24/03/2015

Pesquisa mostra a fragilidade do governo e o pessimismo do brasileiro com o momento atual

Shot002

A Confederação Nacional dos Transportes publicou ontem (23) pesquisa realizada pelo Instituto MDA mostrando que o brasileiro está um pote até aqui de mágoas com o governo e a presidente e pessimista quanto ao futuro imediato, o que requer do governo um competente trabalho de marketing político, pois somente a comunicação não surte efeito.

Abaixo alguns resultados da pesquisa CNT/MDA:

É delicada a situação da presidente. Desconheço na história da República brasileira caso similar de desgaste tão grande, tão cedo.

Contribui para o quadro, o fato do ajuste fiscal, emulsão amarga, mas necessária, não ter sido declarado na campanha, o que pode ser índice de que o eleitor começa a fazer correspondência entre a fala do candidato e a atitude do eleito, deslegitimando-o se os pontos de ligação não forem, logo, encontrados.

A fadiga de material do lulo-petismo é um dos pontos que dificultam a empatia da presidente com um país que experimenta uma transição neuro-política na busca da afirmação das instituições como instrumentos e elementos de uma República calcada em princípios éticos ortodoxos. Nesses momentos cruciais da formação republicana, as escalas não são recepcionadas: se não é o altar é o cadafalso.

Nessa circunstância, a presidente Dilma não está há pouco menos de dois meses do segundo mandato, mas havida em uma linha de tempo mais comprida: é o décimo terceiro ano do lulo-petismo.

Todavia, não é sensato que o passageiro vare o para-brisas em um freio de arrumação estressado. É insensato, por exemplo,  não legitimar um ajuste fiscal necessário, pois não mais é possível sustentar o ciclo virtuoso que o Brasil experimentou com a alta das commodities sob Lula e parte do primeiro mandato de Dilma, agora postos em depauperação internacional. 

Erros foram cometidos na condução da economia pretérita, mas não é prudente o comportamento hora adotado pelo cidadão. Não gritamos e nem fizemos passeatas quando os erros foram cometidos: estávamos rebolando as cadeiras na festa. Agora, que a música parou e a ressaca chegou, queremos fazer piquete para que a equipe da limpeza não entre.

A presidente, para equilibrar o jogo, precisa de coragem, sustentação política e expediente. Pleonasmos, como o pacote anticorrupção, não são o sacrifício que o povo quer no altar, e sim medidas drásticas de contenção de despesas do próprio governo e o desaparelhamento da administração para que ela intente eficácia.

É preciso que o poder estabelecido no Brasil entregue todos os anéis, ou, que pronto seja ou tarde venha, arrancar-se-lhe-ão os dedos. 

Para ler toda a pesquisa (PDF) clique aqui.

5 comentários:

  1. Deputado,o terno para a posse da presidencia da CDP já está pronto?

    sds,

    Gilberto Rodrigues

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então,já está pronto!mãos a obra e boa sorte!

      Excluir
  2. a maior razão de todas esta situação por que passa a presidente está localizada na pergunta 12....o resto é incompetência explícita

    ResponderExcluir
  3. Até o Lula já espera a renuncia da tal mentirosa.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.