11/09/2014

Custos oficiais das campanhas para governador

Shot 001

Tomando por base a segunda prestação parcial de contas dos candidatos a governador, a Folha de S. Paulo elaborou uma lista que mostra o custo destas eleições no Brasil.

O cálculo é simples: a Folha tomou o valor total declarado até agora e dividiu pelo número de eleitores do estado correspondente.

Nessa aritmética, a eleição para governador mais cara do Brasil é a de Mato Grosso do Sul, cujo valor unitário do voto é R$ 17,06, e a mais barata é a do Acre, com R$ 0,71.

Com um custo por voto de R$ 0,80, o Pará tem a terceira campanha mais barata do Brasil.

Abaixo a lista com a relação estado/eleitorado/custo por voto:

  1. MS / 1.818.937 / 17,06
  2. RR / 299.558 / 15,37
  3. TO / 996.887 / 8,63
  4. PB / 2.835.882 / 8,36
  5. DF / 1.897.677 / 8,03
  6. AL / 1.995.727 / 7,2
  7. AM / 2.226.891 / 6,62
  8. RN / 2.327.451 / 6,39
  9. AP / 455.514 / 6,37
  10. MT / 2.189.703 / 5,36
  11. RO / 1.127.154 / 5,05
  12. ES / 2.653.536 / 3,77
  13. SE / 1.454.165 / 3,62
  14. CE / 6.271.553 / 2,92
  15. PE / 6.356.307 / 2,85
  16. MA / 4.497.336 / 2,01
  17. GO / 4.331.733 / 1,95
  18. SP / 31.998.432 / 1,87
  19. RJ / 12.141.145 / 1,87
  20. PR / 7.865.950 / 1,48
  21. BA / 10.185.417 / 1,4
  22. MG / 15.248.861 / 1,23
  23. SC / 4.859.324 / 1,17
  24. PI / 2.345.694 / 0,95
  25. PA / 5.188.450 / 0,8
  26. RS / 8.392.033 / 0,74
  27. AC / 506.724 / 0,71

3 comentários:

  1. Eu acredito em papai noel, mula sem cabeça, cegonha....

    ResponderExcluir
  2. Pelo menos o seu blog deputado, permite comentários contrários. Postei vários comentários no blog Na Ilharga e nenhum foi postado. Lá, só aceitam puxa-sacos do PT.

    ResponderExcluir
  3. Os dados formais, infelizmente, são distorcidos. Sabe-se que, quanto menor for o eleitorado de um estado, mais caro será o custo por voto. Em um estado como o Amapá, por exemplo, o último deputado federal dos oito, em 2010, se elegeu com menos de 10.000 votos, pois o quociente eleitoral fica na faixa dos 30.000. Fica óbvio que, mesmo que os candidatos dos estados pequenos gastem menos em absoluto, gastarão parecido com seus colegas de grandes eleitorados: resultando em um custo/voto altíssimo. Vale lembrar que, em 01 de fevereiro, desde Chico das Verduras (5.903 votos em Roraima) até Tiririca (1.573.112 votos em São Paulo) têm, formalmente, o mesmo peso.

    ResponderExcluir

Comentários em CAIXA ALTA são convertidos para minúsculas. Há um filtro que glosa termos indevidos, substituindo-os por asteriscos.