26/05/2015

Herdeiras de B.B King afirmam à polícia que ele foi envenenado por sua empresária

A morte do “rei do blues”, B.B King, ainda insepulto 12 dias após o falecimento, ganha ares de folhetim policial.

As herdeiras do músico, Karen Williams e Patty King, acusaram formalmente a empresária de King, LaVerne Toney, e o secretario particular dele, Myron Johnson, de o terem assassinado por envenenamento.

Shot003

Segundo a Associated Press, a polícia de Las Vegas, onde o bluesman faleceu, já investiga o caso.

Patty e Karen afirmaram que LaVerne, que trabalhou com King por 39 anos, e Johnson, mantiveram o corpo do pai sem acesso ao legista por cinco dias e que só foi dado acesso a elas, ao corpo, na ultima quinta-feira, 21.

O cerne do folhetim seria a fortuna deixada por King, da qual LaVerne foi nomeada por ele como inventariante.

A autopsia do corpo só foi feita no domingo, 24, nove dias após a morte. Os resultados, segundo os legistas, deverão estar prontos apenas em oito semanas.

O enterro de B.B. King está marcado para o próximo sábado, 30, na cidade de Indianola, no Mississippi, de onde ele saiu dos campos de algodão para o mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.