadores declararam 2 milhões. Os calculistas do governo retrucaram que não foram mais de 400 mil. Segundo os cálculos das polícias militares, as manifestações de ontem (16) levaram aproximadamente 795 mil pessoas às ruas, em pelo menos 59 cidades em todos os Estados brasileiros e o Distrito Federal.

De 400 mil a 2 milhões, continuam as manifestações providas de legitimidade e pertinência, tenham sido elas organizadas por coxinhas, croquetes ou empadas, e tradutoras do mau humor da população com o governo.

Os manifestos, de difusos que eram, concentram-se agora no governo: a regra da grita foi contra Dilma, Lula e o PT, ou seja, o triunvirato perdeu empatia popular no quadro político eventual.

Inculcou-se que a corrupção investigada pela Lava Jato - embora tenha sido uma novela de diversos atores - foi produzida e dirigida pelo PT, que usou as engrenagens da República para financiar a sua permanência no poder e prover outras siglas no seu perímetro de vassalagem.

Reconhecer esse fato é imprescindível para que o governo tenha a humildade de declarar, publicamente, os erros cometidos e pactuar o porvir, pois apenas governos com apoio popular têm força para protagonizar mudanças profundas.

O ex-presidente Lula teve a oportunidade de aperfeiçoar o sistema político, mas preferiu deixar como estava para ver como ficava. Ficou como vemos: de beato político, Lula virou, nas manifestações, boneco inflável com roupa de presidiário, a presidente Dilma “desfilou” vestida de "irmã metralha" e na procissão se viam dezenas de caixões do PT, como se os três fossem os únicos purgadores da dramaturgia nacional.

As manifestações tendem a arrefecer. Isso não significa que o ideal que as acalentou agoniza: apenas fica latente e sempre retornará enquanto não sintonizarmos procedimentos políticos com a ética da responsabilidade.

Disse o escritor e professor italiano, Luciano Bianciardi, que “a política, há muito tempo, deixou de ser ciência do bom governo e, em vez disso, tornou-se arte da conquista e da conservação do poder”.

Ouso discordar de Bianciardi: a política sempre foi a arte da conquista e da conservação do poder, pois a vida é uma corrida ao poder e tê-lo não é um defeito em si.

O que se faz para conquistar e manter o poder é que pode ser um defeito e até um crime, pois o poder não pode ser conquistado a qualquer custo, sem observações às regras estabelecidas, sob pena de ser mera força bruta.

O que precisamos, todos, é nos submetermos às regras e enquanto isso não for uma verdade para o representado, não será uma verdade para o representante.

12 comentários:

  1. Penso que chegamos a um ponto muito delicado para o Brasil...falta-nos elan, tesão, vontade de nos superarmos em busca de melhor destino.

    ResponderExcluir
  2. Essa insistência do governo em querer diminuir a força das manifestações, confirma que o governo DILMA continua em outro planeta.
    Os milhões de brasileiros que foram as ruas, refletem o que o país pensa deste governo, e esses manifestantes devem ser respeitados, bem como, as 300 pessoas que foram "proteger" o Instituto LULA. Proteger do quê, eu não sei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Vasconcelos, mas nao se esqueca que vários atletas do PMDB são jogadores titulares e não reservas nesse jogo.

      Excluir
  3. "triunvirato perdeu empatia popular no quadro político eventual" mas de quem? dos derrotados que insuflados pela Rede Globo e et caterva...q saem a vomitar seu ódio seletivo .
    Confúcio, antes Cristo, já se preocupava com a corrupção.

    Após a sua morte, passaran-se vários anos e ela só voltou com PT, exatamente em 2003.
    FHC este no poder por 8 anos e não teve nenhuma corrupção.

    Comprar votos para a releição não é considerado corrupção.

    A privataria onde todos que participaram estão milionários, também.

    Quem sabe como Confúcio era sábio, previu que a corrupção só voltaria ao mundo, depois da eleição de Lula.

    Agora,reportagens de várias matigens mostram que a verdadeira realidade – e não a realidade publicada pela mídia golpista -, demonstra claramente que o povão não quer saber de Impeachment. Que isso é coisa dos coxinhas da classe média alta e desavisados afins, que se informam somente através da revista Veja, da Globonews e da Rádio Liberal – portanto, se desinformam sobre a realidade brasileira. A verdade é que, mesmo com a crise, o povo brasileiro sobrevive em melhores condições do que aquelas da época de FHC e governos anteriores.

    Agora ser seletivo em protesto,paciência.

    Eu sou daqueles q tenho consciência q os problemas estão aqui pertinho,na péssima administração de Zenaldo e do seu pupilo Jatene( e como as manisfestações daqui são financiadas por eles, a coisa é seletiva...).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não esqueça que os "coxinhas da classe média alta e desavisados afins" são brasileiros, eleitores e preenchem todos os requisitos de cidadania para se manifestarem e, inclusive, e em grande parte graças aos governo do PT, hoje são em percentual maior que a classe baixa.
      Não está em discussão, também, se vivíamos melhor ou pior sob FHC e como a imprensa influenciou ou não a percepção atual, e sim a percepção em voga, que é a pior possível para o governo e se não reconhecermos isso e não equacionarmos o problema sob essa ótica, não há chances de resolve-lo a curto prazo.
      A melhor e mais eficaz maneira de montarmos uma equação é reconhecermos que há um problema posto à mesa. Contraposições factuais não ajudam em nada nos índices eventuais e isso, ainda bem, já foi decidido no Planalto, quando a presidente ordenou que o governo não deve replicar e sim agir.

      Excluir
    2. coxinha é um termo pejorativo. Sendo pejorativo, também é preconceituoso. O pessoal do pt não pratica o que prega. Só é preconceito quando dito pelos outros.
      registre-se tb que o pt implantou a discriminação rascista nas universidades e órgãos publicos. Brancos que obtem nota suficiente em vestibulares são eliminados por negros com notas inferiores, em nome de uma suposta divida social. Esqueceram que descendentes de japoneses, italianos, russos, alemães, poloneses e de todas as levas de imigrantes que viera,m a partir do seculo 18 não tiveram escravos. Então, ainda que exista uma divida social cobravel depois de seculos, são milhões que não tiveram nada a ver com a escravidão. Registre-se tb que o pt está permitindo imigração clandestina em massa de africanos que terão privilegios rascistas sem serem descendentes de escravos. Acredito que os atuais africanos tem uma imensa divida social, pois seus ascendentes capturaram negros de outras tribos para vende-los aos traficantes.
      No seculo 18 existia algum planejamento na imigração, chegavam casais, agora parece que só chegam chegam homens, e de regiões onde há um bocado de terroristas.

      Excluir
    3. Sou anti-pt, mas é óbvio que se vivia pior no governo FHC(depois da ditadura o maior presidente do país) ele pegou terra arrasada e conseguiu botar a economia no rumo certo, deixou tudo bem plantadinho pro safado do LULA levar os louros da melhora do povo brasileiro...a vida de todos melhorram mas o pt só colheu o que o fhc plantou e agora nao quer plantar de novo...ta vendo se nasce da areia infertil que deixaram...se nao plantar nao colhe!!

      Excluir
    4. Anonimo do dia 18 11:34 - Deixou tudo plantadinho...deixou uma bomba plantada isso sim( e atomica).
      "Não esqueça que os "coxinhas da classe média alta e desavisados afins" são brasileiros, eleitores e preenchem todos os requisitos de cidadania para se manifestarem" : Parsifal...Parsifal....ja percebestes aqui q lidas com quem desce ao territorio para pedir votos assim como tu. e sabes quando essa turma ai votou no PT ? Nuuuuunca. nunquinha da silva( e eu digo isto com a convicção de quem vai ao território pedir votos e tirar também- ou esqueces q no fim da eleição passada,quando tu mandou uma parte de teus soldados fazerem campanha pro aécio,nós não sacamos isso? como tu achas que aumentou o quantitativo de votos pró jatene no ultimo pleito? foi só pela linda barba do pescador? sonha. tem dedo nosso ai).
      "Não está em discussão, também, se vivíamos melhor ou pior sob FHC e como a imprensa influenciou ou não a percepção atual" Sim...algum parametro temos que ter,afinal querem jogar a culpa da bomba de hirochima em nós. dai que usar os parametros que usei faz sentido sim... estuda-se o presente com olhar no passado com propositos futuros.
      Erro da Dilma esta em querer acenar pra quem não votou nela, ela largou seus eleitores. tem sim meios de se fazer ajuste na costa da alta sociedade( Reforma tributaria; Taxação de grandes fortuna; Taxação dos lucros e dividendos; Auditoria da divida pública; combate a sonegação e evasão de divisas;(Sonegometro é da ordem de 600 bilhoes anuais).

      agora ela faz o ajuste na costa do trabalhador e não quer q fiquemos distante dela?

      mas deixa esses coxinhas ai(os" eleitores e preenchem todos os requisitos de cidadania para se manifestarem " - agredindo transeuntes desavisados com camisas vermelhas) darem uma de doido...existe remédio pra doido também.

      tem outros meios,o q não usados pelos cabeças de planilha do levy.


      Excluir
    5. Vota no PT quem quer, no PSDB quem quiser e em outros quem aprouver. Todos são brasileiros e detentores de direitos e não somente quem votou na Dilma. Ela não é presidente dos eleitores dela ou do PT e sim do Brasil.
      Quando eu tiver exército e decidir a quem devo arregimenta-los o farei às claras e em alto e bom tom, pois não dependo do PT ou do PSDB para viver e nem devo vassalagem a ambos. Invente as suas teses de auto afirmação para outros que possam acreditar nelas: o seu dedo não tem a menor chance de dar ou tirar votos de quem quer que seja a não ser o seu próprio. A diferença entre blefe e credibilidade está exatamente em quem se identifica para opinar e quem o faz de forma anônima para acusar aleivosias Minhas posições são claras e assinadas.
      Apoio, de forma clara, o ajuste fiscal e a presidente Dilma idem. Se você está contra essa política, deveria se juntar aos coxinhas e desavisados e fazer coro com o PSDB, pois a grita deles é "contra tudo isso que está aí".

      Excluir
    6. ei anônimo, bonitão, que sabe tudo e bla bla bla... bomba de hiroshima??? o analfabeto do lula surfou a onda deixada toda bonitinha pra ele...queria que o lula fosse presidente e dpois viesse o FHC...veriamos quem teria deixado melhor herança!!
      Parsifal, tbm sou a favor do ajuste fiscal, mas nao da forma que está sendo feito...descontando no povo! nao vemos a máquina ser enxugada e nem nada...aí é plahaçãda!! abs

      Excluir
  4. "Disse o escritor e professor italiano, Luciano Bianciardi, que “a política, há muito tempo, deixou de ser ciência do bom governo e, em vez disso, tornou-se arte da conquista e da conservação do poder”.

    Ouso discordar de Bianciardi: a política sempre foi a arte da conquista e da conservação do poder, pois a vida é uma corrida ao poder e tê-lo não é um defeito em si."

    Prezado Parsifal, parece que sua opinião é um pouco niilista. De qualquer forma, penso de maneira um pouco diferente.

    A politica não é só conquistar e se manter no poder, também é governar para o bem de povo, sei que em brasilia estas frases provocariam gargalhadas, mas é a minha opinião. A Inglaterra teve um periodo da sua historia conhecido com isolamento esplendido, que que se os governantes fizeram muita coisa para a população viver melhor, e se abstiveram de guerrear. Houve na europa os chamadaos despotas esclarecidos, que se esforçaram muito para melhorar a vida do povo, assim consta em livros de historia.
    graças a Deus a nossa lei não permite rereleição mais de uma vez, a meu ver não deveria haver reeleição. Esse conceito de ficar no poder é forte nos partidos, por isso penso que a candidatura por partido deveria ser uma alternativa e não requisito, deveria haver candidaturas individuais, sem partido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há divergência com a sua opinião. A política é governar para o bem do povo: é a sua essência. Mas para tê-la é preciso conquistar o poder. Portanto, não é possível governar para o bem do povo sem ter poder. Poder, portanto, não é defeito e sim o que se faz com ele, que pode ser um defeito e até um crime. O jogo do poder, todavia, em qualquer tempo e circunstância, vai existir e o bom político é aquele que conquista o poder, e o exerce, com a ética da responsabilidade.

      Excluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.