14/02/2015

Mas diante de tantas lembranças, me ponho a chorar…

Shot 008

Eu já fui folião. Mas adorava mesmo era o bloco do sujo, o carnaval de rua, na base daquele samba do João Bosco e Aldir Blanc “Plataforma”, quando eles se revoltaram contra o formalismo comercial que começava a imperar no carnaval do Rio de Janeiro:

“Não põe corda no meu bloco
Nem vem com teu carro-chefe
Não dá ordem ao pessoal
Não traz lema nem divisa
Que a gente não precisa
Que organizem nosso carnaval”

Nos idos do século passado, lá por mil novecentos e muito antigamente, os nossos fevereiros eram embalados por acordes preciosismos de metais (e não faltavam os auxílios luxuosos dos pandeiros) de sambas-canções que haviam feito sucesso durante o ano anterior e eram acelerados para se fazerem marchas. Mas eu acabava preferindo a cadência original.  

“Lembranças” foi um dos sambas-canções acelerados nos carnavais do final dos anos sessenta.  A composição foi de Raul Sampaio e Benil Santos. Os intérpretes foram os mais variados e “Lembranças” está obrigatoriamente presente na antologia do cancioneiro popular brasileiro.

Abaixo, na cadência original, um momento impagável de “Lembranças”: de um lado, o ainda vivo e macio Martinho da Vila Isabel, com o seu peculiar gingado de malandro vivido na Serra dos Pretos-Forros e de outro o já ido poderosíssimo Nelson Gonçalves, o Metralha, até hoje o terceiro maior vendedor de discos da história do Brasil.

“Lembro um olhar lembro um lugar, teu vulto amado
Lembro um sorriso e o paraíso que tive ao teu lado
Lembro a saudade que hoje invade os dias meus
Para o meu mal lembro afinal, um triste adeus
Sou agora no mar desta vida um barco a vagar
Onde está o teu olhar, onde está teu sorriso e aquele lugar
Eu devia sorrir, eu devia para o meu padecer ocultar
Mas diante de tanta lembrança me ponho a chorar...”

2 comentários:

  1. pois é ! o talento diminuiu principalmente no carnaval.

    ResponderExcluir
  2. Só vossa excelência que no fino trato do bom gosto conhecido seu...
    trás para nós esta obra de arte na interpretação de dois monstros
    de nossa maravilhosa música brasileira...Obrigado pela pérola.
    Bom carnaval

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.