27/02/2015

Crime Organizado S.A

O enredo do crime organizado estabelecido dentro dos presídios (e o Estado brasileiro ainda insiste e investe no sistema) mostrou a sua face na madrugada de hoje (27), em Belém.

Os senhores do crime, que vivem seguramente dentro do Complexo Penitenciário de Americano, além de patrocinarem uma rebelião dentro do complexo, resolveram demonstrar que também mandam extramuros.

Screen 007

A ordem de dentro de Americano foi cumprida e cinco ônibus foram incinerados em Belém e região metropolitana.

Os bandidos seguiram um rito protocolar em todas as ocorrências: chegavam de motocicletas e carros, determinavam a saída dos passageiros (menos mal), espargiam gasolina no veículo e riscavam o fósforo.

Screen 008

A tática de tocar o terror nas cidades tem dado certo, pois a polícia não consegue controlar a ações e acaba cedendo a algumas das reinvindicações dos líderes dentro dos presídios.

Só quem teve coragem, até hoje, de declarar que o estado negocia com o crime organizado, para baixar a fervura, foi o secretário de Segurança do Estado de São Paulo. A métrica, aliás, não foi inaugurada no governo Alckmin (PSDB), mas em 2006, pelo então secretário de Segurança do Estado, Nagashi Furukawa, no governo de Cláudio Lembo (PFL).

Na ocasião, o conhecido Marcola, de dentro do presídio, pintou e bordou com a maior cidade do Brasil, até que o Estado de São Paulo permitisse que a sua advogada o visitasse.

É uma pena que a política penitenciária do Brasil seja burra, tosca e anacrônica. Os bandidos atualizaram-se e andam de Toyota Hilux SW4 e a polícia e o sistema penitenciário ainda caxingam em Toyota Bandeirantes.

3 comentários:

  1. O jatene ja colocou a culpa no antecessor dele?

    ResponderExcluir
  2. Amigo, na verdade, essa área de segurança pública, principalmente a policia civil,está entregue a amadores e incompetentes. os caras estão sempre fazendo festas. assim, não tem condições.

    ResponderExcluir
  3. e ainda pra disgraça do povo esse governador, nomeia um general para segurança. se nomeasse para comandar fronteira, seria outra coisa mais, ja quem ta nas ruas diariamente erram, imagine general que nem instruçao dar pra tropa. Governador e cada qual no seu lugar. vc tirou o poder dos delegados. TA LIGADO

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.